Futebol Potiguar: à deriva?

  • por Raniery Medeiros
  • 8 Anos atrás

atrativos-turisticos-do-rio-grande-do-norte-turismo-cidades9

Os times do Rio Grande do Norte nunca figuraram com constância no alto escalão do futebol nacional. Os investimentos, comparados aos clubes de outros grandes centros, são irrisórios. O que mantêm as equipes de pé são os seus apaixonados torcedores. No entanto, os times estão passando por uma verdadeira celeuma nas séries B, C e D do Campeonato Brasileiro.

Ainda é cedo para dimensionar o tamanho do prejuízo, já que os campeonatos ainda estão em seu ponto de partida. Mas, se algo não for feito com urgência e alguns pontos não forem repensados, a tendência será o rebaixamento. Essa pausa para a Copa das Confederações pode vir a ser de grande valia para ABC, América, Potiguar de Mossoró e Baraúnas.

O que mais impressiona é a negligência de algumas agremiações e os seus inoperantes planos de gestão a longo prazo. Se às entidades falta dinheiro, dentro de campo, o que está faltando é padrão de jogo. Seria um erro colossal exigir mais do que possam oferecer, entretanto é da sapiência dos dirigentes que, quanto menos times rebaixados, melhor para o futebol local.

Alguns destaques mais recentes são a participação do América na Série A em 2007, ABC campeão da Série C em 2010, Baraúnas fazendo sucesso na Copa do Brasil em 2005. Pode ser pouco para os colegas de “fora”, mas para quem reside no RN é motivo de grande orgulho e esperança de voos mais altos.

SITUAÇÃO DO MOMENTO

SÉRIE D

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

O Potiguar de Mossoró, campeão estadual em 2013, começou perdendo logo em sua estreia. Muitos atletas do time campeão foram atuar em outros clubes. Isso é algo muito normal quando se leva em conta que, para sobreviver, é preciso “girar” a folha salarial e captar recursos.

A Derrota por 3×0 para o Central jogou o time na lanterna do grupo 3. Tudo bem que foi apenas a primeira rodada, mas é preciso ficar atento ao que se passa dentro de campo. O Potiguar vinha jogando bem até que o técnico Miluir Macêdo alterou o esquema e cedeu “jardas” ao time Pernambucano. Olho aberto!

SÉRIE C

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Se for preciso reportar ao bom momento vivido em 2005 e 2006, que seja. O Baraúnas fez um estadual aquém do esperado, assistiu o rival da sua cidade (Mossoró) ser campeão e ficou a ver navios.

No grupo A do brasileiro, ao lado de mais 10 equipes, somou apenas 1 ponto em duas rodadas. Pode-se dizer que o empate contra o Brasiliense, fora de casa, foi um alento à goleada sofrida no primeiro jogo. A diretoria está buscando reforços para deixar o elenco robusto, porém é preciso ter maior qualidade na hora de finalizar. Precisa-se de um camisa 10. Se não for assim, a tônica será brigar para não cair.

SÉRIE B

ABC

O time não chegou às finais de turnos no estadual. Fez boa campanha na Copa do Nordeste e, quando encaminhava a classificação para as semifinais, tomou a virada do ASA-AL. As frequentes mudanças de treinadores afetam em larga escala o entrosamento e a busca por um padrão tático.

Disputada seis rodadas, o “Mais Querido” segura a lanterna da competição com apenas 2 pontos conquistados. A Série B, difícil que é, não permite vacilos. Se em campo as coisas não estão boas, fora dele a situação financeira é caótica. Nessa semana, um grupo de torcedores foi protestar contra o atual momento da equipe. Enfático, o vice-presidente de futebol, Bira Marques, declarou: “não há dinheiro no clube”.

Foto: Jocaff Souza - Torcedores protestam contra a diretoria

Foto: Jocaff Souza – Torcedores protestam contra a diretoria

O erro de planejamento, como o próprio dirigente salientou, é mais um motivo de preocupação para a torcida. Voltar para a série C seria um total retrocesso.

AMÉRICA

Ser eliminado ainda na primeira fase da Copa do Nordeste, após estar com a classificação quase que assegurada, foi um golpe muito duro para o América. Pior do que isso foi perder o estadual de forma boba. Campeão do primeiro turno e finalista no segundo, o time foi derrotado na decisão pelo o Potiguar de Mossoró, mesmo com a vantagem na final geral.

Nenhum torcedor alvirrubro esquece que o time evoluiu muito após a chegada de Roberto Fernandes (técnico) em 2012. Porém, o material humano de 2013 não está dando opções para que ele alcance resultados melhores. O time está propenso a passar por uma série de mudanças.

Assim como o ABC, seu grande rival, o América faz uma campanha pífia na Série B. É o penúltimo colocado, com apenas 3 pontos em seis partidas (falta o homem gol). O grande problema está na defesa, que não transmite segurança, e no goleiro Dida, que andou entregando alguns gols. Só essa semana, três atletas foram dispensados: Kattê, Arnaldo e Bruninho. Pelo andar da carruagem, mais demissões serão feitas.

Foto: ogol - Penúltima colocação do América é sinal de preocupação

SITUAÇÃO GERAL

Como deu para perceber, todos estão no mesmo barco. Erros no planejamento, idas e vindas de vários jogadores, problemas salariais, padrão tático deixando a desejar e torcedores insatisfeitos com as suas respectivas diretorias.

É bom abrir o olho enquanto ainda há tempo. Afinal de contas, seria degradante ver os potiguares sendo rebaixados e tendo um ano tão fantasmagórico. Que a pausa possa servir para entrosar o elenco, encontrar o caminho tático e dignificar as campanhas dos times em suas divisões.

Comentários