Histórias das Copas #08 – O primeiro brasileiro campeão e os “oriundi” italianos

A Itália “recrutou” sete estrangeiros durante o período de preparação da Copa (incluindo Eliminatórias): os argentinos Luisito Monti, Raimundo Orsi, Enrique Guaita, Attilio Demaria e Renato Cesarini e os brasileiros Anfilogino Guarisi (o Filó) e Otávio Fantoni (o Nininho). Eles ficaram conhecidos como oriundi, estrangeiros descendentes de italianos.

Destes, cinco jogaram a Copa pela Azurra: Orsi (5 jogos), Monti (5 jogos), Demaria (1 jogo), Guaita (4 jogos) e Guarisi (1 jogo). Orsi havia sido finalista olímpico em 1928 (jogou as 5 partidas em Amsterdã) e Monti (4 jogos) e Demaria (1 jogo, contra o México) vice-campeões mundiais em 1930, pela Argentina.

Monti foi o primeiro e único jogador até hoje a disputar duas finais de Copas por duas diferentes seleções. Junto a ele, Demaria também atuou nas duas Copas, por diferentes seleções.

Monti: único finalista por duas seleções diferentes (Foto: reprodução).

Monti: único finalista por duas seleções diferentes (Foto: reprodução).

Em 1934, Filó participou de dois jogos, um das Eliminatórias (junto ao também “brasileiro” Nininho) e o jogo da primeira fase contra os EUA. Ele se tornou, assim,  o primeiro jogador nascido no Brasil a ser campeão mundial de futebol.

Filó em ação (Foto: globoesporte.com)

Filó em ação (Foto: globoesporte.com)

Filho de uma italiana, Filó nasceu em São Paulo e atuou na Portuguesa (1922 a 1924), Paulistano (1925 a 1929) e Corinthians (1929 a 1931) antes de ir à Lazio, onde jogou de 1931 a 1937.  Na volta ao país, atuaria ainda pelo Corinthians e Palestra Itália. No total, o jogador conquistou sete campeonatos paulistas.

Pela seleção brasileira, Filó fez quatro partidas oficiais em 1925, marcando dois gols. Pela Itália, foram seis jogos e um gol marcado (além de dois jogos e um gol pela seleção “B”, o primeiro da Azzurra em Eliminatórias.

Comentários

Sergio Rocha é torcedor do Madureira e sempre teve o sonho de escrever sobre esportes em geral, embora tenha optado pela carreira de engenheiro civil. No "currículo", cadernos recheados de resultados esportivos e agendas da década de 90, quando antes da internet acessava rádios de diversos locais do país buscando os resultados esportivos do Acre à Costa Rica. Além de fanático por futebol, é fanático por praticamente todos os esportes, e no tempo livre que sobra sempre busca os últimos resultados esportivos do PGA Tour ou dos futures da ATP. Além disso, coleciona quadrinhos da Disney e é louco por astronomia.