Crise no River Plate depois de eliminação

  • por Gustavo Ribeiro
  • 6 Anos atrás

A má fase do River Plate continua. Na última quarta-feira, 6, o time foi derrotado por 3 a 1 pelo Lanús, em pleno Monumental de Nuñez, e se despediu da Copa Sul-Americana. Foi a gota d’água para os mais de 50.000 presentes no estádio, que cobraram a diretoria, o técnico e muitos dos jogadores, gritando “Que se vayan todos”.

Foto: Olé - Jogadores do River Plate no fim do jogo da eliminação

Foto: Olé – Jogadores do River Plate no fim do jogo da eliminação

Outra manifestação da torcida que chamou a atenção foi o grito de “El Cavegol, el Cavegol”, pedindo a volta do atacante Cavenagui, que após a ascensão do clube da segunda para a primeira divisão, foi cortado dos planos do clube pelo ex-técnico Matías Almeyda e pelo presidente Daniel Passarella. “Olé, olé, olé, olé, David, David”, foi outro grito que ecoou no estádio, em alusão ao atacante David Trezeguet, que disputou a B Nacional pelo clube e foi um dos destaques, mas no final da última temporada não teve seu contrato renovado, sendo que a torcida queria que ele ficasse. 

O time não vence há 7 jogos: são 4 derrotas, 3 empates, 2 gols marcados e 7 sofridos. O atacante colombiano Teo Gutiérrez, que chegou como a grande contratação nessa temporada, marcou apenas 3 gols em 12 jogos. Enquanto isso, o atacante francês Trezeguet, mesmo convivendo com lesões, já marcou 4 gols em 10 jogos. 

Com essa eliminação, o clube segue na seca de títulos internacionais, o último foi a Supercopa de 1997, quando venceu o São Paulo na final. E além de perder a chance de conquistar um título internacional, também viu a classificação para a Libertadores de 2014 ficar mais difícil, já que o melhor argentino na Sul-americana garante classificação para a competição mais importante do continente. Agora, para voltar a disputar a Libertadores, competição que não disputa desde 2009, terá que torcer para o Newell’s ou Arsenal, ambos já classificados para a próxima edição do torneio continental, para tentar a classificação pela tabela anual.

Comentários

Projeto de jornalista, mineiro, 20 anos. Viu que não tinha muito futuro dentro das quatro linhas e resolveu trabalhar dando seus pitacos acompanhando tudo relacionado ao futebol, principalmente quando a pelota rola nas canchas dos nossos vizinhos sul-americanos. Admirador do "Toco y me voy" argentino, também escreve no Sudaca FC e tem Riquelme e Alex como maiores ídolos.