O Polvo mais cobiçado da Europa

  • por Levy Guimarães
  • 4 Anos atrás

O POLVO MAIS COBIÇADO DA EUROPA

Entre o fim de 2012 e o início de 2013, os técnicos Mano Menezes e Luiz Felipe Scolari apostaram alto num tal Fernando para a volância da seleção. Um jogador forte fisicamente e que tem como principal característica a marcação. Após alguns jogos, Felipão viu que aquele poderia não ser o nome ideal para a posição, deixando de convocar o jogador do Shakhtar. O que ele e Mano não sabiam era que talvez estivessem apostando no Fernando errado.

Do outro lado do continente europeu, às margens do Atlântico, um outro jogador de mesmo nome e mesma posição já se destacava há muito mais tempo: Fernando Reges, 26 anos, 1.83m, também brasileiro e hoje a principal figura do meio-de-campo do Porto, atual tricampeão português. No clube português, pelo qual joga regularmente desde 2009, foi peça-chave não só nos títulos nacionais, como também na conquista da Liga Europa na temporada 2009/2010 e de três Taças de Portugal.

Foto: reprodução - Fernando comemorando o título da Liga Europa, na temporada 2009/2010

Foto: Getty Images- Fernando comemorando o título da Liga Europa conquistada pelo Porto

Revelado pelo Vila Nova-GO e contratado aos 20 anos pelos Dragões, Fernando é aquele típico cão-de-guarda que todo técnico gosta de ter no time: com um senso de cobertura impressionante, marcação forte e muito vigor físico, foi um dos grandes responsáveis pelo fato de o Porto ter tido, nas últimas temporadas, a melhor defesa de Portugal e, estatisticamente, uma das melhores da Europa. Não à toa ganhou o apelido de Polvo, pois consegue cobrir diferentes faixas do campo de defesa, como se tivesse vários “tentáculos” que o possibilitassem isso.

Mas não é só de marcação que vive o brasileiro. Ao longo dos anos, tem se aperfeiçoado também na saída de bola, e atualmente, com a falta de um meia de ligação eficiente no Porto, por vezes também se aproxima da área a fim de fazer a bola chegar nos pontas e atacantes. Também pode ser uma arma importante no jogo aéreo, mesmo não sendo tão alto quanto outros jogadores de sua posição. Hoje, pode-se dizer que Fernando se tornou um cabeça-de-área completo.

Foto: Getty Images - Fernando no que sabe fazer melhor: desarmar adversários

Foto: Getty Images – Fernando no que sabe fazer melhor: desarmar adversários

Além de títulos e boas exibições, o que não têm faltado ao jogador nos últimos tempos são clubes de grandes ligas interessados em seu passe. Só nesta última janela de transferências, Manchester City, Manchester United, PSG e Liverpool tentaram levar o atleta. Em outras oportunidades, Inter de Milão e Chelsea também o cobiçaram, mas todos esbarraram nas altas exigências do Porto para liberar o brasileiro. Mesmo assim, parece questão de tempo para que algum desses clubes seja o destino do Polvo: o contrato de Fernando com o Porto termina em julho deste ano, liberando o volante para negociar com qualquer equipe.

Cidadania portuguesa

Não são só grandes clubes europeus que desejam contar com o jogador. No fim do ano passado, Fernando naturalizou-se português, podendo, assim, atuar pela seleção de Portugal, como fizeram vários outros brasileiros ao longo dos últimos anos. Entretanto, o sonho de jogar pelo Brasil falou mais alto, e o jogador já afirmou que, por enquanto, não tem interesse em representar a seleção portuguesa.

Consciente de que dificilmente vai receber a sua primeira chance logo às vésperas da Copa do Mundo, é provável que ele aguarde mais algumas convocações até ser chamado. Mas se o volante brasileiro mais regular das últimas temporadas continuar a ser esquecido por mais tempo, corremos o risco de perder o que seria, no mínimo, um teste bastante válido para a seleção brasileira.

Atualização (03/05/2014) A FIFA negou o pedido da Federação Portuguesa para poder contar com Fernando em seu escrete principal. Sorte do Brasil, falta agora a CBF aproveitar este excelente jogador.

Confira lances do Polvo em ação:

[youtube id=”mnUn5nDzpJs” width=”620″ height=”360″]

[youtube id=”FdAHDC_ZS_A” width=”620″ height=”360″]

Comentários

Estudante de Jornalismo e redator no Placar UOL Esporte, belo-horizontino, apaixonado por esportes e Doente por Futebol. Chega ao ponto de assistir a jogos dos campeonatos mais diversos e até de partidas bem antigas, de décadas atrás.