FCA – os Fiscais de Comemoração Alheia

  • por João Rabay
  • 6 Anos atrás

Torcedores de Internet querem decidir quais vitórias os adversários devem comemorar

“Ódio eterno ao futebol moderno”. Você já deve ter lido ou ouvido alguém citar o lema da torcida do Juventus da Mooca. A frase evoca as raízes da paixão pelo futebol e critica aspectos recentes do jogo, como as chuteiras coloridas, os penteados esdrúxulos e, nos últimos tempos, os novos estádios brasileiros, vulgo “Arenas”.

A torcida é um ponto fundamental entre os motivos para se ter ódio do “futebol moderno”. O Brasil vem proibindo o ato de torcer. Não se pode levar bandeiras aos estádios, a torcida não pode acender sinalizadores.. a coisa está chegando ao absurdo de as Arenas proibirem que os torcedores fiquem de pé ou sem camisa. O próximo passo é punir os clubes porque os torcedores xingam os adversários.

Pois bem, as autoridades têm podado o ato de torcer pelo seu clube de coração. Mas, ultimamente, a mutilação do ato de torcer vem partindo dos próprios torcedores. O que motivou a criação deste texto foi uma piada sobre a torcida do Flamengo. “A torcida do Flamengo tá que nem motorista em estacionamento cheio: só comemora vaga”.

Então quer dizer que os torcedores só podem comemorar título? Eliminar um rival no mata-mata com goleada de 4 x 0 não é algo digno de festa? Estou tentando entender que tipo de reação os flamenguistas deveriam ter. Um sorriso de canto de boca, um suspiro blasé e um tapa nas costas do amigo botafoguense? Quem sabe fazer o papel de mãe e soltar a infame frase “São só 22 jogadores que não ligam pra você correndo atrás de uma bola”.

A internet é muito legal. Não fosse ela, eu não teria onde publicar este texto. Mas ela também tem criado um tipo novo de torcedor de futebol, o Torcedor de Internet. É o tipo que, enquanto seu time joga a final da Libertadores, está no Facebook ou no Twitter mais preocupado em fingir que torce do que com a partida. Que, na hora do gol, em vez de explodir, gritar, sair correndo, voa para pegar o celular e postar um “Chupa” nas redes sociais. É o cara que praticamente nunca pisou num estádio, e que divide a torcida entre o time brasileiro e o clube europeu que ele vê jogar a Champions League pela televisão.

É entre os Torcedores de Internet que se encontra a subcategoria dos FCA, os Fiscais de Comemoração Alheia. Aquele sujeito que não se importa se o adversário ganha o Estadual, porque bom é ganhar o Brasileiro. Mas se o rival ganha o Brasileiro, boa é a Libertadores. Ganharam a Libertadores? Ah, quer saber, boa mesmo é a Champions League, e essa vocês nunca vão ganhar. Vou torcer pro meu Manchester United que ganho mais.
Veja bem, não que os estaduais não sejam modorrentos, mas ganhar a final em cima do rival sempre vai valer a comemoração, a piada no dia seguinte. Não que a Champions League não seja espetacular, mas se “seu time” a ganha, onde você vai comemorar? De quem você vai tirar sarro? Só mesmo na tela do computador.

Meus conselhos aos Torcedores de Internet são bem simples: mais estádio, mais grito, mais comemoração, mais emoção, mais vida. E menos rede social.

Comentários

Jornalista. Doente por futebol bem jogado e inimigo de jogadores que desistem da bola para cavar falta e de atacantes "úteis porque marcam os laterais".