Chelsea: procura-se um camisa 9

  • por Raniery Medeiros
  • 7 Anos atrás

chel

Candidato ao título inglês e vivo na briga pelo troféu da Champions League, o Chelsea vem fazendo uma excelente temporada. Após o nebuloso 2012/2013, quando foram eliminados precocemente no torneio europeu, os Blues foram atrás de José Mourinho para ajustar os problemas. No entanto, no que concerne o desempenho dos seus atacantes, o português vem quebrando a cabeça para entender a razão do fraco desempenho dos mesmos.

Se a defesa é o ponto de equilíbrio do time, o ataque vem sendo a tormenta. Ao analisarmos os números do clube londrino, encontraremos em Eden Hazard, winger do time, o artilheiro da atual temporada com 15 gols. E o centroavante? Bem, Eto’o está com 10 gols e Fernando Torres tem 9. A diretoria deve olhar para o Liverpool e sentir um forte arrependimento ao analisar os números de Daniel Sturridge, vice-artilheiro da Premier League com 18 gols.

[youtube id=”yfG64OExWYM” width=”620″ height=”360″]

Não é de hoje que o Chelsea passa por esse problema. Depender esporadicamente dos seus atacantes, tendo que batalhar em duas competições importantes, não é o ideal. Como diz o trecho da música do Skank: “o centroavante, o mais importante”, e esse dilema vem rondando Stamford Bridge há algumas temporadas.

Essa ilação pode até ser injusta para com a divisão de gols da equipe. Em contrapartida, apenas corrobora o vergonhoso desempenho dos atacantes azuis, bem como a insegurança que deixam transparecer. Vamos aprofundar essa situação.

Como enfatizado anteriormente, Hazard é o artilheiro da equipe na temporada com 15 gols, sendo 13 deles na liga inglesa. Rápido, habilidoso, em excelente momento, o belga tem seus méritos. Mas a obrigação da artilharia é de quem joga dentro da área adversária. Sendo assim, vamos aos números dos atacantes nas temporadas anteriores da Premier League em comparação com outros goleadores de destaque da equipe.

2012/2013

Artilheiro da equipe: Frank Lampard – 15 gols
Fernando Torres: 8 gols

2011/2012

Artilheiros da equipe: Frank Lampard e Daniel Sturridge – 11 gols
Fernando Torres: 6 gols
Didier Drogba: 5 gols

2010/2011

Artilheiro da equipe: Florent Malouda – 13 gols

Didier drogba: 11 gols.

Deu para perceber o problema? O fraco desempenho de Fernando Torres já não é uma surpresa para os que acompanham o atleta. O contraste com os atacantes das equipes da ponta da tabela é perceptível. Não estamos falando de um cara que faça “hat-tricks” constantemente ou de alguém que brigue pela artilharia. O “X” da questão é a confiança no camisa 9, o centroavante. Eto’o? Torres? Ba? Dos três, o camaronês é o que mais tem agradado.

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

O próprio Mourinho, em entrevista à emissora francesa “Canal Plus”, disse: “Não temos um goleador”. O treinador ainda deixou no ar um possível interesse pelo colombiano Falcao García: “Não temos Falcao e Falcao não tem um time. Ele joga para 3 mil pessoas. Um atleta não pode jogar para 3 mil pessoas. Se um dia eu treinar o Mônaco, será para encerrar minha carreira”.

Último jogador do Chelsea a ser artilheiro da Premier League, na temporada 2009/2010, Didier Droba recebeu o carinho dos torcedores no jogo da última quarta-feira, quando o Galatasaray enfrentou os ingleses. Didier é ídolo e referência. Nas temporadas em que conquistou o título inglês ao lado do treinador português, não foi o artilheiro. Por outro lado, a divisão de gols era bem feita e a torcida não desconfiava dos seus atacantes. Por exemplo: em 2004/2005: Gudjohnsen 12 e Drogba 10 gols. Em 2005/2006: Drogba 12 e Crespo 10 gols.

[youtube id=”aIMBQ1ETqYY” width=”620″ height=”360″]

Sendo assim, percebe-se a intensa participação desses matadores tão representativos na história dos títulos que os blues conquistaram. Pensando em um jogador a longo prazo, que possa dar alegrias aos torcedores, quais seriam as opções existentes no mercado? De momento, essa situação incomoda José Mourinho, e tenham certeza de que para a próxima temporada o comandante azul irá atrás de alguém que seja artilheiro e transmita confiança ao grupo e principalmente aos fãs.

Comentários