Jogadores do Náutico ameaçam entrar em greve

Liderados pelo meia Martinez, jogadores alvirrubros reclamam seus direitos.

Liderados pelo meia Martinez, jogadores alvirrubros reclamam seus direitos.

Conteúdo postado originalmente na Seleção do Rádio

Na tarde de hoje, o CT Wilson Campos foi surpreendido por uma bomba: após o treino, que começou com um atraso de 35 minutos, vários jogadores apareceram na sala de imprensa do fizeram denúncias pesadas contra a diretoria do clube – que, segundo eles, estaria atrasando o pagamento de uma parte do grupo, além de ter se recusado a pagar os salários de jogadores machucados.

Martinez, que se apresentou como porta-voz do grupo, fez uma série de críticas à atuação dos diretores ao longo da temporada. Segundo o volante, o clube estaria cortando gastos até mesmo nas ataduras usadas pelos jogadores para treinamentos e partidas, além de também estar atrasando o pagamento dos direitos de imagem de alguns atletas.

A gota d’água, que fez todo os jogadores se reunirem hoje na sala de imprensa, teria sido o pagamento do salário de apenas uma parte do grupo. Isso teria indignado até mesmo os jogadores que receberam, de acordo com Martinez. Ele afirmou ainda que todas essas dificuldades foram determinantes na péssima temporada protagonizada pelo Timbu, em que o clube está muito próximo de se tornar o pior time da história do Brasileirão de pontos corridos.

“Vocês não sabem o que esse grupo de jogadores aguentou sozinho sem expor nada. Nessa última semana aconteceu a gota d’água. Vi que a presidência só culpava os jogadores, não é dessa maneira que funciona o futebol. Tivemos muitos problemas”, afirmou o capitão alvirrubro.

“Muito não funcionou em campo pela turbulência da diretoria dentro do Náutico. É importante falar isso para o torcedor. Jogadores e a diretoria vão sair e deixar o pepino para os outros. Assumimos que também erramos, poderíamos ter feito mais gols, mais defesas, vencido mais. Mas muito disso foi por causa da presidência. Jogadores machucavam e não recebiam. Muitos até tentavam voltar antes para pagar as contas”, continuou. “A gota d’água foi agora. Pagaram metade do elenco e não a outra metade. Os que recebiam ficavam em situação constrangedora. Melhor gestão dos últimos tempos? Que gestao é essa aí? A culpa não pode ficar só nos jogadores”.

Em relação à ameaça de greve, Martinez fez questão de ressaltar que não era de interesse do grupo cruzar os braços. Mas manteve o discurso: caso não haja nenhuma novidade até amanhã, os jogadores não atuarão no jogo de domingo, contra o Vasco da Gama, no Maracanã.

Foto: Anderson Malagutti

Foto: Anderson Malagutti

Diretoria rebate acusações

Mantendo o discurso autoritário e intransigente que caracterizou sua gestão, Paulo Wanderley respondeu às denúncias levadas a público pelo capitão Martinez. Em entrevista ao portal Super Esportes, o mandatário classificou o discurso do volante de “fazer graça”, e definiu como “mentira” a alegação de que havia jogadores lesionados sem receber, além de ter afirmado que Martinez “devia se preocupar em jogar bola”:

– Martinez deveria se preocupar em jogar bola. Ele já está de greve há dois meses. (…) Alguns jogadores, entre eles Martinez, não receberam o último mês de direito de imagem, apenas. Mas é uma minoria. Jogadores como Elicarlos, Derley e Ricardo Berna receberam. Já foi comunicado que ele será pago no início do próximo mês. Todos já sabiam disso. Mas hoje resolveram fazer graça.

Em relação ao desempenho do clube no Campeonato Brasileiro, o presidente eximiu de culpa todo o corpo de diretores, afirmando que a responsabilidade era exclusivamente dos jogadores, que, nas suas palavras, “não honraram a camisa do Náutico”.

Diante da gravidade das acusações, da forma como elas foram divulgadas pelo grupo e da reação raivosa de Paulo Wanderley, parece não haver solução para esta equação no horizonte alvirrubro. Caso os jogadores entrem mesmo em greve, a diretoria já anunciou que não haverá problema: vai mandar o time sub-20 a campo. Apenas mais uma mostra de que o clube não está muito disposto a negociar as reivindicações dos jogadores, o que pode gerar sérias consequências ao Timbu, caso o grupo de “rebeldes” tenha mesmo razão em suas denúncias.

No Náutico, a única certeza é que mesmo a apenas duas rodadas do fim da Série A, o ano de 2013 ainda está longe de acabar.

Comentários

Jornalista recifense, sócio-diretor do Doentes por Futebol, editor da Revista Febre. Curioso observador de tudo o que cerca o futebol brasileiro e internacional.