Júlio César: o Taffarel de 2014

  • por Raniery Medeiros
  • 7 Anos atrás

taffa e jc

Longe de ser unanimidade entre os torcedores brasileiros, Júlio César vai ganhando espaço e a confiança de Felipão. Ainda nos questionamos sobre a titularidade de um goleiro que não vem atuando em seu clube, o Queens Park Rangers. No entanto, tal situação não é novidade na seleção brasileira.

Com Parreira no comando da Canarinho nas eliminatórias para a Copa de 1994, muitos questionaram a titularidade de Taffarel. O goleiro, até então encostado no Parma, tinha crédito com o técnico. Para piorar a situação, Zetti estava em excelente fase defendendo o São Paulo. O agravante maior ocorreu na partida diante da Bolívia. Mesmo defendendo um pênalti, “Taffa” tomou um frango antológico e foi responsabilizado pela primeira derrota da seleção em eliminatórias. Mesmo assim, Parreira bancou o goleiro como seu titular.

Precisando continuar no grupo, deixou o Parma e foi atuar na desconhecida Reggiana. Não foi a melhor opção, mas provou sua competência. A equipe brigou para não cair, o goleiro foi bombardeado durante toda a temporada e conseguiu chamar a atenção pelas excelentes defesas. O grand finale ocorreu na última rodada, quando a Reggiana venceu o Milan, fora de casa, e o goleiro pegou um pênalti.

Foto: del campe - Taffarel atuando pela Reggiana

Foto: del campe – Taffarel atuando pela Reggiana

Assim como o campeão do mundo, Júlio César passou pela mesma “fria” no QPR, durante a temporada 2012/2013. Mas, diferente do Gaúcho de Santa Maria, não evitou o rebaixamento da sua equipe. Ao permanecer na Inglaterra, e sem definir o seu futuro, teve um papo sincero com Big Phil. Ou seja: ou joga, ou nada poderei fazer para bancá-lo no grupo.

Foto: Reprodução - Júlio, no QPR, defende o chute de Bale

Foto: Reprodução – Júlio, no QPR, defende o chute de Bale

O próprio Luiz Felipe Scolari viveu algo semelhante para o Mundial de 2002. Seu goleiro de confiança? Marcos! No entanto, Dida e Rogério Ceni vinham voando. Outro agravante contra “São Marcos” foram as lesões que o afastaram de algumas partidas do brasileirão de 2001. Mas, teimoso que é, o técnico do penta foi com a ideia até o fim e Marcos fez uma copa quase que perfeita.

Foto: UOL - Parceria que deu muito certo

Foto: UOL – Parceria que deu muito certo

Podem não gostar, mas Felipão deixou claro que quer contar com Júlio para 2014: “Já vou dizer de antemão: mesmo que o Julio César não jogue pelo seu clube, ele está na Copa do Mundo. É bom falar para acabar com essa frescura. Entre os três goleiros do Mundial, ele tem um lugar. Ele não está jogando hoje em dia por uma situação do clube dele que não tenho que me meter” – assegurou Felipão. (globoesporte.com)

Apesar da moral recebida, o camisa 12 tem consciência que, mesmo atuando na segunda divisão, precisará jogar. Se quiser ser o Taffarel de 2014, vai precisar manter o foco, realizar alguns milagres e chamar a atenção do público.

Comentários