A um passo da Copa, Bélgica tem geração repleta de talentos

  • por Saimon
  • 7 Anos atrás

Geração

 

A Eliminatória Europeia da Copa do Mundo de 2014 termina na próxima semana, e um dos destaques até o momento é a Bélgica. Formada em sua maioria por jogadores jovens e que atuam em times ingleses, a seleção é dona da melhor campanha das Eliminatórias, com 22 pontos em oito jogos – mesma campanha de Holanda e Alemanha. A defesa é a menos vazada, com apenas dois gols sofridos.

Na próxima sexta-feira, Croácia e Bélgica se enfrentam em Zagreb. É o duelo entre o vice e o líder do grupo. Os dois estão separados por cinco pontos na tabela e um empate basta para que os belgas se garantam na Copa. Mesmo em caso de derrota, o time comandado por Marc Wilmots continuaria dependendo apenas de uma vitória sobre o País de Gales, em Bruxelas, na outra semana.

Foto: Reprodução - Classificação do grupo A. Um empate serve aos belgas.

Foto: Reprodução – Classificação do grupo A. Um empate serve aos belgas.

A boa campanha ainda deixa algumas desconfianças, principalmente porque a Bélgica não disputa nenhuma competição importante desde a Copa de 2002. Apontada como possível surpresa na Euro 2012, a seleção nem passou das Eliminatórias. Mas a boa campanha iniciada em 2011, aliada ao ótimo futebol mostrado em a cada jogo, encanta a todos que acompanham a talentosa geração.

Opções de sobra
A escalação belga já começa bem disputada pela camisa 1. O dono dela hoje é Courtois, que pertence ao Chelsea, mas hoje atua pelo Atletico de Madrid. Ele desbancou Mignolet, do Liverpool, considerado melhor goleiro da liga inglesa hoje.

É notável que a falta de bons laterais prejudica seleções e clubes no mundo inteiro. Os belgas, comandados por Marc Wilmots, resolveram isso de uma maneira simples: escalando dois zagueiros pelos lados. E deu muito certo. A linha de defesa é formada por Alderweireld, Van Buyten, Kompany e Vertonghen. O experiente Van Buyten é o capitão da equipe. Com as seguidas lesões de Kompany, quem volta a ganhar chances é Vermaelen. Vertonghen também pode atuar na zaga, com Van Damme na lateral.

O meio-campo varia muito. Witsel e Fellaini, recém-contratado pelo Manchester United, são os que mais atuam. A outra disputa fica entre Dembélé e Defour. Mais avançado, o jovem De Bruyne tem se destacado. Porém o jogador vem sofrendo com a geladeira de José Mourinho no Chelsea, e hoje é apenas a sexta opção do técnico, atrás de Mata, Oscar, Willian, Schurrle e Hazard. Este último, provavelmente o jogador ofensivo belga mais famoso, ainda deve muito pela seleção, e tem disputado posição com Chadli, outro promissor jogador que atua na Inglaterra.

O ataque também é destaque na Premier League. O titular é Benteke, que marcou 19 gols pelo Aston Villa na temporada passada. Mas Lukaku, que guardou 17 gols em 2012/13, vem na cola do companheiro. Para o jogo decisivo contra a Croácia, Benteke está lesionado, então Lukaku deve iniciar como titular. Cada um marcou 4 gols em 3 jogos na liga inglesa desta temporada. Mertens e Mirallas também são outras opções ofensivas de Wilmots.

Fonte insecável
O que mais impressiona na geração belga é que os talentos seguem surgindo. A liga local não é das mais fortes da Europa, e o Anderlecht, principal clube de lá, já esteve mais presente em competições europeias.

Com espaço para que os jovens atuem, os talentos despontam cedo. Romelu Lukaku é o maior exemplo: aos 17 anos já disputava a artilharia do campeonato belga e se transferia para o Chelsea por 18 milhões de euros.

Foto: Reprodução - Aos 18 anos, Lukaku chegou ao Chelsea por valor impressionante.

Foto: Reprodução – Aos 18 anos, Lukaku (dir) chegou ao Chelsea por valor impressionante.

Outro caso parecido é de Adnan Januzaj, que, aos 16 anos, trocou o Anderlecht pelo Manchester United. Januzaj marcou os dois gols da vitória do United no último fim de semana, sobre o Sunderland. Já Zakaria Bakkali trocou o Standard Liége pelo PSV Eindhoven aos 12 anos. Agora com dezessete, o jovem foi convocado pela primeira vez por Wilmots, e é mais uma grande promessa.

Mais jogadores já surgem, mas seguem atuando na Bélgica. Talvez o principal deles seja Thorgan Hazard, irmão de Eden. Thorgan pertence ao Chelsea, tal qual o irmão, e está emprestado ao Zulte-Waregem. Ele já marcou 8 gols e deu 8 assistências nesse começo de temporada.

Outros dois jogadores da geração 93 são Massimo Bruno (Anderlecht) e Michy Batshuayi (Standard Liége). O segundo é dono de dez gols na temporada, sendo dois deles na Liga Europa. Mais novo que eles, ainda temos Dennis Praet, mais um do Anderlecht. Todos esses têm passagens pelas seleções de base e são promessas para o futuro. Quem sabe algum deles ainda conquiste uma vaga para 2014…

Show pela Europa
Grande parte da geração belga atua no futebol inglês. Alguns números impressionam: no ano de 2013 são 52 gols belgas na Premier League. Na temporada 2013/14, os líderes são Benteke e Lukaku, com quatro gols. Januzaj marcou dois e Hazard tem um. Mignolet, Kompany, Vertonghen, Chadli, De Bruyne, Dembélé, Fellaini e Mirallas também são destaques na terra da rainha.

Os belgas também marcam presença na Itália. Mertens foi responsável por duas assistências no jogo do Napoli no fim de semana, enquanto Nainggolan vem acumulando boas atuações pelo Cagliari, devendo mudar de time em janeiro. Courtois e Alderweireld são destaques da ótima campanha do Atletico de Madrid na Espanha. Defour e Witsel também são destaques em Porto e Zenit, respectivamente. E Bakkali, aos 17 anos, chama atenção no PSV.

Foto: Reprodução - Sem Kompany e Benteke, Bélgica deve atuar assim na sexta.

Foto: Reprodução – Sem Kompany e Benteke, Bélgica deve atuar assim na sexta.

 

Ao fim dessa data FIFA de outubro, o órgão mais importante do futebol deve confirmar a Bélgica como cabeça de chave na Copa Mundo. Hoje, a seleção é a 6ª no ranking, e não deve perder posições neste mês.

Com média de idade de 25 anos no time titular e com novos talentos surgindo a cada temporada, a Bélgica promete ser uma das sensações da Copa 2014, e deve vir ainda mais forte e experiente em 2018. Vale a pena desviar a atenção dos países mais tradicionais, como Itália e França, e admirar a bola jogada no país de 11 milhões de habitantes, mesmo número que o da cidade de São Paulo.

Abaixo temos um vídeo de um pouco do que os belgas vem fazendo na Europa:

Comentários

Palmeirense, 23 anos. Acompanha futebol em qualquer canto. Fã da ótima geração belga.