Seleção do Mundial Sub-20

  • por Raniery Medeiros
  • 7 Anos atrás

sub 20

O Mundial Sub-20 tem um novo campeão. Ao vencer o Uruguai, nos pênaltis, a França faturou o seu primeiro título na categoria. Grandes jogos foram realizados e ótimas surpresas apareceram para o mundo do futebol. O Doentes por Futebol montou a seleção do torneio.

Guillermo De Amores (Uruguai): Mesmo sendo vice-campeão, fez um campeonato espetacular. Com apenas 18 anos de idade e mostrando frieza em momentos capitais da partida, ajudou o Uruguai a ser a defesa menos vazada do torneio, sofrendo apenas 3 gols. Bom nas bolas rasteiras e ótimo aproveitamento no mano a mano. Joga no Liverpool (Uruguai). Foi eleito o melhor goleiro do torneio.

Foto: Site da Fifa

Foto: Site da Fifa

Guillermo Varela (Uruguai): Lateral-direito que também pode jogar como ponta mais avançado. Dependendo da situação do Uruguai, como na partida diante da Espanha, Varela foi adiantado e Giménez ficou na defesa. Rápido e com boa leitura de jogo. O Manchester United contratou o jovem de apenas 20 anos de idade.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Kurt Zouma (França): Começou o torneio na reserva. Mas isso mudou no jogo contra a Espanha, ainda pela fase de grupos, quando ganhou a titularidade. Ótima impulsão, forte, raçudo e bom posicionamento. Atua no Saint-Étienne (França).

Foto: Site da Fifa

Foto: Site da Fifa

Gastón Silva (Uruguai): Alto, ótimo nas antecipações e desarma com eficiência. Ao lado de De Amores, foi quem mais passou tempo em campo, com 990 minutos. Na rotação da seleção “Celeste”, também pode atuar como lateral esquerdo. Joga pelo Defensor Sporting (Uruguai).

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Lucas Digne (França): Ótimo lateral-esquerdo. Fez uma brilhante parceria com Thauvin e causou problemas aos adversários. Seu ponto forte é no ataque. Habilidoso e com o tempo de bola correto para fazer a infiltração, ajudou sua seleção a conquistar o título. Já vinha atuando muito bem pelo Lille. Mas, com o ótimo Mundial, acaba de ser vendido para o PSG. O clube parisiense pagou 15 milhões de euros (R$ 44 milhões) e um contrato de cinco anos.

Foto: Sport

Foto: Sport

Paul Pogba (França): Liderou o time com muita maestria. Habilidoso e dono de uma visão de jogo privilegiada, Pogba foi o melhor jogador do torneio. Suas credenciais, já conhecidas na Juventus, foram demonstradas no Mundial. Capitão, líder e organizador, Pogba “desfilou” na Turquia. Fantástico!

Foto: Site da Fifa

Foto: Site da Fifa

Clifford Aboagye (Gana): Jogador polivalente. Com apenas 18 anos de idade, e com muita personalidade, conduziu a sua seleção até as finais. O nascedouro das jogadas da seleção africana começavam em seus pés. Contratado pela Udinese, o camisa 10 tem tudo para desempenhar um bom papel na Itália. Foi eleito o bola de bronze da competição.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Florian Thauvin (França): Baita revelação. O camisa 20 pode jogar no meio de campo e, dependendo das ações adversárias, como ponta. Teve total liberdade para passear pelas zonas de ataque. Dono de dribles curtos, chutes precisos de fora da área e disciplina tática. Jogou a última temporada pelo Bastia (França), mas pertence ao Lille. O Olympique de Marseille já demonstrou interesse nele.

Foto: Site da Fifa

Foto: Site da Fifa

Bruma (Portugal): Rápido, incisivo e autêntico finalizador. Mesmo com a eliminação, ainda nas oitavas de final, chamou a atenção. Fez 5 gols em 4 partidas. Cortejado por grandes clubes europeus, Bruma, que nasceu em Guiné-Bissau, pode atuar como ponta ou centralizado. Atualmente (ainda) é jogador do Sporting (Portugal).

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

Nicolás López (Uruguai): Canhoto muito habilidoso. Foi um dos destaques da ótima seleção uruguaia. Nicolás não tem medo de partir para o mano a mano e possui boa finalização. Seu emocional ainda é um problema. Mas, para um garoto de apenas 19 anos de idade, isso pode ser resolvido mediante o amadurecimento em campo. É jogador da Udinese. Foi o bola de prata do torneio.

Foto: Conmebol

Foto: Conmebol

Ebenezer Assifuah (Gana): Exímio matador. Fez 6 gols e tornou-se artilheiro do torneio. Chuta bem de fora da área, posiciona-se com autoridade na zona letal do ataque e é habilidoso. Ainda peca em alguns momentos quanto ao lado individualista. Joga no Liberty Professionals (Gana).

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

MENÇÃO HONROSA

Alphonse Aréola (França): Decisivo na final, o goleiro fez um bom torneio. Alto, ótimos reflexos e sai bem do gol. É jogador do PSG.

José Giménez (uruguai): Firme e seguro na zaga. Ainda peca no mano a mano, mas compensa com o posicionamento. Atua no Atlético de Madrid.

Abdul Ajagun (Nigéria): Jogador versátil que atua no meio de campo. É um Baixinho habilidoso que gosta de fazer seus golzinhos. É jogador dos Dolphins (Nigéria).

Geoffrey Kondogbia (França): Marcador implacável e tem qualidade no passe. Atleta do Sevilla (Espanha).

Saúl Ñíguez (Espanha): Cabeça erguida, bom passe e chegada em gol. Fez uma boa dupla ao lado de Oliver Torres. Atua no Atlético de Madrid.

Kwon Chang-Hoon (Coréia do Sul): Camisa 10 com primazia no passe. Levou sua seleção até as quartas de final e fez um ótimo mundial. Joga no Suwon Bluewings (Coréia do Sul).

Saif Salman (Iraque): Joga no meio de campo, possui vários recursos nos fundamentos básicos do futebol. O Iraque, maior revelação do torneio, encontrou em Saif o “cara” para municiar o atacante Shakor.

Nicolás Castillo (Uruguai): Chamado de “Zlatan Chileno”, é um atacante rápido e incisivo. Joga pela Uniersidad Católica (Chile).

Jesé Rodríguez (Espanha): Boa presença de área e movimentação intensa no ataque. Grata revelação das categorias de base do Real Madrid. Fez 5 gols no torneio.

Yaya Sanogo (França): Atacante matador e preciso na bola aérea. Fez 4 gols no torneio e demonstrou o seu valor. Vai atuar pelo Arsenal na próxima temporada.

Comentários