Evo Morales está insatisfeito com o futebol boliviano

evo morales maradona

Penúltimo lugar nas Eliminatórias para a Copa do Brasil de 2014, a seleção boliviana não tem sido motivo de orgulho para o seu povo. Muito menos para o presidente do país, Evo Morales, fã confesso de futebol e torcedor do The Strongest. Em entrevista concedida ontem, o chefe de estado boliviano admitiu que sofre muita pressão para intervir na administração do esporte nacional “É nossa fraqueza no momento, e temos que superá-la”, afirmou. E revelou: “Vocês nem imaginam a pressão que recebo para intervir no futebol boliviano”.

O presidente parece ter identificado um problema que não é exclusividade de seu país: os “eternos dirigentes”. Segundo Morales, muitos deles querem viver do esporte e prejudicam o futebol boliviano por sua atitude, à qual ele definiu como “ambiciosa”. E para mudar esta realidade, propõe que seja feita “uma dura mudança”:

– (…) E em que consiste esta mudança? Que os dirigentes sejam responsabilizados. Não podemos continuar como estamos no futebol.

Mas Morales não se limitou a criticar. Ele apontou também o que, para ele, seria a solução do problema: olhar com carinho para as zonas rurais do país, e tentar encontrar os craques do futuro, que poderão tirar o país do incômodo posto de segunda pior seleção do continente.

Depois de trazer tantas soluções ao seu povo, quem sabe não será dele também o primeiro passo no sentido de um futebol boliviano mais forte?

Comentários

Jornalista recifense, sócio-diretor do Doentes por Futebol, editor da Revista Febre. Curioso observador de tudo o que cerca o futebol brasileiro e internacional.