No bolso de Ferguson?

  • por Gregor Vasconcelos
  • 8 Anos atrás

No final de semana, uma reportagem exclusiva do jornal Mirror balançou o futebol Inglês. Nela, o ex-árbitro Mark Halsey, que apitou jogos da Premier League desde 1999 até se aposentar no final da última temporada, revelou ter uma relação amigável com o treinador Sir Alex Ferguson, do Manchester United, com o qual trocaria mensagens no celular com frequência. Ainda na declaração, retirada da autobiografia do árbitro a ser lançada, Halsey afirma já ter pedido favores a Ferguson, dando como exemplo o caso de racismo envolvendo John Obi Mikel e o juiz Mark Clattenburg na última temporada. Na ocasião, Clattenburg foi acusado de chamar o jogador do Chelsea de macaco na partida contra o Manchester United e, na semana seguinte, Ferguson declarou em sua coletiva de imprensa apoio total ao árbitro, a quem ele não conseguia imaginar proferindo ofensas racistas.

Ferguson não era o único técnico que Halsey tinha como amigo. No mesmo livro, ele fala de José Mourinho, que escreveu a introdução da autobiografia. Segundo o árbitro, Mourinho pagou hospedagem para ele e sua família em um hotel cinco estrelas em Algarve. 

Halsey admite ter quebrado o protocolo da Premier League, mas garante que, mesmo tendo cruzado essa linha, ele jamais teve suas decisões influenciadas pela sua relação com os treinadores. Apesar disso, as revelações assustaram os torcedores de equipes inglesas, que já desconfiavam de favorecimento aos grandes times, em especial ao Manchester United. A Premier League reagiu às revelações fazendo uma reunião com 16 juízes que atuam na divisão e reforçando as regras sobre comunicação entre árbitros e treinadores – o contato fora dos gramados não é permitido sob nenhuma circunstância.

Foto: Reprodução - Mark Halsey expulsa Jonjo Shelvey na partida entre Liverpool e Manchester United

Foto: Reprodução – Mark Halsey expulsa Jonjo Shelvey na partida entre Liverpool e Manchester United


As revelações de Halsey lançaram desconfiança sobre as relações entre árbitros e treinadores e jogadores, que já haviam sido questionadas por James Harper, do Reading, em 2006. Harper, na época, disse que os astros da seleção inglesa recebiam tratamento diferenciado dos juízes, que os chamavam carinhosamente por seus apelidos (Stevie G, Wazza, etc), enquanto outros jogadores eram tratados de maneira mais dura e com menos paciência.

O colunista Ed Malyon, do Daily Mirror, questionou o posicionamento do árbitro e disse que é preocupante a maneira como Halsey se botou no bolso do treinador do Manchester United ao pedir-lhe um favor. Alex Ferguson, que já havia dito no final da temporada passada que gostava de pressionar os árbitros em favor de sua equipe, deve ter ficado feliz de ter um dos principais juízes do país em débito consigo.

Apesar da Premier League estar reforçando as regras para essa temporada, é difícil dizer que a comunicação inapropriada entre treinadores e árbitros irá acabar. O livro de Mark Halsey é bem vindo por mostrar que os bastidores do esporte são mais obscuros e complexos do que aparentam, mas, por outro lado, ele pode ser o começo de muitas novas teorias da conspiração sobre favorecimentos na Inglaterra.

Comentários

Torcedor fanatico do Arsenal e do Flamengo, Gregor é fã de longa data da Premier League, acompanhando a liga avidamente há 10 temporadas. Formado em linguística inglesa pela universidade King's College em Londres, agora faz mestrado em linguistica e literatura na universidade de Zurich. Colunista da extinta revista "Doentes por Futebol", hoje é o editor de futebol inglês no site.