Gol na Eredivisie? É de Finnbogason!

CHAMADA

(Matéria atualizada em 03/05/2014)

Historicamente um bom lugar para revelar goleadores, a Eredivisie – primeira divisão do futebol holandês – já tem um sucessor para Wilfried Bony, artilheiro da última edição com 31 gols em 30 jogos. Trata-se do islandês Alfred Finnbogason, que anotou 24 gols na temporada pretérita (ficando em 3º na artilharia, atrás, além de Bony de Graziano Pellè, jogador do Feyennord) e que marcou 29 tentos em 31 jogos nesta temporada (isso sem falar de suas 09 assistências).

início brejavik

Foto: sport.stv.tv

Formado no Breidablik UBK, de seu país natal, estreou como profissional aos 19 anos e na temporada inicial foi pouco utilizado, anotando um gol em quatro jogos. Foi na segunda temporada como profissional que o artilheiro começou a mostrar suas garras. Atuando em 18 partidas, conseguiu marcar 13 vezes, o que lhe rendeu o prêmio de jogador jovem do ano no país e o levou a conseguir alguns testes em terras estrangeiras. Viking da Noruega, Blackpool (então campeão da Championship) e Genk da Bélgica o receberam, mas, ao fim das avaliações, não ofereceram-lhe contrato. Assim, Alfred seguiu na Islândia por mais uma temporada – o que foi excelente para ele.

No período de 2010 – a temporada na Islândia, como no Brasil, é anual –, o artilheiro mostrou novamente seu faro de gol, marcando 14 em 21 jogos. Dessa vez, foi eleito o melhor jogador do campeonato, sagrou-se artilheiro da competição (ao lado de Atli Björnsson e Gilles Daniel Mbang Ondo) e, de quebra, levou seu clube ao primeiro e único título do campeonato em toda a sua história.

Com o fim da temporada e com tantos êxitos, era chegada a hora da partida. Primeira parada: Lokeren, Bélgica!

BELGICA

Foto: reprodução

Aos 21 anos, Finnbogason decidiu se aventurar no futebol belga, assinando um contrato de dois anos e meio com o Lokeren. Apesar de ter chegado ao clube como grande esperança de gols, não conseguiu repetir as atuações anteriores, balançando as redes somente quatro vezes em 15 partidas – obviamente teve dificuldades de adaptação a uma liga mais forte (a liga islandesa é apenas 37ª no ranking da UEFA). O mau desempenho levou a equipe a emprestá-lo por seis meses ao Helsingborgs, da Suécia.

suécia

Mais perto de casa, o atacante voltou a confirmar sua veia artilheira, marcando 12 gols em 17 partidas.

Com o fim de sua rápida passagem pela Suécia, Alfred recebeu a grande chance de sua carreira. Por 600 mil Euros (isso mesmo!) deixou o Lokeren e foi para o Heerenveen, da Holanda, onde se encaixou imediatamente.

Alfred Finnbogason

Foto: reprodução

Desde que chegou ao seu clube atual, Finnbogason marcou 52 gols e deu 15 assistências em 61 jogos (tornando-se o maior artilheiro da história da equipe na Eredivisie). Média impressionante. Matador por essência, tem se mostrado um atacante tão completo que é difícil definir suas principais características. Seu bom posicionamento, frieza e ampla capacidade de finalização – é letal com a bola rolando, nas ocasiões de bola aérea e até mesmo cobrando faltas – têm sido elogiados por grandes equipes e por seu treinador, o ilustre Marco van Basten, que o comparou com atletas do porte de Van Nistelrooy, Klaas Huntelaar e John Dal Tomasson.

Contratado por uma “mixaria”, hoje, o islandês que não sai por menos de 10 milhões de Euros já foi alvo de grandes equipes como Roma e Everton e na última janela esteve perto desse mudar para o Fulham. Atualmente, seu nome é especulado no Celtic da Escócia.

Sucessor de Gudjohnsen na seleção?

ISLÂNDIA

Uma das maiores estrelas de toda a história do futebol islandês, Eidur Gudjohnsen, atacante que passou por grandes equipes como Chelsea, Barcelona e Monaco, já tem 35 anos e seu adeus ao futebol não deve demorar. Da seleção, já se despediu no final do último ano, em partida contra a Croácia.

Hoje, o ataque islandês dispõe do faro de gol de Finnbogason e de Sigthórsson, do Ajax. Se Alfred faz muito mais sucesso na Eredivisie que seu concorrente, este tem feito mais gols pela seleção. Mas isto se justifica.

Finnbogason e Sigthórsson fazem a dupla de ataque da seleção juntos e, tendo o primeiro mais qualidade para circular pelo ataque, abrindo espaços e criando oportunidades, joga mais longe do gol, deixando a tarefa de “matador” para seu companheiro. Em 21 jogos, Finnbogason tem apenas quatro gols. Já o atacante do Ajax marcou 13 vezes em 21 jogos. Esta característica de circular mais no ataque torna ainda mais válida a comparação com Gudjohnsen.

Como a maioria dos artilheiros da Eredivisie, Alfred Finnbogason deve deixar o Heerenveen no final temporada e, se seguir os passos de alguns dos últimos artilheiros da Eredivisie (Bony e Bas Dost e Luis Suárez), tem tudo para brilhar em centros maiores.

Doentes, confiram todos os seus 24 gols na temporada 2012/2013:

[youtube id=”ziVtVHXKdME” width=620 height=350]

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.