Liga dos Campões da Ásia 2013: a hora da verdade!

  • por Rogério Bibiano
  • 6 Anos atrás

AFC CHAMPIONS LEAGUE_2013_FINAL_DESTAQUE

Neste sábado, a partir das 10h (horário de Brasília), no Tianhe Stadium, na cidade chinesa de Guangzhou, ocorrerá a grade final da Liga dos Campeões da Ásia 2013. Guangzhou Evergrande (CHN) e o F.C. Seoul (KOR) duelarão pelo título. O campeão será o representante asiático no Mundial Interclubes Fifa, que acontece em dezembro, no Marrocos.

No jogo de ida, no dia 26/10, tivemos um empate em 2×2 (veja abaixo). Com isto, o time chinês pode empatar sem gols ou em um gol que será campeão. Em caso de empate com 3 ou mais gols, o título será dos sul-coreanos. Novo empate em 2×2 e a decisão irá para a prorrogação e, posteriormente, pênaltis, se persistir a igualdade.

[youtube id=”q2qbK_LxcV4″ width=”620″ height=”360″]

GUANGZHOU EVERGRANDE

Após uma série de tentativas e fracassos, o Guanghzou Evergrande enfim chegou à tão sonhada final da Liga dos Campeões. Com uma campanha impecável, a equipe chinesa é ciente de que o título é algo extremamente viável. Ao contrário de anos anteriores, a equipe da atual temporada apresenta grande maturidade em relação aos jogos decisivos.

O destaque é o argentino Dario Conca, que pode estar fazendo seu jogo de despedida do clube chinês. O Guangzhou Evergrande venceu 9 jogos, empatou 3 e perdeu apenas 1 jogo, em 13 disputados. A equipe fez 35 gols e levou 10 gols, possuindo o melhor ataque da Liga dos Campeões da Ásia 2013.

Como está na temporada?

Garantido para a próxima Liga dos Campeões da Ásia, o Guangzhou Evergrande sagrou-se campeão, no último dia 3, da Super Liga Chinesa, ao golear em casa o Wuhan Zall, por 5×0, chegando aos 77 pontos, 18 a mais que o segundo colocado. Além da final asiática, a equipe está nas semifinais da FA Cup Chinesa e enfrentará o Beijing Guoan, podendo fazer história no futebol chinês, caso confirme estes títulos em disputa.

Dario Conca e Elkeson comemoram o título chinês da temporada 2013. Sul-americanos são peças fundamentais na equipe de Marcello Lippi - foto: reprodução

Dario Conca e Elkeson comemoram o título chinês da temporada 2013. Sul-americanos são peças fundamentais na equipe de Marcello Lippi – foto: reprodução – gzevergrandefc.com

A melhor defesa é o ataque

São 123 gols em 46 jogos oficiais, o que dá uma média de 2,67 gols/jogo. Tais números fazem com que o time chinês seja considerado a equipe mais ofensiva do futebol asiático. Basta ver o placar agregado dos jogos da equipe na Liga dos Campeões, a partir das quartas-de-final, quando a equipe só goleou os seus oponentes. Com isto, o brasileiro Elkeson, com 29 gols em 34 jogos oficiais, é o grande artilheiro da equipe chinesa na temporada e Muriqui é o artilheiro da Liga dos Campeões da Ásia 2013, com 13 gols.

Cena comum nesta Liga dos Campeões. Muriqui comemorando mais um gol - foto: reprodução

Muriqui, em grande fase, é um dos principais nomes do Guangzhou na temporada. Brasileiro tem 13 gols na Liga dos Campeões da Ásia 2013 – foto: reprodução

O que pode dar certo

O forte ataque é sem sombra de dúvidas a principal aposta de todos. Outro ponto de destaque é que a equipe chinesa possui uma defesa sólida, que em geral sempre se apresenta bem postada na maioria dos jogos. Um outro fator que pode ser importante é a presença da fanática torcida, que sempre costuma comparecer em grande número aos jogos do Guangzhou Evergrande.

A formação

Na coletiva de imprensa desta sexta-feira (8), o treinador italiano Marcello Lippi confirmou que tem todos os seus atletas do elenco disponíveis para a grande decisão. O brasileiro Muriqui, artilheiro da competição com 13 gols, e o zagueiro/lateral chinês Zhang Linpeng, poupados do jogo que deu ao time o título chinês, retornam à equipe para o jogo deste sábado (9).

Treinador italiano Marcello Lippi e o capitão da equipe, Zheng Zhi, durante coletiva de imprensa, nesta sexta-feira (8) - foto: reprodução - the-afc.com

Treinador italiano Marcello Lippi e o capitão da equipe, Zheng Zhi, durante coletiva de imprensa, nesta sexta-feira (8) – foto: reprodução – the-afc.com

Lippi faz mistério quanto à forma que a equipe irá atuar. O provável, levando-se em conta jogos anteriores, é que a equipe seja escalada num 4-4-2, com variação para o 4-3-3 na posse de bola dos chineses, com a dupla de brasileiros Muriqui e Elkeson à frente e o argentino Dario Conca na armação das jogadas, sempre explorando a ligação rápida defesa-ataque, aproveitando justamente o fator velocidade.

Provável formação: Zeng Cheng; Feng Xiaoting, Sun Xiang, Youg-Gwon Kim e Zhang Linpeng; Zheng Zhi, Huang Bowen, Gao Lin e Dario Conca; Elkeson e Muriqui.

Provável formação tática do Guangzhou Evergrande. Do 4-4-2, é comum a variação para o 4-3-3 - foto: reprodução - tacticalformations.com

Provável formação tática do Guangzhou Evergrande. Do 4-4-2, é comum a variação para o 4-3-3 – foto: reprodução – footballuser.com

F.C. SEOUL

O time coreano foi o vice-campeão da Liga dos Campeões da Ásia na temporada 2001/02 (quando a competição tinha um calendário nos moldes europeus). Na época, a equipe ainda se chamava Anyang LG Cheetahs (era um time da multinacional LG) e foi derrotada na final por outro sul-coreano, o Suwon Samsung Bluewings. Desta vez, a equipe reencontra nova oportunidade de conquistar o título, após 11 anos.

O F.C. Seoul disputou 13 jogos, vencendo 6 jogos, empatando 6 partidas e perdendo apenas 1 jogo. São 22 gols marcados e 11 sofridos. Uma campanha regular, mas que, em comparação com os números do adversário chinês, faz o torcedor ficar um pouco receoso com relação ao jogo final. Entretanto, a equipe possui jogadores experientes e decisivos, como o montenegrino Dejan Damjanovic, que tem sido peça extremamente decisiva nesta Liga dos Campeões.

Como está na temporada?

Em quarto lugar na K-League, com 54 pontos (o Ulsan Hyundai lidera com 67 pontos), a equipe está na zona de classificação para a Liga dos Campeões 2014. No último sábado (2), a equipe venceu o Suwon Samsung Bluewings (2×1), abrindo 4 pontos de diferença para o quinto lugar e quebrando uma sequência de 4 jogos sem vitórias (3 derrotas e 1 empate) na liga local.

O nipo-argentino Sergio Escudero, em ação pela K-League, é dúvida tática do treinador Yong-Soo Choi - foto: reprodução

O nipo-argentino Sergio Escudero, em ação contra o Suwon Samsung Bluewings, pela K-League, é dúvida tática do treinador Yong-Soo Choi – foto: reprodução

O treinador Yong-Soo Choi foi o que mais festejou o resultado positivo da última rodada da K-League, justamente pelo fato de dar confiança para a decisão de amanhã, que, sem dúvidas, é o jogo mais importante da história da clube.

Experiência e o futebol sul-coreano: receitas de sucesso

O F.C. Seoul tentará manter a hegemônia do futebol sul-coreano no continente. Esta é a quarta vez em cinco anos que temos um clube sul-coreano na final do principal interclubes da Ásia. Tamanha hegemonia coloca pressão sobre o clube, mas também sobre os adversários. Além disso, há nitidamente uma aposta em jogadores experientes, como Mauricio Molina, acostumado com competições mata-mata, o argentino naturalizado japonês Sergio Escudero, que vem sendo preservado para a decisão (destacou-se no jogo de ida), o montenegrino Damjanovic, o zagueiro brasileiro Adilson, de 37 anos e que atua no F.C. Seoul desde 2008, além de jogadores selecionáveis.

Brasileiro Adilson (com toalha sobre o ombro direito) e o colombiano Molina deixam o campo de treinamento, nesta sexta-feira (8). Sul-americanos também são peça-chave na equipe sul-coreana - foto: reprodução

Brasileiro Adilson (com toalha sobre o ombro direito) e o colombiano Molina deixam o campo de treinamento em Guangzhou (CHN), nesta sexta-feira (8). Sul-americanos também são peça-chave na equipe sul-coreana – foto: reprodução

O que pode dar certo?

A boa fase de dois “estrangeiros” é a aposta do F.C. Seoul: Damjanovic e “Mao” Molina. O montenegrino é responsável por 6 gols na Liga dos Campeões e outros 12 gols na K-League e é sem dúvidas a principal esperança. Eleito melhor jogador em campo do primeiro jogo da decisão, o montenegrino é jogador fundamental nos planos de conquistas.

Homem-gol do F.C. Seoul, o montenegrino Dejan Damjanovic foi o melhor jogador no primeiro jogo da decisão asiática - foto: reprodução

Homem-gol do F.C. Seoul, o montenegrino Dejan Damjanovic foi o melhor jogador no primeiro jogo da decisão asiática – foto: reprodução

Após viver uma fase excelente e depois cair de produção, o colombiano Mauricio “Mao” Molina vive um excelente momento, reencontrando o futebol do começo da temporada. Na K-League, são 13 assistências, duas no último jogo da equipe, sendo o melhor assistente do torneio. Campeão em 2010 com o Songnam Ilhwa Chunma e vice-artilheiro na ocasião, com 7 gols, o próprio jogador admitiu na coletiva desta sexta-feira que espera entrar para a história do futebol sul-coreano com mais um título.

A formação

Ciente do poderio ofensivo do Guangzhou Evergrande, o treinador Yong-Soo Choi deverá escalar sua equipe num 4-2-3-1, variando para o 4-3-2-1. Assim como Lippi, o treinador faz mistério sobre quem irá a campo na grande decisão.

No entanto, a receita sul-coreana passa por muita cautela quando joga fora de casa, cautela esta que, diante do melhor ataque da Ásia, não deverá ser deixada de lado. Experientes, mas com um poder menor de marcação, o brasileiro Adilson e o nipo-argentino Escudero não estão confirmados na partida.

Provável formação: Yong-Dae Kim; Hyo-Jin Choi, Jin-Kyu Kim, Adilson e Joo-Young Kim; Dae-Sung Ha e Myong-Jin Ko; Il-Lok Yun (Sergio Escudero), Maurício Molina e Yo-Han Ko; Dejan Damjanovic.

Provável formação do F.C. Seoul. Na teoria, o 4-2-3-1, dá lugar à prática do 4-3-2-1, isto quando não se posta num 4-4-1-1. Disciplina tática é uma das apostas da equipe - foto: reprodução - footballuser.com

Provável formação do F.C. Seoul. Na teoria, o 4-2-3-1, dá lugar à prática do 4-3-2-1, isto quando não se posta num 4-4-1-1 ao longo do jogo. Disciplina tática é uma das apostas da equipe – foto: reprodução – footballuser.com

A Liga dos Campeões da Ásia você acompanha aqui, no Doentes por Futebol, a casa do futebol asiático no Brasil.

Comentários

Natural de Telêmaco Borba-PR e criado em meio à "boemia futebolística", com horas de papo sobre futebol, samba e cervejas na pauta. Influência do pai, que também adorava futebol, e da mãe, que sempre apoiou a iniciativa. Técnico em Eletrônica, formado desde 1999, e fanático por futebol, futsal, futebol de praia, society e todo esporte que tenha no futebol a sua essência.