Guia do Campeonato Mineiro – Parte I

  • por Alexandre Reis
  • 7 Anos atrás

 

Regulamento

Como de costume, o Campeonato Mineiro, que terá início no dia 26/01 e término marcado para 13/04, será realizado em duas fases contando com 12 equipes. Na primeira, todos se enfrentam em turno único. Os quatro melhores colocados fazem a semifinal, de modo que o líder da primeira fase enfrenta o quarto colocado e o segundo pega o terceiro. Os dois piores clubes serão rebaixados para o Módulo II. Caso haja empate entre algum clube no número de pontos, os critérios de desempate, respectivamente, são: número de vitórias, saldo de gols e gols feitos.

Vale lembrar que, já na segunda fase, os jogos somente poderão ser realizados em estádios cuja capacidade seja igual ou maior a 10.000 torcedores. Os melhores colocados na fase inicial têm as vantagens de decidir se farão a primeira ou a segunda partida da semifinal/final em casa e de jogar por dois resultados iguais ou pelo mesmo saldo de gols nos confrontos.

 

América

A terceira força do estado, após ter brigado até o fim do ano passado pelo acesso à Série A do Brasileiro, tem como meta apagar a má campanha do último Mineiro. Na ocasião, foi apenas o oitavo. Para isso, realizou uma considerável reformulação no elenco, trazendo bons nomes. Talvez seja, no papel, o melhor América dos últimos anos. Os atacantes Fábio Júnior e Alessandro não renovaram com o clube e deram seus lugares a Caio Dantas, artilheiro da última Copa SP de Juniores com nove gols, e Obina, que participou da Série A do Brasileiro de 2013 defendendo as cores do Bahia. O volante Leandro Guerreiro, ex-Cruzeiro, também foi contratado. Além destes, outras cinco aquisições e quase 15 saídas foram confirmadas. Alguns atletas por empréstimo ainda podem aparecer.

Resta saber quanto tempo o técnico Silas levará para dar uma identidade ao time titular e como tal tarefa será feita. O América terá pela frente uma primeira fase bem dividida e equilibrada. Jogará contra os rivais Cruzeiro e Atlético na terceira e sexta rodadas, respectivamente. Se precisar de pontos no final da primeira fase, não terá que disputá-los contra tais equipes, favoritas ao título. Tem elenco e tradição para surpreender.

Time base: Matheus; Leandro Guerreiro, César Lucena, Vítor Hugo (Lula) e Gilson; Doriva, Fabio Caballero, Willians e Pinga; Wéverton (Caio Dantas) e Obina.

Estádio: Independência (23.018 torcedores)

Títulos do Mineiro: 15

Palpite Doentes por Futebol: chega à semifinal

Atlético

Outro grande do estado, o Galo, depois de ter vivido seu melhor ano dentre os incompletos 106 que possui de vida, entra mudado no Estadual. O técnico Cuca, principal responsável pela recuperação da boa imagem do Atlético no cenário nacional, foi para o futebol chinês após o fracasso do Mundial. Para seu lugar, Paulo Autuori foi o escolhido. O novo comandante deu início à pré-temporada apenas no dia 20, uma semana antes do início do Mineiro. Mesmo possuindo um time que joga há um bom tempo junto, o pouco período do Atlético para treinamento e entrosamento pode fazer alguma diferença contra equipes dadas como concorrentes diretos, considerando que este será um novo trabalho com novo técnico.

Ronaldinho, líder do grupo, recentemente renovou seu contrato. Mesmo com o baque no Marrocos e novo treinador, é praxe colocar o Atlético como adversário direto de seu arquirrival Cruzeiro na briga pelo título. O atual campeão mineiro praticamente vem com o mesmo time titular do ano passado. Se comparado àquele elenco da Libertadores, pode ter perdido um pouco em vibração, mas ainda é muito forte e possui jogadores de qualidade e com muito potencial.

Time base: Victor; Marcos Rocha, Leonardo Silva, Réver e Lucas Cândido; Pierre e L. Donizete (Josué); Diego Tardelli, Fernandinho e Ronaldinho; Jô.

Estádio: Independência (23.018 torcedores)

Títulos do Mineiro: 42

Palpite Doentes por Futebol: chega à final

 

Boa Esporte

O ano passado do Boa Esporte não foi tão bom como os torcedores bovetas esperavam. Em 2013, o clube veio com a responsabilidade de ser o melhor representante do interior de Minas, tanto no Estadual quanto no cenário nacional. No entanto, ficou em décimo lugar do Mineiro e quase caiu para o Módulo II. Na Segundona do Brasileiro, viveu altos e baixos e terminou na 11ª colocação. Com novo técnico e reforços, o time deste ano é, novamente, o principal favorito a ficar com a quarta vaga e/ou ser o interiorano mais bem posicionado na primeira fase. Quanto ao elenco, aproximadamente 30 jogadores estarão à disposição de Ney da Matta.

O ponto positivo é que o clube varginhense conseguiu manter boa parte de seus principais jogadores, apesar da saída de Fernando Karanga, destaque boveta em 2013. Também repôs algumas perdas, como a do volante Rodrigo Souza, que foi para o Cruzeiro. A expectativa é que faça um bom campeonato e que consiga ir pela primeira vez às semifinais do Mineiro desde que se tornou Boa Esporte, em 2011.

Time base: Jonatas; Sheslon, Thiago Carvalho, Carciano (Alex Silva) e Marinho Donizete; Betinho, Wendel, Thiago Galhardo e Francismar; Giovanni e Luiz Paulo.

Estádio: Melão (15.471 torcedores)

Títulos do Mineiro: nenhum

Palpite Doentes por Futebol: chega às semifinais

 

Caldense

Depois de alguns amistosos e jogos-treino feitos na pré temporada, que começou em dezembro do ano passado, a Caldense, sob o comando do técnico Leandro Condé, entra no Estadual para tentar conseguir uma vaga nas semifinais. O feito por muito pouco não aconteceu em 2013, quando acabou na sexta colocação. Agora, com novas peças, busca tal objetivo que há dez anos não consegue alcançar. O atacante Luiz Eduardo, que retornou à Veterana, vem sendo o principal destaque do time nas partidas preparatórias para o Mineiro. Marcou três gols nos amistosos preparatórios para o Estadual.

A tabela ajuda o clube de Poços de Caldas. Enfrentará América, Atlético e Cruzeiro nas rodadas 11, 9 e 2 – duas dessas partidas em casa, no Ronaldão. A Caldense, desde o início desse milênio, vem sendo um dos times que mais figuraram na parte do meio da tabela, entre a quinta e a décima posição. Talvez brigue pela quarta vaga como no ano passado, mas deve mesmo seguir a tradição.

Time base: Gilberto (Neguete); Andrezinho, Plínio, Marcelinho e Rafael Estevam; Maxsuel, Michel, Diney e Everton Maradona; Luiz Eduardo e Léo Andrade.

Estádio: Ronaldão (14.000 torcedores)

Títulos do Mineiro: 1

Palpite Doentes por Futebol: meio da tabela

 

Cruzeiro

Depois de um ano passado quase perfeito e de ter conquistado o Brasileiro de forma inquestionável, o Cruzeiro, como de costume, entra como franco favorito para a conquista do título do Estadual. Manteve o time base intacto e contratou relativamente bem para a atual temporada. Além disso, vem negociando jogadores que pouco acrescentaram ao trabalho de Marcelo Oliveira na última temporada. Em 2013, com o elenco completamente em formação e buscando um estilo de jogo, chegou à final contra o Atlético e não levou o título por detalhes. A tendência é, já mais consolidado, coeso e com peças mais qualificadas, vir mais forte para vencer a competição.

O que pode forçar o clube a fazer o natural rodízio de jogadores por mais tempo é o fato do título da Libertadores da América ser a principal meta do time celeste em 2014. No entanto, a equipe não deve ter sérios problemas, uma vez que o banco de reservas foi o principal fator para que o time tivesse o melhor desempenho futebolístico do país em 2013. Com as chegadas de Marlone, M. Moreno e Samudio, a suplência ficará ainda melhor.

Time base: Fábio; Ceará (Mayke), Bruno Rodrigo, Dedé e Egídio (Samudio); Nilton e Lucas Silva; Everton Ribeiro, Dagoberto e Ricardo Goulart; Borges.

Estádio: Mineirão (57.483 torcedores)

Títulos do Mineiro: 37

Palpite Doentes por Futebol: chega à final

 

Guarani

O Bugre não tem conseguido bons resultados nas últimas edições do Campeonato Mineiro. Em uma delas, em 2009, ficou em último e foi rebaixado para o Módulo II. Conseguiu o acesso em 2010 e, depois disso, só foi mais um clube na tabela da primeira fase. Apesar das mais de 10 contratações e da reformulação no elenco, não fez um mercado satisfatório, sem conseguir trazer um ou dois nomes considerados realmente bons. Dois fatores, no entanto, que podem ajudar o Guarani são: o Farião – antes, quando este estava em reforma, a equipe divinopolitana mandava seus jogos na Arena do Calçado, em Nova Serrana – e a permanência do técnico Leston Júnior, que contribui para a continuidade do trabalho e a correção de erros cometidos no ano passado.

A exemplo da Caldense, o Guarani é um dos times que mais ficaram no meio da tabela de classificação para a semifinal. Um possível rebaixamento é improvável, mas não está fora de cogitação. A expectativa do clube é a melhor possível, mas não deve surpreender tanto.

Time base: George (Raphael Barrios); Alex Santos, Marx Ferraz, Cris e Ralph; Tiago Carpini, Michel Elói, André Silva e Michel Cury; Tito e Tiago Pereira.

Estádio: Farião (4.181 torcedores)

Títulos do Mineiro: nenhum

Palpite Doentes por Futebol: meio da tabela

Clique aqui para ver a Parte II

Comentários

Estudante de Jornalismo, apaixonado por futebol. Seja a final da Copa do Mundo, as semifinais de uma Copa Rural, um jogo da Liga dos Campeões ou eliminatória da 4° divisão de algum campeonato amador do interior.