Everton, a sensação da Premier League 13/14

  • por Saimon
  • 6 Anos atrás

A temporada 2013/2014 da Premier League é a mais disputada dos últimos anos. Clubes milionários como Chelsea, Arsenal e Manchester City estão em uma disputa acirrada pelo título. Com elencos mais modestos, mas não menos ricos, aparecem Liverpool e Tottenham, que devem se contentar com a briga da quarta vaga na Liga dos Campeões. De olho neles está o poderoso Manchester United, que até então não se encontrou com David Moyes, sucessor do lendário Alex Ferguson.

Mas o que acontece se nem Liverpool, nem Tottenham e nem Manchester United conseguirem essa vaga para a Champions League? É aí que entra o Everton, que figura entre os sete primeiros colocados desde 2010, mas só agora tem uma chance real de buscar a vaga no torneio continental. Com vinte e seis rodadas completadas, o time está na sexta colocação; passou parte do campeonato entre os quatro primeiros e desde o início vem à frente do Manchester United, por exemplo.

Foto: Reprodução - Elenco comemora vitória em Old Trafford

Foto: Reprodução – Elenco comemora vitória em Old Trafford.

O fim da janela

Um dos segredos para esse sucesso do Everton veio no fim da janela de transferências, em agosto do ano passado. Após passar o último dia especulando diversos atletas, nos últimos minutos, a equipe anunciou um trio de jogadores que é pilar do time considerado titular. De uma só vez, Roberto Martinez recebeu Romelu Lukaku, Gareth Barry e James McCarthy. A temporada já havia iniciado e, sem esses reforços, o Everton acumulava três empates em três jogos. Com eles, foram mais 22 jogos na Premier League, sendo um aproveitamento de quase 64%.

Foto: Reprodução - Trio chegou no fim da janela europeia.

Foto: Reprodução – Trio chegou no fim da janela europeia.

Perfeição na bola parada

Outro segredo da jovem equipe inglesa é a bola parada. O especialista é Leighton Baines, que, em cobranças de pênaltis e principalmente de faltas, tem deixado sua marca em confrontos importantes. Mas não é só ele. O belga Kevin Mirallas vem aperfeiçoando a cada rodada sua bola parada, tendo feito não apenas gols de falta, como também assistências certeiras nas cabeças dos companheiros.

Foto: Reprodução - A perfeição de Mirallas e Baines na bola parada.

Foto: Reprodução – A perfeição de Mirallas e Baines na bola parada.

Rapidez nos ataques

O toque rápido do Everton tem impressionado muita gente. E uma dupla que contribui para isso é Romelu Lukaku e Ross Barkley. O primeiro soma 9 gols e 4 assistências na Liga, enquanto Barkley, que também é da geração 93, impressionou tanto que recebeu convocações para a seleção inglesa. Mais novo que eles, vem o espanhol Deulofeu, emprestado pelo Barcelona. Após um início fraco e sendo chamado pela imprensa de fominha, Deulofeu ganhou uma vaga definitiva na equipe titular e não decepcionou. Acabou sacado por uma lesão que o deixou fora do time até o começo deste mês.

Foto: Reprodução - Boas atuações renderam a Ross Barkley uma vaga na seleção inglesa.

Foto: Reprodução – Boas atuações renderam a Ross Barkley uma vaga na seleção inglesa.

Outros pontos importantes também podem ser citados, como a segurança no gol graças ao veterano Tim Howard. Do meio para frente, os já conhecidos Osman, Pienaar e Barry dão equilíbrio e experiência ao time. Não menos importantes são os reforços da janela de janeiro: Aiden McGeady chegou para compor o meio de campo, enquanto Lacina Traoré vem substituindo Lukaku enquanto este está lesionado. O marfinense estreou no fim de semana e marcou um gol de calcanhar pela Copa da Inglaterra.

O Goodison Park também é um fator interessante. Em doze jogos, foram oito vitórias e apenas uma derrota, contra o até então lanterna Sunderland. A derrota custou caro, mas não inibiu os planos do Everton de buscar a histórica vaga, que não vem desde 2005/2006 quando os Toffees foram derrotados na fase eliminatória pelo Villarreal de Riquelme.

O próximo desafio será no sábado, contra ninguém mais ninguém menos que o líder Chelsea. Para esse jogo, Roberto Martinez não terá as presenças de Lukaku e Bryan Oviedo, mas deve contar com a volta definitiva do lateral Coleman, autor de seis gols na temporada. Uma vitória em Stamford Bridge pode ser o gás que falta à equipe para retornar entre os primeiros. Por outro lado, uma derrota acaba de vez com o sonho dos Toffees.

Comentários

Palmeirense, 23 anos. Acompanha futebol em qualquer canto. Fã da ótima geração belga.