Histórias das Copas #04 – Os técnicos que apitavam

Nas primeiras Copas, os juízes viajavam juntos às delegações, não havendo, no torneio, juízes de outros países senão os que brigariam pelo título. Assim, em 1930, havia seis uruguaios, dois belgas, um argentino, um brasileiro, um mexicano, um francês e um chileno com a missão única de apitar ou bandeirar as partidas.

O fato curioso, porém, é que dois técnicos também trabalhavam como juiz ou bandeirinha nas partidas. O boliviano Ulises Saucedo apitou uma partida: Argentina 6 x 3 México, quando marcou vários pênaltis. Nessa mesma partida, o árbitro assistente era o técnico da Romênia, Constantin Radulescu.

Saucedo (à direita) foi bandeirinha na final. (Foto: Getty Images)

Saucedo (à direita) foi bandeirinha na final. (Foto: Getty Images)

No total, Radulescu foi assistente em duas partidas, enquanto Saucedo foi árbitro em uma e auxiliar em cinco, incluindo a final. O boliviano só não participou de uma partida do Uruguai (contra o Peru) e da Argentina (contra os EUA). Saucedo e Radulescu atuaram juntos, como bandeirinhas, na partida Argentina x França.

Fora do futebol, Radulescu competiu no Bobsleigh nos Jogos Olímpicos de Inverno de 1936, nas provas de duplas (15º lugar) e equipe (não terminou a competição).

Comentários

Sergio Rocha é torcedor do Madureira e sempre teve o sonho de escrever sobre esportes em geral, embora tenha optado pela carreira de engenheiro civil. No "currículo", cadernos recheados de resultados esportivos e agendas da década de 90, quando antes da internet acessava rádios de diversos locais do país buscando os resultados esportivos do Acre à Costa Rica. Além de fanático por futebol, é fanático por praticamente todos os esportes, e no tempo livre que sobra sempre busca os últimos resultados esportivos do PGA Tour ou dos futures da ATP. Além disso, coleciona quadrinhos da Disney e é louco por astronomia.