ASSOEVA utiliza goleiro linha de forma inusitada

Goleiro Basílio, da ASSOEVA

Não é incomum, no futsal, utilizar o goleiro para armar as jogadas. As regras dizem que, após sair do goleiro, a bola só pode retornar a ele após bater em um jogador adversário, ou ultrapassar a linha central. Por isso, quando o time está perdendo, é normal que o goleiro se adiante, deixando os quatro jogadores da linha posicionados no campo de ataque, e comece a organizar as jogadas.

Quando o jogo parece perdido, é possível ainda entrar com o goleiro-linha. Nessa situação, o goleiro sai de quadra, e em seu lugar entra um jogador de linha, com uniforme diferenciado. A grande vantagem é que as regras que foram descritas acima não são válidas, então o goleiro-linha possui mais liberdade e tempo com a bola no pé.

Porém é uma estratégia muito arriscada, já que o gol passa a ficar vazio e o goleiro adversário pode arriscar um chute de sua própria área.

No jogo válido pela Série Ouro do campeonato Gaúcho entre ASSOEVA e ALAF, o treinador do time da casa (ASSOEVA) inovou. Faltando dez minutos para acabar a partida, sua equipe perdia por 2 a 0. Como a defesa do ALAF parecia intransponível, deu ordem para que seu goleiro fosse à frente.

O goleiro titular do time é o Basílio, que já jogou por diversas equipes brasileiras. Uma de suas principais características é um potente chute na perna esquerda, mas não é o melhor armador de jogadas. Quando jogava na AFF, que disputava a Liga Futsal, às vezes errava os passes, entregando alguns gols.

Goleiro Basílio, da ASSOEVA

Goleiro Basílio, da ASSOEVA


Por isso, o técnico optou por uma formação diferente. Ordenou ao defensor que ficasse na esquerda. Deste modo, seu jogador mais recuado passou a ser o fixo, que orquestrava as jogadas. A princípio, a estratégia parecia que vingaria. A equipe passou a ter mais posse de bola, e com um marcador de olho no goleiro, surgiram mais espaços no lado direito.

A estratégia utilizada foi a número 2. (Fonte: Reprodução)

A estratégia utilizada foi a número 2. (Fonte: Reprodução)


Porém, em uma jogada muito forçada, ALAF recuperou a bola e ampliou a vantagem. Tempo técnico da ASSOEVA, com o treinador cobrando muito a equipe e dizendo que não havia mais nada a perder. Com o discurso motivador, a equipe se jogou pra cima. Mas outra jogada errada deu um banho de água fria. 4 a 0 pra ALAF, em uma jogada muito similar à anterior.

Com isso, Basílio saiu, para entrar um goleiro-linha. Mas nisso, o estrago já estava feito. Placar final: ASSOEVA 0 x ALAF 4.

[youtube id=”i8yUcpw5Q4c” width=”620″ height=”360″]


A equipe de Lajeado (ALAF) está na lanterna desta segunda fase da Série Ouro, com quatro pontos. Já a equipe de Venâncio Aires está na quarta colocação, com 7.

Comentários

Gaúcho, colorado e estudante de Engenharia de Computação. Doente por futebol desde que se entende por gente. Joga futsal nas horas vagas. A cada dois jogos, uma lesão.