Em 2013, a Colômbia é Verde y Blanco

  • por Gustavo Ribeiro
  • 7 Anos atrás
Foto: Golcaracol - Osorio sendo carregado pelos jogadoresw

Foto: Golcaracol – Osorio sendo carregado pelos jogadores

Neste domingo, 15, no estádio Atanasio Girardot, o Atlético Nacional venceu o Deportivo Cali por 2×0 pela final da Liga Postobon II e sagrou-se campeão colombiano de 2013. Os gols da partida foram do lateral Camacho (contra), aos 21 minutos do primeiro tempo, e do atacante Duque, aos 17 da segunda etapa. Esse foi o 13º campeonato nacional do clube, o segundo com mais títulos no país – sendo superado apenas pelo seu rival Millonarios, que tem 14.

Na primeira fase da Liga Postobon, quando jogam todos contra todos, o time liderou até com certa facilidade: em 18 jogos foram 37 pontos – 11 vitórias, quatro empates e três derrotas. Também teve o melhor ataque com 29 gols marcados e a melhor defesa com 12 gols sofridos. Nos quadrangulares jogou no Grupo A, no qual venceu cinco partidas e empatou uma – classificando-se para enfrentar o Deportivo Cali, líder do Grupo B. 

O título também vem para coroar o ano perfeito, em que o time conquistou três das quatro competições que disputou: Liga Postobon I, Liga Postobon II e a Copa Postobon. O único título que o Nacional não conseguiu conquistar em 2013 foi a Copa Sul-americana. 

Um dos grandes personagens deste trabalho é o técnico Juan Carlos Osorio, que está no comando do time desde maio de 2012. Osorio aprendeu na Inglaterra boa parte de seu estilo de treino e filosofia. O treinador esteve a serviço do Manchester City, então como assistente do técnico Kevin Keegan.

Em Medellín, porém, Osorio foi criticado no início de seu trabalho – pois nos primeiros meses o time ainda não mostrava o futebol que a torcida queria ver, com um estilo de jogo mais bonito. Entretanto, logo o clube venceria o Atlético Junior na final da Superliga – disputa que coloca frente a frente os campeões das Ligas Postobon I e II. E, apenas alguns meses depois, Osorio conduziu o clube à conquista da Copa Colômbia – conquistando, também, a confiança de sua torcida. 

Chegou 2013 e o treinador, conhecendo melhor o elenco e com maior tempo de trabalho, conseguiu montar um time quase imbatível no futebol colombiano. No primeiro semestre, foi campeão da Liga Postobon I, vencendo o bom time do Santa Fe na final e garantindo vaga para a Libertadores de 2014. 

Mas nem tudo foi alegria. A eliminação para o São Paulo nas quartas de final da Sul-americana, ocorrida justamente na competição que o time priorizava, fez com que muitos achassem que o time poderia se abater e cair de rendimento. Mas pouco tempo depois o grupo já conquistava a Copa Postobon em cima do Millonarios – mostrando que as suposições sobre o desempenho dos jogadores não passavam de um engano.

Até que na Liga Postobon II o time mostrou um futebol incontestavelmente ofensivo, com linha de ataque avassaladora. E foi assim que conseguiu a incrível sequencia de 29 jogos sem perder (23 vitórias e seis empates), contando jogos do campeonato colombiano e da Copa Sul-americana.

Dos esquemas táticos que Osorio implantou no time, o 3-4-1-2 foi o que melhor funcionou. Time com transições rápidas da defesa para o ataque, boa troca de passes e marcação o tempo todo pressionando o adversário, sempre tentando roubar a bola no campo de ataque.

Como goleiro, o time tem o experiente Martínez; na defesa, Murillo, Henríquez e Nájera; Medina na ala direita, Mejía e Bernal formando a dupla de volantes, e Valencia (ou Díaz) na ala esquerda; mais avançado, Cárdenas joga solto, com total liberdade para se movimentar; no ataque, Duque e Uribe são os responsáveis pelos gols.

Também vale destacar individualmente alguns jogadores deste ótimo trabalho. O meia Cárdenas, de 24 anos, é o cérebro da equipe. É o jogador que mais se movimenta pelo meio-campo e ataque, oferecendo mais opções de passes a seus companheiros. Outros jogadores que se destacaram foram o lateral Medina, o volante Bernal e os atacantes Duque e Uribe. 

O Atlético Nacional encerra o ano de 2013 com números expressivos: 78 jogos disputados (52 pela Liga Postobon, 18 pela Copa Colômbia e 8 pela Copa Sul-americana); foram 46 vitórias, 20 empates e 12 derrotas; 125 gols marcados e 61 sofridos.

Comentários

Projeto de jornalista, mineiro, 20 anos. Viu que não tinha muito futuro dentro das quatro linhas e resolveu trabalhar dando seus pitacos acompanhando tudo relacionado ao futebol, principalmente quando a pelota rola nas canchas dos nossos vizinhos sul-americanos. Admirador do "Toco y me voy" argentino, também escreve no Sudaca FC e tem Riquelme e Alex como maiores ídolos.