Guia da Premier League 2013/2014

  • CARDIFF CITY FC – Por Bruno Barbosa

Cidade: Cardiff (País de Gales)

Estádio: Cardiff City Stadium

Em 2012/2013: Disputou a Championship (2ª divisão inglesa)

O cara: Peter Whittingham

O treinador: Malky Mackay (41 anos)

A promessa: Andreas Cornelius – 20 anos, atacante (Foto)

Principal reforço: Gary Medel (volante, Sevilla-ESP)

Principal perda: Heidar Helguson (atacante, se aposentou)

Objetivo na temporada: Lutar contra o rebaixamento.

Time base (4-2-3-1): David Marshall; John Brayford, Steven Caulker (Ben Turner), Hudson e Andrew Taylor; Gary Medel (Aron Gunnarsson), Peter Whittingham, Campbell, Bo-Kyung e Bellamy; Andreas Cornelius.

fffff

Ex-Copenhagen, Andreas Cornelius é a grande aposta de gols do Cardiff City (Foto: Reprodução)

Desde 1899, ano de sua fundação, até o último mês de abril, nunca o Cardiff City havia figurado na primeira divisão inglesa depois que a competição recebeu o nome de Premier League, em 1992. Campeão da Championship, a segunda divisão do país, os Bluebirds se reconstruíram para pelo menos se manterem no topo da pirâmide do futebol inglês, objetivo até viável graças ao bilionário magnata malaio Vincent Tan, que desde 2009 injeta dinheiro sem dó no clube.

Para a Premier League o Cardiff trouxe cinco reforços, o principal deles fechado no último sábado, com a vinda do bom volante chileno Gary Medel, destaque da seleção nacional. Medel possui as principais características de um marcador “cão de guarda”: raça, fôlego de sobra e persistência, virtudes que renderam ao atleta de 26 anos o apelido de “Pitbull” na Espanha. Em termos de valor, a transação de Medel foi a maior já feita pelo clube galês na história.

Outra atração do Cardiff é o jovem e promissor atacante dinamarquês Andreas Cornelius. O garoto de 20 anos cai como uma luva se levarmos em consideração dois sérios problemas com os quais os Bluebirds sofreram na última temporada. O primeiro era a alta média de idade do setor ofensivo. O outro era com relação ao baixo aproveitamento dos atacantes na hora de marcar gols. Com um 4-2-3-1 já testado na pré-temporada, o treinador Malky Mackay tem peças para permanecer na Premier League, como o meio-campo polivalente Whittingham.

  • EVERTON FC – Por Bruno Barbosa

Cidade: Liverpool (Inglaterra)
Estádio: Goodison Park
Em 2012/2013:
O cara: Marouane Fellaini
O treinador: Roberto Martínez (40 anos)
A promessa: Gerard Deulofeu – 19 anos, atacante (Foto)
Principal reforço: Arouna Koné (atacante, Wigan)
Principal perda: Phil Neville (zagueiro, se aposentou)
Objetivo na temporada: Uefa Champions League
Time base (3-5-2/3-4-3): Tim Howard; Sylvain Distin, Jagielka e Alcaraz; Coleman, Baines, Fellaini, Piennar e Leon Osman; Kevin Mirallas (Gerard Deulofeu) e Arouna Koné (Jelavic).

(Foto: Getty Images)

Emprestado pelo Barça para ganhar experiência, Deulofeu já arrancou elogios do técnico Roberto Martínez (Foto: Getty Images)

Para o torcedor do Everton, tão importante quanto começar com o pé direito a busca por bons resultados na Premier League 2013/2014, é ter motivos sólidos para acreditar que a equipe, pela primeira vez sem David Moyes no comando em 11 anos, continuará evoluindo ano após ano. Por isso, o substituto do escocês, o também competente Roberto Martínez, começou a remodelar os Toffees ao seu estilo, trazendo dois jogadores com quem havia trabalhado no Wigan e testando o 3-5-2 que o consagrou nos Latics com o título da última FA Cup.

Sondado por grandes clubes ingleses, Marouane Fellaini deve continuar sendo a principal arma do Everton. Mas jamais a única, principalmente com a chegada do atacante Arouna Koné, que, juntamente com Mirallas e Jelavic, espera engrenar um sistema ofensivo que não foi exemplar na última temporada. O ataque dos Toffees pode ficar ainda mais dinâmico se Martínez quiser lançar o jovem e talentoso Deulofeu, emprestado pelo Barcelona, e alternar o sistema para o 3-4-3.

Atrás, a sacada de jogar com três zagueiros é aproveitar Coleman e Baines como perigosos alas, já que Leon Osman, Piennar e Fellaini, dependendo da escolha de Martínez, estarão por perto para auxiliar o ataque – ou eles próprios decidirem a jogada, pois têm qualidades para isso. De fato, o Everton tem um elenco para sonhar alto na Premier League e ir muito mais longe do que a sexta posição da última temporada.

  • HULL CITY TIGERS – Por Bruno Barbosa

Cidade: Kingston upon Hull
Estádio: KC Stadium
Em 2012/2013: Disputou a Championship (2ª divisão inglesa)
O cara: Ahmed Elmohamady – Meio-campo (Foto)
O treinador: Steve Bruce (52 anos)
A promessa: Robbie Brady – 21 anos (meio-campo)
Principal reforço: Yannick Sagbo (atacante, Evian-FRA)
Principal perda: Tom Cairney (Blackburn Rovers-ING)
Objetivo na temporada: Lutar contra o rebaixamento, meio da tabela.
Time base (3-5-2): Allan McGregor; James Chester, Curtis Davies e Alex Bruce (Maynor Figueroa); David Meyler, Ahmed Elmohamady, Robbie Brady, Stephen Quinn e Robert Koren; Sone Aluko e Yannick Sagbo (Danny Graham).

Elmohamady

Elmohamady foi considerado o melhor jogador dos Tigers na campanha do acesso à Premier League (Foto: Reprodução)

Dias antes da estreia do Hull City na temporada 2013/2014 da Premier League, o clima entre alguns torcedores do clube e Assem Allam, magnata egípcio dono dos Tigers, ficou abalado. A questão é que Assem afirmou em entrevista à imprensa britânica que o clube passará a ter um novo nome a partir de 17 de agosto, se chamando Hull City Tigers e não mais Hull City Association Football Club. A torcida não aprovou a ideia.

Dentro de campo, o técnico Steve Bruce tenta depositar confiança em seus jogadores, dizendo que a equipe, recém-promovida à elite inglesa, está pronta para surpreender na Premier League. Mas o fato é que o elenco do Hull não é para tudo isso. Dos cinco reforços que chegaram, o atacante Yannick Sagbo, conhecido pela força e altura, é o único que pode oferecer algo diferente no ataque, já que tem 25 anos e pode demonstrar alguma evolução. Outro nome que chegou para o setor ofensivo foi o atacante Danny Graham, ex-Sunderland, mas o atleta de 27 anos não convenceu nos últimos clubes e é uma incógnita no Hull.

Para a defesa dos Tigers, armada desde a Championship por Steve Bruce com três zagueiros, a aposta é o beque de 28 anos Curtis Davies, ex-Birmingham. Ele chega para cumprir a função de xerife da zaga. Já o papel de destaque da equipe cai no colo do rápido e flexível meio-campo egípcio Elmohamady, considerado o melhor jogador do Hull na temporada passada. Robbie Brady, meio-campo irlandês de 21 anos, surge como promessa.

  • MANCHESTER CITY – Por Bruno Barbosa

Cidade: Manchester (Inglaterra)
Estádio: Etihad Stadium
Em 2012/2013: Vice-campeão
O cara: Kun Agüero
O treinador: Manuel Pellegrini (59 anos)
A promessa: Stevan Jovetic – 23 anos, atacante (Foto)
Principal reforço: Jesús Navas (meio-campo, Sevilla-ESP)
Principal perda: Carlos Tevez (Juventus-ITA)
Objetivo na temporada: Título
Time base (4-2-3-1 ou 4-4-2): Joe Hart; Zabaleta, Kompany, Nastasic (Lescott) e Clichy; Yaya Touré (Javi García) e Fernandinho; Milner, Nasri e Jesús Navas/David Silva; Agüero (Dzeko/Negredo).

stevan-jovetic-city-600x337

Contratado junto à Fiorentina, Jovetic é cotado para ser um dos destaques do City na temporada (Foto: Site Manchester City)

A temporada 2013/2014 da Premier League começa diferente para os torcedores do Manchester City em comparação com as outras 19 equipes da competição. É que apenas os citizens têm o privilégio de encher o peito, levantar as mãos para o céu e gritar bem alto que, mesmo com a saída de Carlos Tevez, negociado com a Juventus (ITA), o melhor sistema ofensivo do Campeonato Inglês se encontra no Etihad Stadium. O novo técnico da equipe, o chileno Manuel Pelegrini, contratado após a demissão de Roberto Mancini em maio, é quem terá a complicada missão de organizar esse ataque com Edin Dzeko, Agüero, Nasri, David Silva, Jesús Navas, Negredo e Jovetic. Estes três últimos, aliás, juntamente com o meio-campo brasileiro Fernandinho, foram contratados nessa última janela de transferência ao custo total de 107 milhões de euros.

Mas para esse ótimo time do papel ser também vencedor dentro de campo, o desempenho do City precisa ser bem diferente do apresentado nos jogos da pré-temporada. Durante os seis jogos preparatórios, Manuel Pelegrini testou vários jogadores nos sistemas 4-2-3-1 e 4-4-2, apesar do treinador ainda dizer que não tem um time montado e que gostaria de ter mais um reforço para a zaga. Na linha defensiva, o zagueiro Kompany não terá a parceria de Nastasic nos primeiros jogos da temporada, já que o defensor está lesionado. Pelas escalações que Pelegrini fez desde que chegou ao clube, a vaga na zaga poderá ficar com Lescott ou com o volante Javi García.

Caso Pelegrini decida explorar os reforços que chegaram utilizando o sistema 4-2-3-1, Jesús Navas, David Silva e Nasri poderão dar muitas alegrias aos torcedores atuando pelos dois lados do campo e impondo profundidade, enquanto Jovetic poderá ser uma boa opção atuando centralizado e chegando com poder de finalização ao ataque. Também tem o meio-campista Milner, cuja principal característica não é de “winger”, mas tem qualidade para jogar em diferentes posições. Já no 4-4-2, o jovem Jovetic teria condições de formar uma interessante dupla de ataque com Agüero ou Dzeko. Com relação à dupla de volantes, Yaya Touré e Fernandinho, a saída de bola da defesa para o ataque será outro ponto forte da equipe.

  • WEST HAM UNITED FC – Por Bruno Barbosa

Cidade: Londres (Inglaterra)
Estádio: Upton Park
Em 2012/2013: 10º
O cara: Kevin Nolan – meio-campo (Foto)
O treinador: Sam Allardyce (58 anos)
A promessa: Ravel Morrison – 20 anos
Principal reforço: Razvan Rat – (lateral-esquerdo, Shakhtar Donetsk (UCR)
Principal perda:
Objetivo na temporada: Meio da tabela.
Time base (4-5-1): Jaaskelainen; Guy Demel, James Collins, Reid e Razvan Rat; Mark Noble, Mohamed Diamé, Kevin Nolan, Joe Cole (Ricardo Vaz Tê) e Jarvis (Downing); Andy Carroll (Maiga).

(Foto: Reprodução)

Kevin Nolan marcou 10 gols em 35 jogos pelos Hammers na última Premier League (Foto: Reprodução)

Foram 9 vitórias e apenas 3 derrotas em 12 jogos disputados durante a pré-temporada, sendo que dois triunfos foram sobre clubes da primeira divisão alemã e outros dois sobre equipes da elite portuguesa. É um retrospectivo empolgante, mas a realidade do West Ham na Premier League 2013/2014 será outra. Cientes disso, os Hammers foram buscar no Liverpool o winger Stewart Downing, que, apesar de preterido pelos Reds, tem futebol para dar a volta por cima e ser útil em um clube com menos pressão por resultados.

E a felicidade do técnico Sam Allardyce ficou completa com a chegada do lateral esquerdo romeno Razvan Rat, que, analisando custo-benefício, foi um chute no ângulo. Rat, capitão da seleção da Romênia e destaque do Shakhtar Donetsk, veio de graça ao West Ham. “Ele joga em alto nível há muito tempo”, disse Allardyce sobre o experiente atleta de 32 anos.

Artilheiro dos Hammers na última Premier League com 10 gols, o meio-campo e capitão do time Kevin Nolan tem a estabilidade como uma de suas características, vide os 35 jogos que disputou num total de 38 da edição passada. Onze anos mais jovem que Nolan, Ravel Morrison, ex-Manchester United, mostrou diante do Sporting (POR), na pré-temporada, o porquê do rótulo de possível promessa do West Ham. Ele marcou dois dos três gols da equipe. No ataque, seguindo a preferência de Allardyce pelo 4-5-1 – apesar de possíveis alterações -, Andy Carroll, agora comprado em definitivo pelo clube, carrega a responsabilidade de fazer gols.

  • CHELSEA FC – Por Gregor Vasconcelos

Cidade: Londres
Estádio: Stamford Bridge
Em 2012/2013: 3º
O cara: Juan Mata
O treinador: José Mourinho 
A promessa: Kevin De Bruyne
Principal reforço: André Schurrle
Principal perda: –
Objetivo na temporada: Titulo
Time base (4-2-3-1): Cech; Ivanovic, Terry, Cahill, Cole; David Luiz, Ramires, Hazard, Mata, Oscar; Torres

Foto: Chelsea.com - a volta de José Mourinho é o principal reforço do Chelsea para a nova temporada

Foto: Chelsea.com – a volta de José Mourinho é o principal reforço do Chelsea para a nova temporada



Sem muitas contratações para a temporada (Schurrle é o único jogador contratado pelos Blues até aqui), talvez o maior reforço do Chelsea seja a volta de José Mourinho à Premier League. O “Special One” volta ao clube aonde se tornou um ídolo, mas vê, dessa vez, uma Premier League diferente onde a vantagem financeira do Chelsea sobre os outros clubes não existe.

Mesmo sem muitas mudanças em relação ao time que terminou em terceiro ano passado, o Chelsea chega nessa temporada como favorito ao título graças a seu novo treinador. Com o já excelente meio campo reforçado ainda mais com os promissores Kevin De Bruyne e André Schurrle, além de Lukaku (que volta ao clube depois de ótima temporada pelo West Brom) chegando para fazer sombra a Fernando Torres, o Chelsea possui talvez a linha de frente mais potente da Premier League. A única adição que eles devem tentar fazer à parte ofensiva do elenco até o final da janela deve ser a contratação de um atacante – Rooney ainda é especulado.

Na parte defensiva, o time continua o mesmo que teve dificuldades em diversos momentos no ano passado. No fim da temporada, Benitez parece ter encontrado a formação ideal com David Luiz, às vezes comprometedor na zaga, atuando como volante. Mesmo com isso, o clube deveria buscar mais peças para o setor, já que John Terry já está com 33 anos e Cahill vem se mostrando irregular desde a sua chegada ao Chelsea. Mesmo com algumas deficiências no setor, os times de Mourinho são conhecidos por seus sólidos sistemas defensivos – em 2004/2005, seu Chelsea sofreu apenas 15 gols em 38 jogos – então é difícil imaginar que o técnico não tenha tudo sob controle.

  • SOUTHAMPTON FC – Por Gregor Vasconcelos

Cidade: Southampton
Estádio: St. Mary’s
Em 2012/2013: 14º
O cara: Rickie Lambert
O treinador: Mauricio Pochettino 
A promessa: –
Principal reforço: Victor Wanyama
Principal perda: –
Objetivo na temporada: Ficar na parte de cima da tabela
Time base (4-2-3-1): Boruc; Shaw, Fonte, Lovren, Clyne; Wanyama, Schneiderlin, Lallana, Puncheon, Ramirez; Lambert

Foto: Reuters - Lambert continua sendo o principal nome do Southampton

Foto: Reuters – Lambert continua sendo o principal nome do Southampton


Depois de uma temporada de re-estreia tranquila na Premier League, na qual o clube fugiu do rebaixamento com relativa tranquilidade, o Southampton não apenas manteve seus principais jogadores (Rickie Lambert e Gaston Ramirez), como conseguiu adicionar algumas boas peças ao seu elenco, como o volante Wanyama do Celtic e o defensor Dejan Lovren do Lyon.

A campanha desde que Pochettino assumiu foi positiva, mesmo que o Sotton tenha ficado sem vitória nos últimos seis jogos da temporada, quando o fantasma do rebaixamento já não assombrava mais o clube. Eles bateram clubes como Chelsea e Liverpool em casa, além de terem apresentado um ótimo futebol.

Apesar de ainda estar distante de sonhar com uma vaga na Europa League, o Southampton mais uma vez deve permanecer na Premier League, desta vez tentando terminar na metade de cima da tabela, o que é bem possivel com os bons reforços na defesa, o setor mais fraco da equipe. Com esses reforços aliados à já boa linha de frente, é difícil imaginar o Southampton sofrendo algum risco de rebaixamento. 

  • CRYSTAL PALACE FC – Por Gregor Vasconcelos

Cidade: Londres
Estádio: Shellhurst Park
Em 2012/2013: Championship (subiu através dos play-offs)
O cara: Kevin Phillips
O treinador: Ian Holloway 
A promessa: –
Principal reforço: Chamakh
Principal perda: – Zaha
Objetivo na temporada: Fugir do rebaixamento
Time base (4-4-2): Speroni; Ward, Delaney, Moxey, Gabbidon; Dikgacoi, Garvan, Thomas, Jedinak; Chamakh, Phillips

Foto: Cpfc.co.uk - Sem muito dinheiro no caixa, o Palace resolveu apostar no marroquino Chamakh, que vinha esquecido no Arsenal

Foto: Cpfc.co.uk – Sem muito dinheiro no caixa, o Palace resolveu apostar no marroquino Chamakh, que vinha esquecido no Arsenal

O Crystal Palace deve encontrar grande dificuldade para se manter na Premier League nessa temporada dentre os times promovidos. O nome de maior expressão da equipe é o veterano Kevin Phillips (40 anos) que marcou, de pênalti, o gol que deu a vitória sobre o Watford nos play-offs do Championship.

Sem dinheiro para muitas contratações, os principais reforços do time foram o atacante Chamakh, que vem de dois péssimos anos no Arsenal, e o meia Jerome Thomas, que veio do West Brom (tanto que foi emprestado para o Leeds em Janeiro, onde pouco atuou). A defesa, calcanhar de Aquiles do Crystal (foram 62 gols sofridos em 46 jogos, o pior desempenho entre os 10 primeiros colocados) continua sem reforços de expressão e a principal estrela da equipe (Wilfried Zaha) foi para o Manchester United.

O time se parece com o último que Holloway levou a Premier League, o Blackpool. Uma equipe bem entrosada no ataque (foram 73 gols marcados no Championship, menos apenas que o Watford), mas que provavelmente será rebaixada por conta de sua pífia retaguarda. Se as coisas continuarem da maneira que estão, é provavel que o Palace jogue um futebol interessante e consiga a simpatia de todos, mas que não se mantenha na primeira divisão.

  • ARSENAL FC – Por Gregor Vasconcelos

Cidade: Londres

Estádio: Emirates Stadium

Em 2012/2013: 4o Lugar

O cara: Santi Cazorla

O treinador: Arsene Wenger

A promessa: Gedion Zelalem

Principal reforço: –

Principal perda: Gervinho

Objetivo na temporada: classificação para a Champions League

Time base (4-3-3): Szczesny; Sagna, Koscielny, Mertesacker, Monreal; Arteta, Wilshere, Cazorla; Walcott, Podolski, Giroud

Foto - Reprodução - A falta das contratações de peso prometidas a torcida preocupam no Arsenal

Foto – Reprodução – A falta das contratações de peso prometidas a torcida preocupam no Arsenal

Sem nenhum reforço de peso até agora (a única chegada foi do atacante Yaya Sanogo que vem apenas para compor o elenco), a briga do Arsenal na temporada será somente para a Champions League. Apesar da excelente arrancada no final da última temporada, o elenco (ainda mais enxuto com as saídas de vários jogadores) continua muito longe de ser capaz de brigar pelo título devido à carência de opções em praticamente todas as posições.

No gol, apesar de promissor, Szczesny não passa muita segurança por conta de sua irregularidade e falta de experiência. Na zaga, são só três opções: os bons Koscielny, Mertesacker e Vermaelen. O último deve perder as primeiras semanas da temporada graças a um problema nas costas. Na volância, as únicas opções são Arteta e Ramsey, ambos mais confortáveis quando jogam um pouco mais adiantados. No ataque, o irregular Giroud é a única opção como centro-avante, já que o recém-chegado Sanogo é uma incognita.

Muitos investimentos são necessários para que o Arsenal possa voltar a sonhar em conquistar seu primeiro título em 8 anos. Agora chegou a hora de Wenger e Gazidis mostrarem o dinheiro que dizem ter para dar vazão à ambição do clube.

  • MANCHESTER UNITED FC – Por Gregor Vasconcelos

Cidade: Manchester
Estádio: Old Trafford
Em 2012/2013: Campeão
O cara: Robin van Persie
O treinador: David Moyes
A promessa: Zaha 
Principal reforço: –
Principal perda: –
Objetivo na temporada: Titulo
Time base (4-4-2): De Gea; Rafael, Vidic, Ferdinand, Evra; Carrick, Cleverley, Kagawa, Giggs; Rooney e van Persie

Foto: Reprodução - A possivel saida de Rooney foi um dos assuntos mais comentados nessa pré-temporada

Foto: Reprodução – A possivel saida de Rooney foi um dos assuntos mais comentados no mercado europeu

Após a troca de técnico e uma pré-temporada conturbada marcada pelo pedido de transferência de Wayne Rooney e resultados ruins nos jogos que o clube fez em sua ‘tour’ pela Asia, o United vem como uma incógnita para a atual temporada.

A única chegada foi do promissor Wilfried Zaha que assinou em janeiro, mas só chegou agora do Crystal Palace. As tentativas frustradas de contratar Fabregas e outros nomes para a criação de jogadas preocupam Moyes, já que essa continua sendo a maior fraqueza da equipe de Manchester.

É difícil prever se Moyes conseguirá lidar com a pressão de treinar um clube grande onde títulos são obrigação (ele não ganhou nenhum em todos os seus anos treinando o Everton) e suceder um dos maiores treinadores de todos os tempos. Mas, com o mesmo time que ganhou o campeonato passado (caso o United mantenha a posição sobre a venda de Rooney), é dificil imaginar o United longe das primeiras posições. Vale lembrar, entretanto, que seus principais rivais (Manchester City e Chelsea) vêm bem mais fortes para esta temporada, enquanto os diabos vermelhos ficaram parados no tempo.

 

  • STOKE CITY – por Daniel Guerreiro

Cidade: Stoke-on-Trent
Estádio: Britannia Stadium
Em 2012/2013: 13º
O cara: Ryan Shawcross (foto)
O treinador: Mark Hughes
A promessa: Jack Butland
Principal reforço: Erik Pieters
Principal perda: Dean Whitehead
Objetivo na temporada: Permanecer na Premier League
Time base (4-3-2-1): Begovic, Cameron, Huth, Shawcross, Pieters, N’Zonzi, Whelan, Adam, Etherington, Walters e Crouch.

Foto: Reprodução. Apesar de jovem, Shawcross é um líder dentro de campo

Foto: Reprodução. Apesar de  ser jovem, Shawcross é um líder dentro de campo.

De técnico novo, o Stoke promete mudar um pouco o seu estilo “feio” de jogar futebol. Desde quando subiram para a Premier League, os Potters apostam nas jogadas aéreas, seja com escanteios ou arremessos laterais. Para isso, utilizarão o gigante Peter Crouch para infernizar as defesas adversárias pelo alto.

O time base é praticamente o mesmo da temporada passada, que, em alguns momentos, correu o risco de ser rebaixado. O principal reforço é o experiente lateral-esquerdo Pieters, ex-PSV, que provavelmente será titular. Outro que veio de um grande clube foi o zagueiro Muniesa, ex-Barcelona, só que este é uma incógnita, visto que nunca conseguiu se firmar no time catalão por sofrer durante toda a carreira com lesões. Na defesa, o Stoke é um dos mais privilegiados na EPL. Além de já contar com Sorensen e Begovic, os Potters contrataram a promessa Jack Butland, ex-Birmingham, que já jogou pelo English Team.

  • WEST BROMWICH ALBION – por Daniel Guerreiro

Cidade: West Bromwich
Estádio: The Hawthorns
Em 2012/2013:
O cara: Youssouf Mulumbu (foto)
O treinador: Steve Clarke
A promessa: Matej Vydra
Principal reforço: Nicolas Anelka
Principal perda: Romelu Lukaku
Objetivo na temporada: Permanecer na Premier League e ficar entre os 10 primeiros
Time base (4-4-2): Foster, Jones, McAuley, Olsson, Ridgewell, Yacob, Mulumbu, Morrison, Brunt, Vydra e Anelka.

Foto:Reprodução. Mulumbu é o motor do time do WBA

Foto:Reprodução. Mulumbu é o motor do time do WBA


Com a volta de Lukaku ao Chelsea, artilheiro do WBA na Premier League passada com 17 gols, o técnico Steve Clarke viu a necessidade de qualificar seu poderio ofensivo. Além disso, o instável Odemwingie não esconde sua vontade de sair do clube. Com isso, dois jogadores chegaram para reforçar o ataque do clube: Nicolas Anelka, atacante com anos de experiência no futebol inglês, mas que não vem de um bom momento no chinês Shanghai Shenshua, e o jovem atacante tcheco Matej Vydra, que marcou 20 gols em 41 jogos na última temporada pelo Watford e foi eleito o melhor jogador da segunda divisão inglesa, na temporada passada.

O time base ainda é o mesmo de temporadas anteriores, o que provavelmente ajudará o clube a manter-se seguro na EPL, como fez anteriormente. Para a defesa, o WBA se reforçou com o uruguaio Diego Lugano. No entanto, não é provável que ele seja titular, visto que Olsson e McAuley terminaram a temporada 2012/13 em alta.

  • FULHAM – por Daniel Guerreiro

Cidade: Londres
Estádio: Craven Cottage
Em 2012/2013: 12º
O cara: Dimitar Berbatov
O treinador: Martin Jol
A promessa: Alexander Kacaniklic
Principal reforço: Maarten Stekelenburg
Principal perda: Mark Schwarzer
Objetivo na temporada: Buscar uma vaga na Copa da Uefa e permanecer na Premier League.
Time base (4-4-1-1): Stekelenburg, Riether, Hughes, Hangeland e Riise; Sidwell, Karagounis, Duff e Kacaniklic; Ruiz; Berbatov.

Foto:Reprodução. Berbatov é a esperança de gols do Fulham.

Foto:Reprodução. Berbatov é a esperança de gols do Fulham.

Depois de fazer uma temporada abaixo do esperado, o Fulham, agora com um novo dono (linkar com a matéria que eu fiz sobre isso), pretende alçar vôos mais altos na Premier League.

A perda mais significativa foi do experiente goleiro Schwarzer, que foi para o Chelsea. No entanto, o técnico Martin Jol repôs a saída muito bem com a contratação do holandês Stekelenburg, ex-Roma. A aposta é o bom meia-atacante Taarabt, ex-QPR, que, apesar de ter sido muito irregular no lanterna da Premier League passada, já mostrou talento e pode vir a ser uma peça útil para o elenco do Fulham. Outro bom reforço é o atacante Darren Bent, com experiência de sobra na Premier League, que foi emprestado ao Fulham pelo Aston Villa.

Em relação ao time titular, a esperança de gols é com o búlgaro Berbatov, que marcou 15 gols na última Premier League. Os experientes Karagounis e Hangeland são peças fundamentais no time, juntamente do bom meia-atacante Bryan Ruiz.

  • SWANSEA CITY – por Lucas Cavalcante

Cidade: Swansea, País de Gales

Estádio: Liberty Stadium

Em 2012/2013: 9º colocado

O cara: Michu

O treinador: Michael Laudrup (49 anos)

A promessa: Jonjo Shelvey 22 anos (meio campo)

Principal reforço: Wilfred Bony (atacante, Vitesse-HOL)

Principal perda: –

Objetivo na temporada: vaga na Europa League

Time base (4-2-2): Vorm, Richards, Williams, Chico e Taylor; Cañas, De Guzman, Dyer e Routledge; Michu e Bony

Foto: Reprodução - Michu foi o principal jogador da grande temporada feita pelo Swansea

Foto: Reprodução – Michu foi o principal jogador da grande temporada feita pelo Swansea

A campanha do Swansea em 2012/2013 foi excelente. Sem passar sustos, o time ainda venceu a Carling Cup, conquista histórica em seu centenário. Ter conquistado a vaga na Europa League e seu primeiro título de expressão fez com que os torcedores dos swans se orgulhassem muito do time.

Depois de uma temporada mágica, a base foi mantida. Sem saídas significativas, o time de Michael Laudrup fez um mercado pontual e agora conta com um time ainda mais forte para 2013/2014. A dupla de ataque Michu e Bony vai dar o que falar. O espanhol, que foi artilheiro do time galês fazendo 18 dos 47 gols da equipe, agora tem um companheiro à altura. O marfinense chegou do Vitesse por cerca de 13 milhões de euros. Seu estilo de jogo é comparado ao do Drogba.

Jogando vários torneios ao mesmo tempo, o Swansea terá que se desdobrar para conseguir algo na Europa League. A competição não está nada fácil, vários times que poderiam estar jogando a Champions League figuram no campeonato de segundo escalão europeu. Na Premier League, o clube passará bem longe de brigar pelo rebaixamento, mas também não deverá disputar uma vaga na Champions. Irá defender o título da Carling cup e, caso não seja campeão, deve brigar pela vaga na Europa League.

  • NORWICH CITY – por Lucas Cavalcante

Cidade: Norwich

Estádio: Carrow Road

Em 2012/2013: 11º

O cara: Van Wolfswinkel

O treinador: Chris Hughton

A promessa: Fer

Principal reforço: Van Wolfswinkel

Principal perda: Grant Holt

Objetivo na temporada: Ficar na parte de cima da tabela

Time base (4-2-2): Ruddy; Whittaker, Bassong, Martin e Olsson Martin; Snodgrass, Leroy Fer, Pilkington e Bradley Johnson; Wolfswinkel e Hooper

Foto: reprodução - O Noriwch gastou cerca de 10 milhões de euros para contratar o Wolfswinkel

Foto: reprodução – O Noriwch gastou cerca de 10 milhões de euros para contratar o Wolfswinkel

Após fazer uma temporada surpreendente, o Norwich passou longe da briga para não cair. O time comandado por Chris Hughton ficou na famosa “zona morta”. Fez um campeonato bastante tranquilo, assegurando sua permanência na Premier League.

Apesar de ter perdido seu artilheiro e principal jogador, Holt, os Canários não se abalaram e fizeram um mercado de time grande. O destaque da pré-temporada foi o recém-contratado Gary Hooper, centroavante inglês que é um exímio fazedor de gols.

O Norwich tem tudo para fazer uma boa temporada. Se com um elenco pior já passou longe do rebaixamento, quem dirá agora. Devem ficar na parte de cima da tabela, porém não brigarão por uma vaga na Europa League, a não ser que surpreendam na Carling ou Fa Cup.

  • TOTTENHAM HOTSPURS – por Lucas Cavalcante

Cidade: Londres, Inglaterra

Estádio: White Hart Lane

Em 2012/2013: 5º colocado

O cara: Gareth Bale

O treinador: André Villas Boas (35 anos)

A promessa: Andros Townsend – 22 anos (winger)

Principal reforço: Roberto Soldado (Atacante, Valencia)

Principal perda: Clint Dempsey (Seattle Sounders-EUA)

Objetivo na temporada: vaga na Champions League

Time base (4-3-3): Lloris, Walker, Dawson, Vertonghen e Ekotto; Sandro, Dembélé e Paulinho; Bale, Lennon e Soldado.

Foto: reprodução - Vertonghen espera repetir as boas atuações da última temporada

Foto: reprodução – Vertonghen espera repetir as boas atuações da última temporada

Apesar de boa, a temporada 2012/13 foi novamente frustrante para o clube. Em 15 anos, foi o primeiro time da EPL a fazer 72 pontos e não ir para a Champions League. A melhor campanha da história do Tottenham não foi suficiente para alcançar seu objetivo.

O time de Villas Boas faz ótimo mercado. Paulinho e Soldado foram as principais contratações. Depois de muito tempo, os Spurs passam a ter um 9 de confiança. O time londrino se dá o luxo de ter um plantel qualificado e recheado de opções.

A permanência do astro Bale é uma incógnita. Ao que parece, sairá para o Real, e muita coisa irá mudar em White Hart Lane, se isso de fato acontecer. A campanha do Tottenham muito se passa pela permanência do galês, ou pelas reposições que serão feitas. Independente de tudo isso, os Spurs devem brigar fervorosamente por uma vaga na Champions.

  • LIVERPOOL FOOTBALL CLUB- por Lucas Cavalcante

Cidade: Liverpool, Inglaterra
Estádio: Anfield Road
Em 2012/2013: 7º colocado
O cara: Luis Suárez
O treinador: Brendan Rodgers (40 anos)
A promessa: Philippe Coutinho – 21 anos (meio campo)
Principal reforço: Simon Mignolet (Goleiro, Sunderland)
Principal perda: Pepe Reina (Napoli-ITA)
Objetivo na temporada: vaga na Champions League
Time base (4-2-3-1): Mignolet; Glen Johnson, Skrtel, Agger e José Enrique; Lucas Leiva, Henderson, Steven Gerrard, Sturridge e Coutinho; Suárez.

Foto: reprodução - Desde 1998 no clube, Gerrard se prepara para mais uma temporada

Foto: reprodução – Desde 1998 no clube, Gerrard se prepara para mais uma temporada

Depois de uma temporada de altos e baixos, o Liverpool vem fortalecido para 2013/2014. Após vender alguns dos jogadores que não fizeram valer o investimento, como Carrol e Downing, as contratações foram poucas, mas pontuais. O goleiro Mingnolet, o polivalente Aspas e o zagueiro Touré chegaram por preços acessíveis e vão somar muito ao elenco.

O time de Brendan Rogers fez um bom final de campeonato, fazendo crescer a esperança dos torcedores de ter uma temporada melhor em 13/14. Com um elenco renovado e cheio de bons valores, os Reds estarão mais fortes na briga por uma vaga na Champions League. Philippe Coutinho, que fez um grande segundo semestre na última temporada, tem tudo para ter desempenho ainda melhor, mantendo a evolução. O brasileiro já é queridinho da torcida, e sua camisa é uma das mais procuradas pelos scousers.

A novela envolvendo o uruguaio Suárez ainda é um problema. O camisa 7 foi a estrela da equipe na última temporada, esteve insatisfeito e quis sair. Sua perda seria de difícil reposição, mas, ao que parece, está cada vez mais inclinado a ficar. Muito se falou na contratação do brasileiro Willian, do Anzhi, que está agora praticamente certo com o Chelsea.

Com elenco fechado ou não, o fato é que o penta campeão europeu, que era o maior campeão nacional até poucos anos atrás, mas nunca ganhou uma Premier League (criada em 1992), vem fortalecido, querendo dar alegrias a sua torcida, coisa que não acontece há bastante tempo.

  • ASTON VILLA – por Daniel Guerreiro e Ricardo Assis

Cidade: Witton, West Midlands

Estádio: Villa Park

Em 2012/2013: 15º

O cara: Christian Benteke

O treinador: Paul Lambert

A promessa: Nicklas Helenius

Principal reforço: Antonio Luna

Principal perda: Darren Bent

Objetivo na temporada: ficar entre os 10 sem passar sustos, como na temporada passada.

Time base(4-3-1-2): Guzan, Lowton, Vlaar, Baker, Luna, El Ahmadi, Westwood, Delph, Weimann, Agbonlahor e Benteke.

Foto: reprodução -  Depois de muita espulação, Benteke renovou com o Aston Villa

Foto: reprodução – Depois de muita especulação, Benteke renovou com o Aston Villa.

Após fazer uma péssima temporada em 2012/2013, o Aston Villa pretende obter resultados melhores nessa temporada. O time base é praticamente o mesmo da temporada, apenas com a adição do lateral-esquerdo espanhol Antonio Luna, vindo do Sevilla. A esperança de gols continua sendo o belga Benteke, que apesar de ter pedido para sair do Villa e quase acertado com o Tottenham, renovou o seu contrato e permaneceu no time. Para serví-lo, o técnico Paul Lambert conta com Agbonlahor, jogador mais do que acostumado a jogar a Premier League. O bom meia-atacante austríaco Andreas Weimann também é peça fundamental no time.

A aposta é o jovem atacante dinamarquês Nicklas Helenius, ex-Aalborg-DIN, que já passou pela seleção principal da Dinamarca. No campeonato dinamarquês, Helenius marcou 40 gols em 3 anos e mais de 100 jogos pelo seu ex-clube.

  • SUNDERLAND ASSOCIATION FOOTBALL CLUB

Cidade: Sunderland
Estádio: Stadium Of Light
Em 2012/2013: 17º
O cara: Sessegnon
O treinador: Paolo Di Canio (foto)
A promessa: Jozy Altidore
Principal reforço: Giacherinni
Principal Perda: Mignolet
Objetivo na temporada: Permanecer na Premier League com uma campanha digna.
Time Base: Mannone, Wes Brown, John O’shea, Carlos Cuellar, Diakite, Larsson, Gardner, Sessegnon, Adam Johnson, Altidore, Steven Fletcher.

Foto: Reprodução | O sempre polêmico Di Canio, técnico do Sunderland

Foto: Reprodução | O sempre polêmico Di Canio, técnico do Sunderland.


Depois de ter feito uma Premier League 2012/13 desastrosa na reta final, o Sunderland, mudado, busca melhorar sua imagem. Com bons reforços na parte ofensiva (Altidore, Giacherinni), os “black cats” buscam uma melhora significativa nessa temporada, depois de terem brigado ferrenhamente contra o descenso. O americano Altidore é a aposta do Sunderland para melhorar seu ataque, que foi muito mal na temporada passada (apenas 41 gols em 38 jogos).

O time não mudou muito, mas ganhou duas boas peças na linha de frente, que, em muitas oportunidades, se mostrou ineficiente (Fletcher mostrou pouco). Almeja permanecer na Premier League e, quem sabe, ficar entre os 10 primeiros.

  • Newcastle United FC – Por Gregor Vasconcelos

Cidade: Newcastle
Estádio: St. James’ Park 
Em 2012/2013: 16o Lugar
O cara: Hatem Ben Arfa
O treinador: Alan Pardew
A promessa: Davide Santon
Principal reforço: Loic Remy
Principal perda: –
Objetivo na temporada: Fugir do rebaixamento
Time base (4-2-3-1): Tim Krul; Debuchy, Coloccini, S. Taylor, Santon; Sissoko, Tiote, Ben Arfa, Gutierrez, Obertan; Cisse

Foto: PA - Apontado por Pardew como a peça-chave da equipe, Cabaye pode estar de saida rumo ao Arsenal ou PSG

Foto: PA – Apontado por Pardew como a peça-chave da equipe, Cabaye pode estar de saida rumo ao Arsenal ou PSG.



Sem nenhum reforço e com o risco de perder seus principais jogadores antes do final da janela – Cabaye e Krul têm propostas do Arsenal -, o Newcastle pode ser mais uma vez assombrado pelo fantasma do rebaixamento. Depois de uma excepcional temporada em 2011/12, quando terminou na quinta colocação, o clube se acomodou e passou a temporada seguinte inteira lutando contra o descenso, garantindo a permanência na Premier League apenas na penúltima rodada.

Outro grande problema do Newcastle é que Ben Arfa, considerado por muitos a grande estrela do time que terminou na quinta colocação duas temporadas atras, volta a fazer jus a sua fama de descompromissado. Acima do peso durante toda a temporada passada, o jogador voltou ainda visivelmente fora de forma, sem contar a falta de vontade que o francês vem mostrando em campo.

O clube precisa agir rapidamente nos últimos dias da janela se pretende ter uma temporada tranquila, porque o fraco elenco, que foi um grande problema na temporada passada, pode voltar a complicar os Magpies em 2013/14.

Comentários

Jornalista esportivo. Blogueiro na Gazeta Esportiva.com e colunista no Doentes por Futebol e Sportskeeda.com. E-mail: barbosa.bruno[email protected]