Liberté, Egalité, Fraternité, Doenté!

  • por Doentes por Futebol
  • 8 Anos atrás

Revolta

Em época que as atenções do mundo se voltam para o nosso país, é hora de deixarmos as rivalidades futebolísticas de lado e irmos atrás de um só objetivo: um Brasil melhor para todos. Os R$ 0,20 da passagem de São Paulo, os R$ 0,30 da de Porto Alegre e o encarecimento do transporte público em outras capitais representam muito mais que frações no bolso do trabalhador; eles são a síntese de anos de descaso com a população brasileira.

Esses centavos são a síntese dos bilhões gastos com os belos, porém caros, estádios para a Copa do Mundo; são a imagem das filas intermináveis nos hospitais; o retrato de uma população cada vez mais marginalizada ante o governo e os endinheirados.

Os protestos que se espalham por todo o Brasil são uma resposta àqueles que tinham a juventude de hoje como acomodada, sem capacidade de reação. O passe livre é apenas um pretexto para um movimento de indignados, um manifesto de mentes que deixaram as redes sociais para se tornarem reais.

Os tais vinte centavos, ridicularizados por uma mídia que contorce e distorce a realidade dos fatos para defender seus interesses, são apenas a faísca que faltava para fazer explodir a insatisfação em um país que, há décadas, vivia adormecido. O momento não poderia ser mais adequado: durante a Copa das Confederações (e, posteriormente, durante o Mundial), o Brasil estará sob intensa observação. O mundo inteiro terá a oportunidade de conhecer os principais aspectos culturais do nosso país, assim como nossas novas arenas. Oxalá ele tenha também a oportunidade de ver que nossa “festa da democracia” não é assim tão bela e plural quanto parece.

Comentários