Top 10 – O melhor e o pior da era Ferguson

Durante o tempo no comando do United, Ferguson acumulou bons e maus momentos. No dia em que o treinador se despede, listamos os 10 melhores momentos da carreira do treinador, assim como 5 momentos bem ruins.

Top 10 Ferguson

1. O trabalho no Aberdeen

O Aberdeen era um time com apenas um título da Premier League escocesa quando Ferguson assumiu a equipe. Após um começo difícil e alguns vice-campeonatos, o treinador levou a equipe aos títulos das temporadas 1979/80, 1983/84 e 1984/85.

Mais que isso, em 1982/83 o Aberdeen saltou alto em nível europeu e conquistou a Recopa Europeia, eliminando, inclusive, Bayern de Munique e Real Madrid.

Foto: Getty images - O Aberdeen vence a Recopa

Foto: Getty images – O Aberdeen vence a Recopa

Outros títulos vieram, como 4 Copas da Escócia, uma Copa da Liga e uma supercopa europeia.  Como curiosidade, o Aberdeen, na era Ferguson, conquistou 100% (2/2) de seus títulos europeus, 75% (3/4) de suas ligas, 57% (4/7) de suas copas e 20% (1/5) de suas copas da liga.

2. Treinador da seleção escocesa

Em 1985, Jock Stein era o técnico da seleção escocesa, e após a partida contra o País de Gales, válida pelas Eliminatórias, caiu nos braços de Ferguson, em um ataque cardíaco fulminante.

Foto: Empics - Stein e Ferguson juntos pela última vez no fatídico 10 de setembro de 1985.

Foto: Empics – Stein e Ferguson juntos pela última vez no fatídico 10 de setembro de 1985.

Ferguson então assumiu o cargo de Stein e terminou o serviço de levar a seleção para a Copa do México, disputando, ainda, a primeira fase da competição. O treinador conciliou o trabalho no clube e na seleção e ficou apenas 10 jogos à frente da Escócia.

3. O primeiro título no United

Ferguson conquistou sua primeira taça em 1990, quando o United bateu o Crystal Palace por 1×0, no replay, após 3×3 no primeiro jogo, pela final da FA Cup.

Era uma temporada difícil. Os Red Devils tinham finalizado a liga inglesa em 13º lugar e o trabalho de Ferguson era bastante contestado, principalmente pela falta de títulos em três anos e meio de clube. A conquista, assim, meio que salvou o emprego do escocês.

4 . A primeira Premier League

O ano de 1992 marcou a chegada de um novo modelo de campeonato na Inglaterra, a Premier League. O Manchester abriu a competição batendo o Sheffield United por 2×1, mas ao longo do campeonato foi ficando para trás.

Após novembro, porém, a equipe deu uma arrancada histórica e conquistou o título com 10 pontos de vantagem sobre o Aston Villa e 12 sobre o Norwich City. Era o primeiro título do campeonato nacional conquistado pelos Diabos Vermelhos desde 1967.

Foto: Getty Images - O Manchester conquista a primeira Premier League.

Foto: Getty Images – O Manchester conquista a primeira Premier League.

5. A tríplice coroa

Foram três títulos apertados, mas os comandados de Fergie conseguiram se sagrar, na temporada 1998/99, “campeões de tudo”.

Na Premier League, a conquista veio com uma vantagem de apenas um ponto sobre o Arsenal. Na FA Cup, uma vitória por 2×0 sobre o Newcastle United coroou a equipe, que havia suado para vencer os Gunners na semifinal, com direito a pênalti perdido pelo adversário no final do jogo.

Porém, a Liga dos Campeões foi o ponto mais marcante da temporada. No Camp Nou, um gol de Mário Basler a 6 minutos de jogo dava o título europeu ao Bayern de Munique, e a partida já entrava nos acréscimos. Em um dos milagres do futebol, dois escanteios de David Beckham encontraram os pés de Teddy Sheringam (aos 91 minutos) e Ole Gunnar Solskjaer (aos 93 minutos). O Manchester, nos acréscimos, conseguia a coroa europeia em uma das maiores finais de todos os tempos.

Fonte: BBC - Mosaico com grandes imagens da final da champions de 1999.

Fonte: BBC – Mosaico com grandes imagens da final da champions de 1999.

A equipe ainda seria campeã mundial no fim do ano, ao bater o Palmeiras, no Japão.

6. A segunda Champions e o 10º título inglês

Na temporada 2007/08, o United conquistou o título da Premier League por apenas 2 pontos, e foi à final da Champions contra o novo milionário Chelsea, em Moscou.

A decisão foi para os pênaltis e John Terry escorregou na hora de dar o título europeu ao time de Abramovich. Na sétima cobrança, Van der Sar defendeu o pênalti de Anelka e Fergie se tornou bicampeão europeu. Meses depois, mais um título mundial, contra a LDU.

Foto: Reprodução - Terry escorrega e ajuda o United a se sagrar campeão europeu.

Foto: Reprodução – Terry escorrega e ajuda o United a se sagrar campeão europeu.

7. As compras que deram certo

Em 2003, Ferguson solicitou a compra de Cristiano Ronaldo, jogador de 17 anos do Sporting. Para tal, a equipe britânica pagou £12,2 milhões aos portugueses. Ronaldo só despontou realmente a partir da temporada 2006/07, transformando-se em uma máquina de fazer gols. Em junho de 2009, o jogador seria vendido ao Real Madrid por astronômicas 80 milhões de libras.

Fonte: Reuters - Cristiano Ronaldo chegou ao United em 2003.

Fonte: Reuters – Cristiano Ronaldo chegou ao United em 2003.

Peter Schmeichel, Eric Cantona, Ole Gunnar Solskjaer, Teddy Sheringham, Andy Cole, Dwight Yorke, Roy Keane, Edwin Van der Sar, Wayne Rooney e Rio Ferdinand, dentre outros, foram contratações bancadas por Ferguson e que também deram muito certo no United.

8. As grandes goleadas

Em 1995, o United de Ferguson conseguiu a maior goleada da história da Premier League, ao bater o Ipswich Town por 9×0.

Nada se compara, porém, ao massacre contra o Arsenal, em 28 de agosto de 2011. Wayne Rooney marcou três vezes, Ashley Young duas e Welbeck, Nani e Park também fizeram os seus. No fim, um humilhante 8×2 para cima de um dos maiores rivais.

9. A soberania na Inglaterra

Com o título da temporada 2010/11, o 19º de sua história, o United ultrapassou o Liverpool no total de títulos do campeonato local. Hoje, a equipe de Manchester tem 20 títulos, sendo 13 conquistados sobre o comando de Ferguson, contra 18 do arquirrival.

Foto: Reuters - Ferguson ergue mais uma Premier League.

Foto: Reuters – Ferguson ergue mais uma Premier League.

10. O crescimento do clube
Durante a era Ferguson, o Manchester se consolidou como um dos maiores clubes do planeta, destacando-se no mundo empresarial e financeiro com ações como:

– A entrada na bolsa de valores, em 1991
– A expansão de Old Trafford para 76.000 lugares
– A criação da MUTV, emissora oficial do clube.
– A venda dos naming rights do centro de treinamento de Carrington.
– O contrato milionário com a Nike, que em 13 anos paga ao clube cerca de 24 milhões de libras anuais.

Extra: Outros momentos legais de era Ferguson

– A valorização da prata da casa do Manchester.
– A lealdade com seus jogadores.
– O perdão à Shmeichel após falhas em Anfield, em 1994.

Bottom 10 Ferguson


1. As contratações que não deram certo

Durante a era Ferguson, o Manchester também errou, e muito, nas contratações. Klebérson, Forlán, Jordi Cruyff, Verón, Eric Djemba-Djemba, Massimo Taibi, David Bellion, Ralph Mine, William Prunier, Dong Fangzhuo e o grande Bebe são alguns dos exemplos.

Foto: AFP - Bebe foi uma das piores contratações de Ferguson no United.

Foto: AFP – Bebe foi uma das piores contratações de Ferguson no United.

Excelente matéria do nosso amigo Daniel Guerreiro fala mais de tais contratações.

2. As mudanças de jogadores e esquemas táticos em jogos decisivos

Ferguson foi muito criticado por deixar Rooney no banco na partida de volta contra o Real Madrid, que eliminou o United da última Liga dos Campeões. O nosso amigo Gregor Vasconcelos expõe aqui outras grandes “trapalhadas” do treinador.

3. A disputa pelo Rock of Gibraltar

Ferguson e o acionista majoritário do clube inglês, John Magnier, eram co-proprietários do cavalo Rock of Gibraltar, um dos mais premiados do mundo. Ferguson reclamou que seus direitos sobre os prêmios do animal não estavam sendo recebidos, e entrou em disputa judicial contra Magnier, resolvida tempo depois.

Fonte: Reprodução - Sir Alex ao lado do joquei , Michael Kinane e do Rock of Gibraltar

Fonte: Reprodução – Sir Alex ao lado do joquei , Michael Kinane e do Rock of Gibraltar

4. Renunciar à FA Cup para “passear” no Mundial

Atual detentor do título da FA Cup, o Manchester preferiu não jogar a temporada de 1999/00 para se dedicar ao Mundial de Clubes da FIFA. Apesar de “tamanha dedicação”, o time inglês fez papelão no Brasil.

5. Grandes goleadas sofridas

O United levou 5×0 do Newcastle em 1996, perdendo pelo mesmo placar para o Chelsea em 1999.  Foi em 2011, porém, em pleno no Old Trafford, que o United passou um dos maiores vexames de sua história. A equipe levou 6×1 do City, arquirrival de Manchester, igualando o maior placar da história do clássico, acontecido em 1926.

Fonte: Telegraph - Mosaico com grandes imagens de City 6 x 1 United

Fonte: Telegraph – Mosaico com grandes imagens de City 6 x 1 United

Extra: Outros momentos não tão legais de era Ferguson

– A perda das finais da Champions em 2009 e 2011.
– Acusações sobre eventuais comissões que seu filho Jason levaria na venda de jogadores. 
– Preferir ficar com Cantona a contratar Zidane.
– A chuteira que teria sido lançada em Beckham após confusão nos vestiários, em 2003.
– O aposenta/não-aposenta de 2001 e 2002, que pode ter prejudicado o time naquela temporada.

 

Comentários

Sergio Rocha é torcedor do Madureira e sempre teve o sonho de escrever sobre esportes em geral, embora tenha optado pela carreira de engenheiro civil. No "currículo", cadernos recheados de resultados esportivos e agendas da década de 90, quando antes da internet acessava rádios de diversos locais do país buscando os resultados esportivos do Acre à Costa Rica. Além de fanático por futebol, é fanático por praticamente todos os esportes, e no tempo livre que sobra sempre busca os últimos resultados esportivos do PGA Tour ou dos futures da ATP. Além disso, coleciona quadrinhos da Disney e é louco por astronomia.