Tata Martino: sua passagem pelo Newell’s e sua missão no Barcelona

  • por Gustavo Ribeiro
  • 7 Anos atrás
Foto: FootballGeral - Gerardo "Tata" Martino

Foto: FootballGeral – Gerardo “Tata” Martino

Gerardo “Tata” Martino é o novo técnico do Barcelona. Mesmo com nomes como os de André Villas-Boas, Bielsa e Luis Henrique, o eX-técnico do Newell’s foi o escolhido para substituir Tito Vilanova. Pelo fato de Martino não ter trabalhado na Europa, chega com muita desconfiança, como muitos que estivessem em seu lugar também chegariam, tirando nomes como Jupp Klopp e Jupp Heinckes, que também chegaram a ser especulados.

No seu currículo de treinador, Martino tem um trabalho de cinco anos no Liberdad, levando o clube a uma semifinal de Libertadores: levou a seleção paraguaia às semifinais da Copa do Mundo de 2010, sendo eliminado em um jogo duro para a campeã Espanha; e, por último, seu trabalho no Newell’s, onde conquistou o Torneo Final 2013 e levou o clube às semifinais da Libertadores.

Quando jogador, Martino era um ótimo meio-campista. Sua melhor fase foi no próprio Newell’s, no qual jogou por 16 anos e conquistou três títulos nacionais, sendo que em dois desses títulos, teve Bielsa como seu técnico. Sempre um líder dentro de campo, “Tata” era sempre a voz do “El Loco” dentro de campo e, com isso, acompanhava seu trabalho mais de perto, E passou a admirá-lo.

Em 1998, quando decidiu seguir a carreira de treinador, não teve dúvidas e se tornou mais um dos discípulos do “El Loco” Bielsa. No Newell’s, onde fez seu melhor trabalho, adotou um 4-3-3, sempre variando para um 3-4-3. Assim como o Barcelona na época de Guardiola. Na equipe de Rosário, Martino usava o 4-3-3, com um tripé de meio-campistas bem centralizados. No ataque, dois pontas incisivos e um centroavante com mobilidade.

Foto: Reprodução - Linha de quatro defensores e o tripé do meio-campo

Foto: Reprodução – Linha de quatro defensores e o tripé do meio-campo

Sem a posse de bola, o time se posicionava num 4-1-4-1 bem compacto. Os atacantes recuavam para a linha dos meias, deixando o primeiro volante entre as duas linhas de 4.

Foto: Reprodução - o 4-1-4-1 do time quando estava sendo atacado

Foto: Reprodução – o 4-1-4-1 do time quando estava sendo atacado

Com a bola, atacava no 3-4-3, com os laterais tendo total liberdade para apoiar e o primeiro volante recuando e fazendo um terceiro zagueiro

Foto: Reprodução - 3-4-3 da equipe com a bola

Foto: Reprodução – Flagrante do 3-4-3 do Newell’s no jogo contra o Boca Juniors, pela Copa Libertadores 2013. As setas de preto, mostram os laterais avançando.

Desde que chegou ao Newell’s, Tata comandou o time em 71 jogos e obteve 36 vitórias, 18 empates e 17 derrotas. Foram 101 gols marcados. Martino levou o clube à sexta colocação do Clausura 2012, segunda posição no Torneo Inicial do mesmo ano, campeão do Torneo Inicial 2012 e levou o clube às semifinais da Libertadores desse ano.

No Barcelona, Martino deverá manter o 4-3-3 e que também variava para o 3-4-3, que Guardiola e Tito usavam. Manter a posse da bola, paciência para escolher o melhor momento para atacar, velocidade e aproximação para ser opção de passe para o companheiro. Com certeza, Martino tentará implantar (ou manter) essas características.

Mas seu maior problema deverá ser a renovação do elenco, o qual possui jogadores como Xavi e Puyol, que não conseguem manter o mesmo ritmo de uma ou duas temporadas atrás. O que pode dificultar um pouco seu trabalho no clube, já que esses dois são líderes dentro do elenco. Outra dura missão vai ser acabar com a dependência de Messi, e nisso, Neymar terá um papel fundamental.

Texto publicado originalmente no FootballGeral

Comentários

Projeto de jornalista, mineiro, 20 anos. Viu que não tinha muito futuro dentro das quatro linhas e resolveu trabalhar dando seus pitacos acompanhando tudo relacionado ao futebol, principalmente quando a pelota rola nas canchas dos nossos vizinhos sul-americanos. Admirador do "Toco y me voy" argentino, também escreve no Sudaca FC e tem Riquelme e Alex como maiores ídolos.