O que houve, Botafogo?

  • por Leandro Lainetti
  • 7 Anos atrás

É difícil entender a queda brusca de rendimento do Botafogo. Mais difícil ainda é procurar entender como isso vem acontecendo nos últimos anos em momentos cruciais. Desde os tempos de Cuca, quando apresentou um futebol bonito e envolvente, até o momento atual, em que Oswaldo fez com que o time fosse um dos mais vistosos do país, o roteiro se repete. O Botafogo começa bem, vai melhorando, evoluindo e, na hora da consolidação, o trem descarrila.

O primeiro sintoma é visível. O declínio técnico de Seedorf, muito provavelmente causado pelo cansaço físico, influencia muito o rendimento da equipe. Não foram raras as vezes em que o holandês foi taxado como principal jogador e termômetro do time. O que é a mais pura verdade. A queda de ritmo do maestro mostra o quanto o jogo do Botafogo passa pelos pés dele.

Foto: Paulo Sergio / Agência Lance - Ritmo do Botafogo caiu junto com Seedorf

Foto: Paulo Sergio / Agência Lance – Ritmo do Botafogo caiu junto com Seedorf

Outro jogador fundamental também vem rendendo abaixo do que vinha jogando, apesar de ninguém, ou quase ninguém, ter falado isso ainda. Lodeiro tem quase a mesma importância para o jogo coletivo do Botafogo que Seedorf. Sem ser tão decisivo quanto antes, o meio-campo alvinegro vem sofrendo também com a fase ruim do uruguaio.

A saída de Vitinho é mais um fato que contribui com a queda do clube. Hyuri começou bem, substituindo a ex-joia alvinegra à altura. Porém, as últimas atuações já não foram tão boas, e o Botafogo vem sentindo falta da profundidade de jogo e da forma incisiva de Vitinho jogar, que procurava sempre definir os lances, além do encaixe que o time havia encontrado com ele.

Foto: reprodução - Vitinho, ex-joia alvinegra deixou uma lacuna na equipe

Foto: reprodução – Vitinho, ex-joia alvinegra deixou uma lacuna na equipe

Por fim, o relacionamento com a torcida também faz parte do pacote. Podemos até fazer aquela famosa pergunta da propaganda de biscoito. O time não mantém o ritmo porque a torcida não apoia, ou a torcida não apoia porque o time não mantém o ritmo? Cabe refletir. Mesmo nos melhores momentos do Botafogo no campeonato, o apoio não foi irrestrito como se esperava. Alguns jogos até tiveram público abaixo do esperado, como se a torcida não confiasse realmente na briga pelo título. Com a sequência de resultados negativos, aí mesmo é que a torcida não abraçou mais a equipe.

A distância de 11 pontos para o Cruzeiro, e levando em conta o que ambos vem jogando, é muito difícil de ser tirada. O foco agora precisa ser a vaga na Libertadores. Mas para isso, o Botafogo precisa achar de novo o caminho das vitórias e, principalmente, do bom futebol. As razões estão aí, resta correr atrás das soluções.

Comentários

Jornalista trabalhando com marketing, carioca, 28 anos. Antes de mais nada, não acredito em teorias da conspiração. Até que me provem o contrário, futebol é decidido dentro das quatro linhas. Mais futebol nacional do que internacional. Não vi Zico mas vi Romário, Zidane, Ronaldinho, Ronaldo. Vejo Messi e Cristiano Ronaldo. Totti é pai.