River Plate X Boca juniors – em busca da consolidação

  • por Gustavo Ribeiro
  • 7 Anos atrás
El Superclásico

Foto: mmdeportes – River e Boca vão escrever mais um capítulo da história do Superclássico

Neste domingo (6), pela 10ª rodada do Torneo Inicial, teremos o superclássico River Plate X Boca Juniors, jogo que será realizado no Monumental de Nuñez. No ano em que o Superclássico completou 100 anos, os dois times estão separados por apenas dois pontos na tabela de classificação fazendo deste jogo um confronto direto na briga pelo título. Quem vencer, segue briga na briga pela taça, além de ganhar uma motivação extra. 

Na tabela, temos o Boca Juniors na quarta posição com 16 pontos. Logo atrás, vem o River Plate, na quinta posição com 14 pontos. Ambos venceram seus jogos antes do clássico – o River venceu o Lanús por 1×0, enquanto o Boca venceu o Quilmes por 2×0. Isso não acontecia desde o Clausura de 2004, quando os xeneizes venceram o Independiente (4×1) e o River o Vélez (1×0). No clássico deu Boca, 1×0. 

River e Boca nasceram no mesmo bairro, mas sua rivalidade é nacional. São, de longe, os dois clubes mais populares do país. Os xeneizes ainda estão em La Boca, enquanto os millonarios migraram para Nuñez em 1923, que, ao contrário de La Boca, é um bairro com maior poder econômico. O primeiro jogo oficial entre Boca Juniors e River Plate foi disputado no dia 25 de agosto de 1913, no estádio do Racing. O primeiro clássico começou com 40 minutos de atraso porque o árbitro não apareceu e precisou ser substituído. Foi o primeiro superclássico por um campeonato oficial. Ganhou River, 2×1. 

Desde então, contando jogo oficiais e amistosos, River e Boca se enfrentaram 343 vezes, com 126 vitórias e 462 gols xeneizes, enquanto a equipe de Nuñez venceu 109 vezes e marcou 418 gols. 

Com tantos fatores históricos envolvendo esse jogo, o ponto negativo fica para a ausência de torcida visitante no jogo, já que, por causa de atos de violências das torcidas, a AFA decidiu proibir torcida visitante em todos os jogos do campeonato. Ou seja, como o clássico vai ser no Monumental de Nuñez, só teremos millonarios dentro do estádio. A última vez que ocorreu um Superclássico sem torcida visitante foi na foi nas Semifinais da Libertadores de 2004. 

River Plate 

Foto: riverplate - Lanizini e Teo Gutiérrez são os destaques ofensivos do River Plate

Foto: riverplate – Lanizini e Teo Gutiérrez são os destaques ofensivos do River Plate

Los Millonarios chegam para o confronto com três vitórias nos últimos três jogos. Depois de um começo conturbado e com Ramón Díaz com dificuldades de encontrar o onze ideal, aos poucos o time vai pegando entrosamento. No começo da temporada, todos apostavam num time com três zagueiro, mas, vendo a características de seus jogadores, Ramón decidiu apostar no 4-3-1-2, ccontando com o jovem Lanzini para ser o responsável pela criação do time 

O diferencial nesse 4-3-1-2 que armou Ramón Díaz é a velocidade pelas lados do campo, seja com os laterais Ponzio e Mercado ou com os médios apoiadores Carbonero e Ariel Roja, que conseguem chegar com qualidade ao ataque e voltar para recompor o sistema defensivo. 

Um dos grandes problemas do time é a lentidão na troca de passes quando enfrenta equipes que jogam mais recuadas, tirando a velocidade do jogo. É nessas horas que o meia Lanzini tem se destacado até aqui na temporada. Com dribles rápidos e ótimo passe, o ex-jogador do Fluminense é quem dita o ritmo do time, escolhendo a hora de acelerar e acalmar o jogo. E quando seus companheiros estão marcados, sempre tenta a jogada individual, partindo para cima de seus marcadores. Vem fazendo o que se espera de um enganche. 

Sem nenhum desfalque, Ramón Díaz pode escalar o que tem de melhor para o jogo. Olhando os últimos treinos, a equipe deve ser: Barovero; Mercado, Maidana, Balanta, Vangioni; Carbonero, Ledesma, Rojas; Lanzini; Andrada, Teo Gutiérrez. 

Boca Juniors

Foto: infonews - Gago e Riquelme são os grandes nomes do Boca para o clássico

Foto: infonews – Gago e Riquelme são os grandes nomes do Boca para o clássico

Um time irregular desde a temporada passada, seja nos resultados ou nas atuações. Conseguiu vencer o Vélez por 2×1 na quinta rodada e tomar 3×0 do Olimpo na rodada seguinte. Outro número que prova a irregularidade nesse Boca: desde que foi contratado no início da temporada passada, Carlos Bianchi já dirigiu o time em 38 jogos, em que obteve 14 derrotas, 12 empates e 11 vitórias. A última vez que o time conquistou duas vitórias seguidas foi na última partida do técnico Falcioni no comando da equipe (2×1 contra o Godoy Cruz, pela última rodada do Torneo Inicial ) e na estreia de Bianchi (3×2 sobre o Quilmes, pela primeira rodada do Torneo Final 2013).

Nesse início de temporada, El Vierry arma o time em torno de um jogador: Riquelme. Se o meia joga, o esquema é o 4-3-1-2, com um volante mais marcador, dos meias mais abertos e Riquelme mais à frente. Mas se o 10 não joga, Bianchi migra para o 4-4-2 britânico, com dois volantes centralizados e dois meias abertos pelos flancos. 

Nas últimas rodas, o time evoluiu muito de produção, e um fator que contribuiu para essa melhorar foi a entrada do volante Fernando Gago na equipe titular. Ele que começou a temporada lesionado, só foi estrear na quinta rodada, justamente quando o Boca fez sua melhor partida no torneio. Gago entrou formando a dupla de volantes com Ledesma, melhorando muito a saída de bola da defesa e a transição com o ataque.

Com o desfalque do volante Ledesma de última hora, Biachi deve escalar o outro volante, Erbes, que vinha jogando na lateral direita, na função de primeiro volante. Com isso, Jesús Méndez deve jogar na lateral direita. Eis o provável time para o superclássico: Orion; Méndez, Díaz, Pérez, Zárate; Gago, Erbes, Sánchez Miño; Riquelme; Martinez, Gigliotti.

Estatísticas comparando os dois times até a nona rodada do Torneo Inicial: 

GOLS FEITOS: River Plate: 8 X 12 Boca Juniors
GOLS SOFRIDOS: River Plate 5 X 11 Boica Juniors
CHUTES NO GOL: River Plate 41 X 45 Boca Juniors 
PASSES: River Plate: 3.136 X 2.613 Boca Juniors
FALTAS COMETIDAS: River Plate 144 X 136 Boca Juniors
DESARMES FEITOS: River Plate 92 X 133 Boca Juniors

Comentários

Projeto de jornalista, mineiro, 20 anos. Viu que não tinha muito futuro dentro das quatro linhas e resolveu trabalhar dando seus pitacos acompanhando tudo relacionado ao futebol, principalmente quando a pelota rola nas canchas dos nossos vizinhos sul-americanos. Admirador do "Toco y me voy" argentino, também escreve no Sudaca FC e tem Riquelme e Alex como maiores ídolos.