Copa do Brasil: velhos conhecidos no mata-mata

  • por João Rabay
  • 8 Anos atrás

Por João Rabay e Matheus Mandy

 

A Copa do Brasil vai chegando à fase final, marcada pela entrada dos times que disputaram a Libertadores deste ano. As oitavas de final começam a serem disputadas nesta terça-feira, com o confronto entre Nacional-AM e Vasco. Para entrar no clima do mata-mata entre grandes clubes, o DPF relembra a história dos duelos que serão repetidos a partir de hoje. Vale lembrar que Luverdense x Corinthians e Internacional x Salgueiro são confrontos inéditos.

 

Vasco x Nacional-AM


Cruzmaltinos e amazonenses se enfrentaram apenas duas vezes em mata-matas, ambas pela Copa do Brasil, nos anos de 1992 e 1995.

Na primeira vez, ainda na fase inicial, o Vasco massacrou: após empate em 1 x 1, fora, o time da Cruz de Malta aplicou um sonoro 5 x 0 em São Januário e avançou. Em 1995, também nas oitavas, o Vasco venceu fora por 2 x 0 e em casa por 4 x 1, indo às quartas.

 

[youtube id=”DGC-xw_pjXo” width=”620″ height=”360″]

[youtube id=”R0qFd_rdNy0″ width=”620″ height=”360″]

 

Palmeiras x Atlético-PR

O Atlético-PR é um bom freguês do Palmeiras em mata-matas. Foram três confrontos, todos pela Copa do Brasil, sempre com triunfo alviverde.

No ano passado, no caminho do título palmeirense, o encontro veio nas quartas de final. Após empate por 2 x 2 em Curitiba, o Palmeiras venceu por 2 x 0 na Arena Barueri, com dois gols marcados no segundo tempo.

Em 2010, pelas oitavas, o Palmeiras também se classificou após vitória em casa e empate fora, mas a ordem das partidas foi diferente. Em casa, 1 x 0, e no jogo de volta, na Arena da Baixada, 1 gol para cada lado.

O primeiro dos confrontos aconteceu em 1992. O Verdão venceu os dois jogos: 1 x 0, com gol de Toninho, no Pinheirão, e 3 x 1, gols de Cuca e Evair (2) para o Palmeiras e Renaldo para o CAP, no Palestra Itália.

[youtube id=”Jf_SKVew6Wk” width=”620″ height=”360″]

[youtube id=”j4Kx2woxGoI” width=”620″ height=”360″]

 

Santos x Grêmio

O confronto entre Santos e Grêmio será o segundo entre as equipes na história da Copa do Brasil. Em 2010, no caminho para o título, os Meninos da Vila liderados por Neymar, Ganso e Robinho viram a eliminação de perto nas semifinais, mas conseguiram virar o duelo jogando em casa.
Na primeira partida, o Peixe abriu 2 x 0 no Olímpico e parecia encaminhar a classificação logo no primeiro jogo. Rodrigo Mancha entrou no segundo tempo, falhou várias vezes e o Grêmio virou para 4 x 2. Robinho marcou um belo gol para diminuir a vantagem gremista. Vale lembrar que Neymar não jogou essa partida.

Na Vila Belmiro, após um primeiro tempo nervoso e sem gols, Ganso marcou um golaço de fora da área para abrir o placar. Robinho ampliou num belo gol por cobertura. Rafael Maques diminuiu, assustando a torcida santista, mas Wesley garantiu a vitória por 3 x 1.

Outras competições

Em 2007, o Grêmio bateu o Santos na semifinal da Libertadores após outro grande confronto. O tricolor venceu em casa por 2 x 0 e abriu o placar no jogo de volta, na Vila. O Santos, liderado por Zé Roberto, hoje no Grêmio, conseguiu virar para 3 x 1, mas faltou um gol para a classificação.

Em 2002, em mais uma semifinal, foi o Santos quem levou a melhor. O 3 x 0 no primeiro jogo, em casa, com show de Robinho, encaminhou a classificação, confirmada na derrota por 1 x 0 em Porto Alegre.

O Santos bateu o Grêmio nas Taças Brasil de 1959 e 1964. Vitória por 4 x 1 e empate sem gols na primeira e triunfos por 3 x 1 e 4 x 3 na segunda.

 

[youtube id=”esrmyvqCX4M” width=”620″ height=”360″]

[youtube id=”6ptcjMAPXv0″ width=”620″ height=”360″]

 

Fluminense x Goiás

Tricolores e Esmeraldinos se esbarraram em torneios de mata-mata apenas uma vez. Foi em 2009, pelas oitavas da Copa do Brasil. No jogo de ida, no Serra Dourada, houve um emocionante empate em 2 x 2. Na semana seguinte, no Maracanã, o empate em 1 x 1 deu a classificação ao Fluminense, devido aos gols marcados como visitante.

 

[youtube id=”71Kvy_hUXtI” width=”620″ height=”360″]

[youtube id=”7-oKIEcblYU” width=”620″ height=”360″]

 

Flamengo x Cruzeiro

Ao todo foram três confrontos pela Copa do Brasil, e o mais emblemático é o que aconteceu por último, em 2003, quando os clubes decidiram a competição. No Maracanã lotado, o Cruzeiro saiu na frente com um golaço de Alex, de letra. Quando todos rubro-negros se conformavam com a derrota, apareceu a estrela de Fernando Baiano, empatando aos 48 do segundo tempo e renovando as esperanças cariocas.

Porém, no jogo de volta, o Cruzeiro massacrou. Antes dos 30 minutos, a equipe mineira já vencia por 3 a 0. O primeiro gol, marcado por Deivid, foi logo no primeiro minuto. Aos 15, o colombiano Aristizábal ampliou, e com 28, o terceiro gol saía graças ao zagueiro Luisão. Na etapa final, Fernando Baiano até diminuiu, mas o título já era cruzeirense.

Na temporada de 1996, os times se encontraram na fase semifinal. No jogo de ida, no Maracanã, empate em 1 a 1, enquanto na volta, o placar não sofreu alterações, classificando o Cruzeiro devido aos gols marcados como visitante.

Antes disso, em 1994, nas quartas de final, o Flamengo eliminou o Cruzeiro, vencendo na ida por 1 a 0, e empatando em 1 a 1 na volta.

Outras competições:

Logo depois da Copa do Brasil de 1995, os times se enfrentaram novamente nas semifinais da Supercopa da Libertadores. No jogo de ida, e Minas, o Fla venceu por 1 a 0, e na partida da volta, no Maracanã, o Rubro-negro não teve dificuldades para meter 3 a 1 e ir à decisão, onde foi derrotado pelo Independiente-ARG.

Os clubes ainda se enfrentaram em outras duas disputas, ambas pela extinta Copa dos Campeões. Na edição de 2001, o Flamengo foi o campeão em cima do São Paulo, mas antes, nas semifinais, o Rubro-negro não teve muitas dificuldades para eliminar o Cruzeiro. Na ida, empate sem gols no Maracanã, e no Mineirão, um sonoro 3 a 0 diante do time celeste. Já na temporada seguinte, a classificação foi definida em jogo único, e o Cruzeiro venceu por 2 a 1, mas na final, foi derrotado pelo Paysandu.

 

[youtube id=”VrPP6G1BhjU” width=”620″ height=”360″]

[youtube id=”-flsXOEV0vE” width=”620″ height=”360″]

 

Atlético-MG x Botafogo

Os alvinegros se enfrentaram em mata-matas por sete vezes, e duas dessas foram pela Copa do Brasil, com triunfos do Glorioso: 2007 e 2008, ambos nas quartas de final. Em 2007, o mais polêmico. Após empate na ida em 0 x 0, o Botafogo vencia a volta por 2 x 1, de virada, com gols de Alex e André Lima. O Galo precisava de um gol para se classificar, e, aos 46 do segundo tempo,  Carlos Eugênio Simón deixou de marcar um pênalti claro de Alex em Éder Luís, revoltando a massa atleticana, que acabou eliminada.

No ano seguinte, um novo confronto e, na partida de ida, outroempate sem gols. A decisão da vaga ficou para o Engenhão e, após um primeiro tempo bem equilibrado, o Glorioso pressionou na segunda etapa, e após cabeçada de Zé Carlos, Wellington Paulista escorou para o gol. Nos acréscimos, em um contra-ataque, Alessandro definiu o marcador.

Em outras competições:
Nos outros cinco mata-matas, vantagem do Botafogo por 3 a 2. O Glorioso eliminou o Galo Mineiro nas edições de 2008 e 2011 da Copa Sulamericana ainda na primeira fase. Já em 1993, pelas semifinais da extinta Conmebol, nova vitória botafoguense em um jogo emocionante no Caio Martins, em Niterói, levando o Glorioso à final, que seria conquistada em seguida. Por sua vez, o Atlético-MG eliminou o Botafogo nas quartas do Brasileirão de 1994 e também na segunda fase da Taça Brasil de 1967, com uma curiosidade: empatados em todos os critérios, o Galo só avançou graças ao último: o cara e coroa.

 

[youtube id=”xTomEgEPRfw” width=”620″ height=”360″]

[youtube id=”C_2WVzTcPiM” width=”620″ height=”360″]

Comentários

Jornalista. Doente por futebol bem jogado e inimigo de jogadores que desistem da bola para cavar falta e de atacantes "úteis porque marcam os laterais".