Celeste em xeque

  • por Mauricio Fernando
  • 6 Anos atrás
Foto: CONMEBOL. Forlán é o retrato fiel da seleção.

Foto: CONMEBOL.  – Forlán é o retrato fiel da seleção.

Com as credenciais de campeão da Copa América e semifinalista do último mundial, a seleção uruguaia iniciou as eliminatórias Sul-americanas como uma das grandes favoritas a conquistar uma das quatro vagas diretas da para a Copa do Mundo de 2014. Surpreendentemente, até a 14ª rodada, faltando cinco para o fim do certame, a Celeste estava na sétima posição, atrás de seleções bem menos cotadas e qualificadas como Venezuela e Peru. Com a vitória por 1×0 sobre  a Venezuela em solo rival, os uruguaios puderem enfim comemorar a volta das vitórias, mas participação do campeão da primeira Copa em solo brasileiro no mundial ainda segue seriamente ameaçada. Tudo indica que os uruguaios deverão mesmo brigar apenas pela quinta vaga, a que dá direito a disputa de repescagem.

Ainda é pouco para uma seleção que parecia ter se reerguido. A alegria de ter novamente uma seleção forte, entre as grandes do futebol mundial, parece ter durado pouco para o torcedor uruguaio, que já vinha se conformando com o papel de figuração que o país fazia no cenário internacional nos últimos anos.

Talento o time ainda tem para exibir, especialmente no setor ofensivo. Dois dos atacantes mais cobiçados do futebol europeu formam o ataque celeste: Suárez e Cavani É bem verdade que o jogador do Napoli nunca rendeu o que dele se esperava na seleção, mesmo que subaproveitado, mas sua qualidade é inegável.

A defesa, antes pouco contestada, passou a ser vazada constantemente, sendo a segunda que mais sofreu gols nas eliminatórias. Pensa-se, inclusive, na possibilidade do capitão Lugano deixar o time titular. A situação fica ainda mais delicada quando vemos que uma das opções é o veterano Scotti de 37 anos.

A idade é outra questão que aflige os uruguaios. Forlán, craque da última copa, e fundamental para o sucesso uruguaio vê seu declínio técnico chegar. O atacante, recuado para a meia na seleção, chegou a ficar no banco na derrota para o Chile por 2×0 em Março. Para piorar, os uruguaios veem poucas esperanças para, se não substituí-lo, auxiliá-lo de forma mais incisiva. A imprensa local chegou a cogitar a convocação de ninguém mais, ninguém menos que Álvaro Recoba, de 36 anos. O meio campo parece ser realmente um ponto fraco desta geração, especialmente na criação. Forlán joga improvisado na posição e Nicolas Lodeiro, Gaston Ramírez e Cristían Rodríguez foram testados, mas nenhum deles ainda se firmou. O ataque, comandado por Luisito Suarez, é o ponto de destaque do time hoje, mas precisa ser mais bem municiado. No jogo da última terça feira, o artilheiro Suárez estava suspenso e, com isso, duas vagas se abriram no meio. Forlán foi adiantado para o ataque e a criação ficou por conta de Gaston Ramírez e Crístian Rodríguez. Arévalo enfim fora, deu lugar a Gargano.

Foto: Ovación Digital

Foto: Ovación Digital


A formação uruguaia parece ter se perdido, assim como Oscar Tabarez. Desgastado no cargo, o treinador tem na Copa das Confederações um ponto crucial para a sua permanência. A competição em si tem menos importância do que a necessidade dos uruguaios de encontrar uma formação mais próxima do ideal para a reta final das eliminatórias. De nada adiantará um título da Copa das Confederações se a vaga para o Mundial não vier no fim do ano. Um bom rendimento – e quem sabe o título – pode apontar um caminho a ser seguido dali para a frente.

A dupla de ataque é uma das melhores do mundo. - Foto: Lancenet

Foto: Lancenet – A dupla de ataque é uma das melhores do mundo.


Comentários

21 anos, morador de Maringá-PR. Corintiano de coração, aprendi ainda a ser Liverpool, na Europa. Como Doente por Futebol, acompanho diariamente jogos, jogadores e tudo o que acontece acerca deste apaixonante esporte. Minha função por aqui será de analisar e informar tudo o que rola na América do Sul e no México. Responsável ainda pelas colunas "Craque DPF" e "Futebol na Mídia".