500 vezes Fábio

  • por Alexandre Perdigão
  • 7 Anos atrás
Fabio e sua comemoração característica

Fabio e sua comemoração característica

O goleiro Fábio atingirá no jogo contra a Portuguesa uma marca histórica para qualquer atleta: ele completará incríveis 500 jogos com a camisa do Cruzeiro.

Nos dias de hoje, com transações cada vez mais frequentes, um jogador atingir 100 jogos com a camisa de um clube já é um fato notável, mas Fábio foi além. Já são 499 partidas, nove temporadas ininterruptas vestindo as cores celestes.

Quando chegou ao Cruzeiro, em 2005, o clube vivia uma fase negra para os goleiros. Desde a venda de Gomes para o PSV, no meio do ano, o clube não havia encontrado o seu camisa 1 ideal. O então jovem Fábio, na época com 24 anos, saiu do Vasco e rumou para Minas Gerais, mirando conquistas, títulos e seleção brasileira.

Logo nos primeiros jogos assumiu a titularidade e de lá nunca mais saiu. A curiosidade é que,se dependesse dos últimos 9 anos, Fábio teria de esperar um pouco mais para celebrar os 500 jogos. O goleiro teve uma passagem pelo Cruzeiro em 2000, aos 19 anos. O jovem goleiro do União Bandeirante, do Paraná, chegou ao clube para ser o reserva imediato de André. Nessa época, Fábio atuou em apenas quatro partidas e ajudou o clube a ganhar a Copa do Brasil, o único título nacional do arqueiro pelo Cruzeiro.

Na história do clube, apenas seis jogadores alcançaram os 500 jogos. Fábio está à frente de nomes como Tostão, Palhinha e Joãozinho. O próximo da lista é Vanderlei, que jogou 538 vezes, marca que pode ser alcançada pelo goleiro ainda em 2013. O grande recordista é Zé Carlos, que disputou 633 partidas pelo Cruzeiro entre 1965 e 1977.

O goleiro já proporcionou milagres e desastres. A maior das falhas aconteceu na final do campeonato mineiro de 2007. O Cruzeiro perdia por 3 x 0 para o rival Atlético e Fábio, distraído, deu as costas para a saída de bola. O atacante Wanderlei percebeu a desatenção e chutou quase do meio campo, marcando o quarto gol alvinegro e selando a vitória.
Após esse dia, Fábio mudou sua postura e nunca mais falhou em jogos decisivos. A grande maioria da torcida cruzeirense vê em Fábio o grande ídolo desde Alex e Sorín. Outra parte considera o goleiro um dos maiores culpados pela seca de títulos nacionais que assola o clube desde 2003.
Comentários

Alexandre Perdigão é Mineiro, estudante de Direito, ex-futuro Engenheiro Químico, Técnico em Radiologia, apaixonado pelos esportes e principalmente pelo futebol. Graças a seu pai é torcedor roxo(ou azul) do Cruzeiro. Dizem que sua primeira palavra foi "Goool".