Golaço fora dos gramados

  • por Leandro Lainetti
  • 8 Anos atrás

A cena é mais comum do que gostaríamos. Ainda à margem do campo, quando abordados pelos repórteres, os jogadores reclamam. Do calendário, do gramado, do quanto tudo isso prejudica os envolvidos no espetáculo que é, ou deveria ser, um jogo de futebol. Mas as palavras, recheadas de razão, sempre ficam soltas ao sabor do vento, mais parecendo um choro raso do que um protesto válido.

Quem deveria falar, os jogadores, até fala, mas não da forma mais adequada, de maneira oficial – para usar um termo que anda em voga. E quem deveria ouvir, clubes, cartolas, CBF e, sim, também a TV, até ouve, mas não levando a sério assuntos que influenciam na qualidade das partidas o que, consequentemente, afeta todos as outras esferas relacionadas ao futebol.

Mas alguns jogadores, encabeçados por Alex e Paulo André, que fogem daquele padrão boleiro ao qual estamos acostumados, resolveram se mexer. Assim nasceu o Bom Senso F.C, grupo formado por 75 jogadores que procura diversas melhorias para os atletas no futebol, sendo a mais notável, no momento, a questão do calendário, que ficou em evidência graças à incompetência da CBF em organizar o mesmo para 2014, ano de Copa do Mundo aqui no Brasil. Juntamente à organizadora do futebol nacional, temos os interesses da TV, aberta e fechada, e a conivência dos clubes, que por diversas razões são reféns em toda essa conjuntura.

Foto: UOL - Alex, golaços dentro e fora de campo

Foto: UOL – Alex, golaços dentro e fora de campo

Procurando garantir os direitos básicos dos jogadores, como férias e uma pré-temporada digna, o BSFC deu o pontapé inicial de uma partida que vai durar muito mais do que 90 minutos. Além de Alex e Paulo André, jogadores de peso como Juninho Pernambucano, Dedé, Elias, Léo Moura, Rogério Ceni, Zé Roberto entre tantos outros também vestiram a camisa para defender o clube.

Ainda que em número pequeno, porque 75 num universo tão grande é uma ínfima parte, essa inédita união pode, sim, conseguir resultados. Não que seja fácil, porque mexer com tantos interesses ao mesmo tempo nunca é uma tarefa simples. Mas, por mais que muitas pessoas não enxerguem isso, entre todas as coisas mais importantes dentro do futebol, o jogador é a maior delas.

Foto: Reprodução - Movimento dos jogadores já invadiu as redes sociais

Foto: Reprodução – Movimento dos jogadores já invadiu as redes sociais

Ao contrário das recentes manifestações pelo Brasil, que minguaram tão rápido quanto surgiram – afinal, boa parte foi às ruas para tirar foto e dizer que “sou brasileiro com muito orgulho e muito amor” -, o movimento dos jogadores precisa de uma verdadeira organização e interesse daqueles que fazem parte dele. E, claro, precisa de apoio, inclusive da imprensa, que tanto bate no mesmo calendário. E deve, além de brigar agora, permanecer unido para discutir futuros problemas que com certeza vão surgir.

É um movimento novo, importante, que tem tudo para criar um novo cenário no Brasil e servir como exemplo até para as próximas gerações.

A bola rolou. Agora resta torcer para eles marcarem um golaço após o outro.

Comentários

Jornalista trabalhando com marketing, carioca, 28 anos. Antes de mais nada, não acredito em teorias da conspiração. Até que me provem o contrário, futebol é decidido dentro das quatro linhas. Mais futebol nacional do que internacional. Não vi Zico mas vi Romário, Zidane, Ronaldinho, Ronaldo. Vejo Messi e Cristiano Ronaldo. Totti é pai.