O 1º Mágico da Bola

  • por Lulu
  • 7 Anos atrás

Antes de Ronaldinho Gaúcho…

Surgiu Jorge Alberto González Barillas (San Salvador, 13 de Março de 1958), ou simplesmente Mágico González! Contemporâneo de Zico, Platini e Maradona, o jogador do pequeno país, El Salvador, teve grandes momentos atuando pelo modesto Cádiz da Espanha, onde demonstrou poderio lúdico saliente, principalmente na primeira passagem pelo clube (1982 a 1984). Chegou a ser testado no Barcelona de Menotti e do próprio El Pibe de Oro numa excursão de pré-temporada nos Estados Unidos (1983), mas foi preterido pela conduta antidesportiva (bebedeira e libertinagem).

Mágico González em ação pelo Cádiz.

Mágico González em ação pelo Cádiz | Foto: Reprodução

Como dito anteriormente, apesar do grande talento – incluindo dribles peculiares como “la culebra macheteada” (espécie de elástico, executado com a parte interna ou externa do pé) –, Mágico González sucumbiu diante do descompromisso dominado por hábitos mundanos e má administração da carreira, que foi encerrada em 2000 na terra natal quando já tinha 42 anos de idade.

Ainda assim, o excêntrico e pouco badalado boleiro (melhor definição para ele não há) conseguiu uma façanha e tanto classificando sua Seleção para a Copa da Espanha (1982) – feito inédito e até hoje nunca repetido. Parece pouco, mas o “Primeiro Mágico da Bola” é referência nacional, ídolo de uma nação que nunca o esqueceu. Motivo? Lances memoráveis como os do vídeo abaixo:

Comentários

Homem garoto de convicções grisalhas formado em Ciência da Menstruação, Agronomia Espacial, Lirismo Marginal e Terapia Libidinosa. Com repertório vocacional fincado em irreverência, improviso, cinismo lúdico e boleiragem plena.