Lanús campeão da Copa Sul-americana 2013

  • por Gustavo Ribeiro
  • 7 Anos atrás
Foto: totalame - jogadores levantando o troféu

Foto: totalame – jogadores levantando o troféu

Nesta quarta-feira, o Lanús venceu a Ponte Preta por 2×0 no estádio La Fortaleza e sagrou-se campeão da Copa Copa Sul-americana 2013. Esse foi o terceiro título na história do clube, o segundo internacional. A conquista se deve a um trabalho forte, dentro e fora de campo, e à competência da diretoria.

Com 7 vitórias, 2 empates, 1 derrota e o melhor ataque da competição (foram 16 gols marcados em 8 jogos), o time realizou uma campanha incontestável. Méritos para o ótimo trabalho de Guilhermo Schelotto, que, em um ano e meio como técnico, já conseguiu seu primeiro troféu. É importante lembrar, contudo, que o bom momento do clube não começou agora: nos últimos três campeonatos argentinos, ficou entre os quatro primeiros, e disputou cinco das últimas sete edições da Libertadores.

Desde que Schelotto assumiu o Lanús, já são 67 jogos, 33 vitórias, 21 empates e 13 derrotas, um aproveitamento de 59,7%. Taticamente, o ex-jogador e ídolo do Boca Juniors arma seu time no 4-3-3, com um triângulo de base alta no meio-campo. Trata-se de uma equipe que marca o adversário em seu próprio campo e que tem como ponto forte as jogadas com os pontas. Diferente de outros times, o Lanús não obriga seu trio de atacantes a voltar para recompor o meio-campo e ajudar na marcação – Schelotto os deixa mais à frente, como opções para ligar um contra-ataque em caso de recuperação da posse de bola.

4-3-3 do Lanús

Foto: Reprodução – flagrante do 4-3-3 do Lanús na partida de ida contra a Ponte Preta


O time ataca geralmente com seis jogadores: os três atacantes, os dois meias (Ortiz e González) e o lateral do setor. O Lanús nem sempre tem mais posse de bola que o adversário e tende a ser muito objetivo, principalmente em contra-ataques através de lançamentos longos para os pontas ou para o centroavante fazer o pivô. 

A equipe base usada durante a temporada e na conquista do título foi: Marchesin no gol; Araujo, Goltz, Izquierdoz, Velásquez formando o sistema defensivo; González, Somoza e Ortiz o trié no meio-campo; e Melano, Santiago Silva e Acosta, o trio ofensivo.

Outro mérito do Lanús nesta temporada foi apostar em jogadores sem grande prestígio em outros clubes. Do elenco atual, podemos destacar três: o volante Somoza e os atacantes Acosta e Santiago Silva. Todos eles tinham perdido espaço no Boca Juniors, mas Schelotto acreditou em seu potencial e consegui ótimos resultados, já que se tornaram peças importantes no time campeão. 

O caso mais emblemático é o do atacante Santiago Silva. Desde que Bianchi assumiu o comando do Boca Juniors, “El Tanque” foi perdendo espaço, chegando a passar mais tempo no banco de reservas do que em campo. Pelo time xeneize no primeiro semestre, foram 29 jogos e 12 gols marcados. Pelo Lanús na atual temporada, são 25 jogos, 10 gols e 5 assistências.

Com o título da Copa Sul-americana e já garantido na Libertadores de 2014, o Lanús ainda disputa o Campeonato Argentino. O Granate ocupa a vice-liderança com 30 pontos e enfrenta o quarto colocado Newell’s, que tem a mesma pontuação. Mas, para ser campeão nesse final de semana, terá que torcer para o líder San Lorenzo, que tem 32 pontos, não vencer o terceiro colocado Vélez. Caso dois times terminem com o mesmo número de pontos, será realizado um jogo de desempate.

Comentários

Projeto de jornalista, mineiro, 20 anos. Viu que não tinha muito futuro dentro das quatro linhas e resolveu trabalhar dando seus pitacos acompanhando tudo relacionado ao futebol, principalmente quando a pelota rola nas canchas dos nossos vizinhos sul-americanos. Admirador do "Toco y me voy" argentino, também escreve no Sudaca FC e tem Riquelme e Alex como maiores ídolos.