Fred, me perdoa

  • por Leandro Lainetti
  • 8 Anos atrás

Fred, Fred, quantas vezes, em conversas sobre futebol, me peguei falando sobre você? Muitas, com certeza. Na maioria delas, eu o criticava. Não por ser um perna-de-pau, mas por perceber que você poderia ir muito mais longe do que costumava. Sempre envolvido com lesões, uma passagem sem grande destaque pela Europa, ausências em momentos decisivos do Fluminense.

Ao mesmo tempo em que demonstrava ter a capacidade de ser um dos principais goleadores do mundo, você passava uma impressão de desleixo inacreditável com a própria carreira. Isso me deixava furioso, Fred. Essa camisa 9 da Seleção, que hoje você veste e representa com tanta maestria, era para estar com seu nome há tempos. Mas você não queria, ou talvez fingia não querer.

Foto: Christophe Simon / AFP -

Foto: Christophe Simon / AFP – Fred comemora o título da Copa das Confederações

Deve ser isso. Começo a achar que você apenas nos enganou, fingiu-se de morto e desinteressado, para quando mais precisássemos chegar como salvador da pátria. São nove gols em dez jogos com Felipão no comando. Cinco na Copa das Confederações, dois na final contra a tão temida Espanha. Para mim, não é surpresa nenhuma esse desempenho de verdadeiro camisa 9.

Hoje, você faz jus a todos os elogios que sempre te fiz e cala a minha boca com a vontade demonstrada em campo. E, caramba, aquele cara que vivia no departamento médico jogou a competição toda com a costela trincada! Precisamos bater palmas para a sua atual postura.

Fique tranquilo pois, daqui para frente, sempre que eu falar de você vou tecer todos os elogios que merece, enumerar suas qualidades e falar de seus gols – que agora inclui um deitado com a barriga no chão. Também te defenderei ferrenhamente. Que ultraje dar a um espanhol, com o título em nossas mãos e dentro da nossa casa, a chuteira de ouro. Você fez os mesmos cinco gols que ele, mas sem enfrentar o Taiti, diga-se.

Foto: Nilton Fukuda / Estadão - Decisivo para o título, Fred beija a merecida Taça

Foto: Nilton Fukuda / Estadão – Decisivo para o título, Fred beija a merecida Taça

Apesar de ser totalmente contra comemorações bestas, não se furte de fazer quantos coraçõezinhos quiser. Na atual fase, essas idiotices estão liberadas. Continue nos fazendo felizes e honrando essa camisa que tanto pesa em alguns, mas que parece ser feita de plumas para você.

Finalmente, você está caminhando em busca de todas as glórias que pode conseguir. Até chegar lá, vou torcer sempre por você. Mas aqui, neste momento, só posso fazer uma coisa por ter te criticado tanto: pedir minhas sinceras desculpas.

Tu é o cara, Fred.

Comentários

Jornalista trabalhando com marketing, carioca, 28 anos. Antes de mais nada, não acredito em teorias da conspiração. Até que me provem o contrário, futebol é decidido dentro das quatro linhas. Mais futebol nacional do que internacional. Não vi Zico mas vi Romário, Zidane, Ronaldinho, Ronaldo. Vejo Messi e Cristiano Ronaldo. Totti é pai.