Em queda livre!

  • por Raniery Medeiros
  • 7 Anos atrás
Foto: Leverkusen Brasil

Foto: Leverkusen Brasil

O bom início de temporada deu indícios de que o ano seria diferente para o Bayer Leverkusen. A equipe de Sami Hyppiä chegou a brigar pela liderança da Bundesliga com o Bayern de Munique, em jogo válido pela 8ª rodada. O futebol consistente e o poderoso ataque deram certo na largada. No entanto, os bons momento ficaram para trás. A derrocada dos “Löwen” ainda é uma incógnita para muita gente.

Não há uma teoria exata para dimensionar o tamanho do estrago que foi causado após tantos tropeços. O que se sabe, por ora, é que o time não está conseguindo vencer. Nem mesmo Kiessling, matador e esperança de gols da equipe, atravessa boa fase. Quais os reais problemas do Leverkusen? Analisemos, por partes, as adversidades encontradas por Hyppiä e companhia.

Bundesliga: (FAIL)

Ótimo começo de campeonato, briga pela ponta da tabela e euforia por parte da torcida. Até o empate em casa, contra o poderoso Bayern de Munique, deu sinais de que o Bayer estava sólido e pronto para a maratona que estava por vir. Vice-líder até bem pouquíssimas rodadas, foi ultrapassado pelo Borussia Dortmund. Para piorar de vez, o Schalke 04 igualou-se em número de pontos e vem em ascensão na liga. Hoje, ocupando a 3ª colocação, já vê o Wolfsburg bem de perto no retrovisor. Pegando as últimas dez partidas, teremos: 3 vitórias, 6 derrotas e 1 empate. Para piorar a situação, a próxima partida será contra do Super Bayern!, em Munique. Que fase!!!

Foto: site OGOL

Foto: site OGOL

Copa da Alemanha: eliminação inesperada

Mesmo não atuando de forma regular, foi passando de fase. Já nas quartas de final, quando enfrentou o Kaiserslautern (2ª divisão), eliminação em plena BayArena, na prorrogação. Mesmo com maior posse de bola e criando boas oportunidades, o time não evitou o gol de Jenssen, no minuto 116. Vexame!

[youtube id=”qSqx4TRqzBo” width=”620″ height=”360″]

Champions League: nocauteado

Na primeira fase, o Bayer conseguiu a 2ª colocação em um grupo que contou com Manchester United, Real Sociedad e Shakhtar Donetsk. A dura realidade veio na partida de ida das oitavas de final, quando foi massacrado, em casa, pelo Paris Saint-Germain. Os sonoros 4×0 só corroboraram o mau momento.

Foto: BBC

Foto: Getty Images

O 4-3-3 sem criatividade

Não adianta jogar com três atacantes se o elenco não tiver um jogador que articule, municie e pense por todos eles. Se a bola não chega redonda ao ataque, é evidente que o problema encontra-se na armação de jogo. Realmente, as bolas longas têm sido uma constante no momento da transição. Sam, Son e Kiessling são bons jogadores, mas passam longe de fazer milagres. Rolfes e Bender tem alguma qualidade, mas cá entre nós, não dá para esperar que eles articulem a equipe. Sendo assim, existe uma lacuna quando abordamos o setor de criação. Portanto, enquanto o problema persistir, o Leverkusen ficará à mercê da individualidade de jogadores mais agudos.

Até você, Kiessling?

Kiessling é um artilheiro, matador, bom assistente e possui posicionamento invejável. Essas qualidades permitiram que ele fosse artilheiro da temporada 2012/2013 da Bundesliga. A imprensa alemã questionou muito sua não-convocação para a seleção do país então, já que o “camisa 9” era o centroavante que atravessava melhor momento. Para retomar o bom ritmo, o Leverkusen precisará que o atleta recupere a velha forma. Afinal de contas, o atacante não marca um gol desde o dia 01 de Fevereiro.

Foto: Getty Images

Foto: Getty Images

Negociação de Sidney Sam

O avançado assinou um contrato de quatro anos com o Schalke 04. Veloz e habilidoso, Sam optou por novas experiências, dando a notícia ainda no período de transferências. Querendo ou não, isso mexe com o emocional do atleta e do time.

Foto: Reprodução

Foto: Reprodução

É hora de acordar!

Já passou da hora de erguer a cabeça e retomar o caminho das vitórias. Como a missão na Champions League beira ao impossível, o foco deve ser a vaga para a próxima edição do torneio europeu. Empatado com o Schalke 04 na 3ª colocação com 44 pontos, é bom ficar esperto com o Wolfsburg, que vem logo atrás, com 39.

Os bons resultados podem e devem aparecer de qualquer jeito. De imediato, faz-se necessário o ajuste do meio de campo (criação de jogo) e o “retorno” de Kiessling. Para que os torcedores não escutem piadinhas como “Neverkusen”, é bom abrir o olho. O time está brincando de saltar, mas sem o paraquedas.

Comentários