Ranking da FIFA x Força dos grupos: uma análise estatística

Desde 1994, a FIFA utiliza o ranking da FIFA como um dos critérios para definir os grupos no sorteio da Copa do Mundo.

O DPF faz agora um pequeno exercício estatístico e mostra quais os grupos mais fortes, fracos e equilibrados, em teoria, seguindo o ranking da FIFA e critérios estatísticos, nas últimas cinco Copas, não necessariamente comprovados na prática.

O resultado mostra algumas surpresas, causadas, principalmente, por algumas aberrações no ranking da entidade, como a presença de Gana como a pior africana na época do sorteio da Copa de 2006.

Grupo mais forte e Grupo mais fraco

Para decidir os grupo mais fortes e mais fracos, levou-se em conta a posição média dos países no Ranking da data do sorteio.

Fortes

Grupos “mais fortes” de cada Copa

Curiosamente, as duas últimas Copas foram vencidas por aquelas seleções que cairam no grupo mais forte, segundo os critérios adotados.

Com relação aos grupos mais fracos (tabela abaixo), outra curiosidade: o considerado pela mídia “grupo da morte” de 1998 se enquadraria nessa categoria. Além disso, o “grupo mais fraco” de 2002 foi o último em que duas seleções que nele estavam foram às semifinais de uma Copa.

Grupos "mais fracos" de cada Copa

Grupos “mais fracos” de cada Copa

Grupo mais equilibrados

Para definir os grupos mais equilibrados de cada Copa, de acordo com o ranking da FIFA, foram utilizados dois parâmetros estatísticos: o desvio padrão populacional e o coeficiente de variação de Pearson, que nada mais é do que o desvio padrão dividido pela média. Os resultados são apresentados abaixo.

Chaves mais equilibradas de acordo com o desvio padrão.

Chaves mais equilibradas de acordo com o desvio padrão.

Equilibrio2

Chaves mais equilibradas de acordo com o coeficiente de variação.

2014

Trazendo a análise para 2014, a chave teoricamente mais difícil, de acordo com o ranking, contaria com Argentina, Portugal, Itália e EUA, enquanto a mais fácil ficaria com Bélgica, Austrália, Camarões e Bósnia, conforme a tabela abaixo.

2014

Chaves para 2014 considerando o ranking da FIFA.

Claro que tudo isso que foi mostrado é apenas um exercício estatístico, e na verdade quase sempre o campeão não sai daquela chave considerada a mais forte. Sem contar que sabemos do quanto o ranking da FIFA pode estar distorcido por resultados de amistosos ou uma participação ruim de uma boa seleção em um campeonato continental, por exemplo.

Apenas palpitando, acho que um grupo com Brasil, Holanda/Portugal, Itália e EUA seria o mais forte possível. Do lado contrário, uma chave com Suíça, Argélia, Grécia/Romênia e Honduras seria bem tranquila. Claro, tudo na teoria. Para um doente por futebol, o melhor mesmo é esperar a sexta-feira e vibrar com cada bolinha retirada.

Comentários

Sergio Rocha é torcedor do Madureira e sempre teve o sonho de escrever sobre esportes em geral, embora tenha optado pela carreira de engenheiro civil. No "currículo", cadernos recheados de resultados esportivos e agendas da década de 90, quando antes da internet acessava rádios de diversos locais do país buscando os resultados esportivos do Acre à Costa Rica. Além de fanático por futebol, é fanático por praticamente todos os esportes, e no tempo livre que sobra sempre busca os últimos resultados esportivos do PGA Tour ou dos futures da ATP. Além disso, coleciona quadrinhos da Disney e é louco por astronomia.