A dança dos técnicos em Portugal

  • por Levy Guimarães
  • 8 Anos atrás

Dança dos técnicos em Portugal

A temporada europeia terminou há pouco tempo, mas em Portugal, o mercado já está bastante movimentado, sobretudo o de treinadores. Evidentemente, há várias especulações sobre jogadores chegando ou saindo dos clubes, mas são os técnicos quem roubam a cena nessas primeiras semanas. Os três grandes, além do Braga, já definiram por quem serão comandados em 2013/2014. E apenas um desses times manteve o treinador. Confira:


Benfica – Jorge Jesus

Foto: ASF

Foto: ASF

A decisão mais polêmica foi a do Benfica. Após um fim de temporada traumático, em que perdeu, num espaço de 15 dias, o Campeonato Português para o Porto, a Liga Europa para o Chelsea e a Taça de Portugal para o Vitória de Guimarães, o clube lisboeta prestigiou Jorge Jesus e manteve o português de 57 anos no cargo. Uma escolha que dividiu opiniões entre os torcedores e imprensa.

É inegável que, desde a chegada de Jorge Jesus, o Benfica se tornou um time mais competitivo. Apesar de ter ganho poucos títulos de expressão – em quatro temporadas, conquistou 1 Campeonato Português e 3 Taças da Liga -, conduziu os Encarnados a boas campanhas em nível europeu (vice-campeonato e semifinal de Liga Europa e quartas da Champions League) e fez a equipe disputar a liga nacional de igual pra igual com o Porto, o que não vinha acontecendo com tanta frequência. Além disso, fez do Benfica um time atraente de se ver jogar, praticando um futebol bonito e ofensivo, o que há muito tempo não se via na Luz.

Porém, de nada adianta um clube da dimensão do Benfica evoluir se não conquistar títulos. E é esse o grande desafio de Jesus: superar a desconfiança, lidar com a enorme pressão e fazer o Benfica voltar a ter grandes conquistas, ao invés de ser apenas um time forte mas que perde o fôlego na reta final.

Porto – Paulo Fonseca

Foto: O Jogo

Foto: O Jogo

Se o fim de temporada foi trágico para o Benfica, para o Porto foi de festa com o tricampeonato português, após a conquista heroica sobre o arquirrival de Lisboa. Nem assim a diretoria portista mudou de ideia, e acabou por cumprir com o que já dava indícios desde a metade da temporada: demitiu o técnico Vítor Pereira.

Mesmo tendo conquistado dois Campeonatos Portugueses, Pereira sempre esteve longe de ser unanimidade no Porto. Viveu, durante as duas temporadas em que esteve no comando, momentos de altos e baixos, sendo apontado como culpado na eliminação para o Málaga nas oitavas de final da última Liga dos Campeões (considerada precoce pelos portugueses).

Para o seu lugar, foi feita uma aposta ousada: o técnico-revelação da última temporada, Paulo Fonseca, responsável pela campanha histórica do Paços de Ferreira no último campeonato. Fonseca conseguiu transformar um time sem grandes ambições em um adversário cascudo, com uma defesa sólida e um conjunto forte, o que resultou no 3º lugar e na inédita classificação para a Champions League por parte do modesto clube. Além da brilhante campanha em 2012/2013, outro fator motivou o Porto a contratar Fonseca: o bom retrospecto com treinadores jovens, devido aos sucessos de José Mourinho de 2002 a 2004 e André Villas-Boas em 2010/2011. Por isso, a confiança no treinador de 40 anos é grande no Dragão.

Sporting – Leonardo Jardim

Foto: reprodução

Foto: reprodução

Reconstrução é a palavra-chave no Sporting depois da temporada catastrófica, na qual os Leões fizeram a pior campanha de um gigante português na história do campeonato nacional: um 7º lugar, ficando fora até mesmo da próxima Liga Europa. O time teve quatro técnicos diferentes em 9 meses, e buscava para 2013/2014 um nome competente e capaz de trabalhar sem muitos recursos financeiros – já que a situação financeira do clube não é nada boa.

O escolhido foi Leonardo Jardim, mais um treinador da nova safra. O português de 38 anos vem de dois ótimos trabalhos: na temporada retrasada, fez o Braga brigar em pé de igualdade com Porto e Benfica pelo título português, terminando na 3º colocação após muito incomodar os dois gigantes; na última, foi campeão grego com o Olympiakos, com 15 pontos de vantagem para o vice PAOK. Agora, terá a difícil missão de reerguer um clube em crise e carente de grandes campanhas, que ganhou o apelido de “triturador de técnicos” graças aos sequentes insucessos de treinadores diversos sob o seu comando. Um desafio e tanto para Jardim.

Braga – Jesualdo Ferreira

Foto: Record

Foto: Record

A decepcionante temporada do Braga, com uma fraca campanha na Liga dos Campeões e a perda da vaga na próxima Champions para o Paços de Ferreira, recaiu sob as costas de José Peseiro, resultando na demissão do experiente técnico. Para retornar ao posto de 3º melhor time do país e voltar a incomodar os gigantes, o Braga contratou outra figura conhecida, mas com currículo melhor que o de Peseiro. Jesualdo Ferreira, 67, será o encarregado de comandar os Minhotos na próxima temporada.

Tricampeão português pelo Porto entre 2007 e 2009, Jesualdo assume o clube pela segunda vez. De 2003 a 2006, fez um ótimo trabalho pelo clube, salvando-o do rebaixamento em seu primeiro ano e ficando entre os 5 primeiros colocados nos três seguintes. Agora, encontra um Braga muito mais forte e respeitado, que já não teme nenhum adversário em Portugal. Um cenário propício para os bracarenses continuarem a fazer história nos gramados portugueses.

Comentários

Estudante de Jornalismo e redator no Placar UOL Esporte, belo-horizontino, apaixonado por esportes e Doente por Futebol. Chega ao ponto de assistir a jogos dos campeonatos mais diversos e até de partidas bem antigas, de décadas atrás.