A volta de Portaluppi ao Imortal

  • por Eduardo Jenisch Barbosa
  • 8 Anos atrás

 

A terça-feira foi especial para os gremistas. O dia foi marcado pela recepção ao maior ídolo da história do clube, Renato Portaluppi, que está de volta ao comando técnico depois de dois anos. Mais de 7 mil torcedores lotaram o espaço da Geral na Arena para ovacionar o homem que fez os dois gols do título mundial de 1983. Em dezembro, a conquista completa 30 anos e a primeira palavra da coletiva foi dada pelo então e, coincidentemente, atual presidente, Fábio Koff.

A combinação entre os dois campeões, novamente juntos no Grêmio, é o motivo de maior esperança para o torcedor. “É um momento de extrema alegria anunciar a volta de um ídolo. Conheço Renato desde que era um menino e tenho certeza que ele irá trazer de volta a alegria ao time e a euforia ao torcedor.”, afirmou o mandatário.

Fábio Koff ainda completou: “Que o Grêmio volte a jogar com a sua identidade. Ninguém representa mais o clube que tu, o espírito, a vontade, a entrega. No último semestre, examinamos bem todas as questões e vimos que falta espírito, raça e coragem. Não te contratei porque sou teu amigo, mas sim porque o Grêmio precisa de ti para resgatar a imagem vitoriosa. Conte conosco para achar as soluções. Seja feliz conosco, Renato”. A fala foi seguida de um beijo carinhoso de Renato no presidente. Foto simbólica para os gremistas. O ídolo ainda recebeu a camisa 7, “Portaluppi” às costas, alusiva ao Mundial de 1983.

Portaluppi começou sua fala enaltecendo a volta ao clube que ama. O técnico elogiou o plantel, disse que é um dos melhores do Brasil, e garantiu que o Grêmio brigará por títulos. “Como eu falei em 2010, ao invés de xingar, às vezes é preciso um carinho. São grandes jogadores, o que está faltando, de repente, é um empurrão.”.

“É sempre bom voltar a trabalhar com vencedores”, disse em referência ao presidente Koff. Renato elogiou a disputa sadia entre Dida e Marcelo Grohe e, falando sobre todo o elenco, garantiu que escolhe independentemente de idade, status, salário, quem estiver melhor, vai para o jogo.

Sobre o setor ofensivo, Renato respondeu se Zé Roberto e Elano, pela questão da idade, podem jogar juntos. “São dois grandes jogadores, depende muito mais deles jogarem juntos. A partir do momento em que a equipe vence, não tem porque mudar”. O Pirata também foi assunto: “O Barcos é muito bom jogador, inteligente, goleador. Já o conhecia dos tempos de LDU, chegou aqui fazendo gols e ninguém desaprende. Tenho certeza que voltará a marcar”.

Sobre o novo estádio, Portaluppi garantiu: “Isso aqui lotado vira pressão enorme para o adversário. A identidade da Arena com o torcedor vai ser construída aos poucos. Os resultados ajudam neste processo”.

Depois da coletiva, foi a vez de comandar o primeiro treino no gramado da Arena, no qual Renato pisou pela primeira vez e recebeu o abraço caloroso de seu povo. Mais de 7 mil torcedores lotaram o espaço da Geral para receber o ídolo, que acenou de volta e fez reverências aos gremistas.

Será a segunda passagem de Renato como comandante do Tricolor gaúcho. O técnico esteve no Grêmio de agosto de 2010 até 30 de junho de 2011. Na oportunidade, comandou o Clube por 65 jogos, obtendo 33 vitórias, 16 empates e 16 derrotas. O último time treinado por Renato Portaluppi foi o Atlético-PR, no segundo semestre de 2011, justamente o adversário de sua reestreia, no sábado, em Curitiba, na retomada do Campeonato Brasileiro.

Comentários