O golaço de Tevez significa muito para o Milan

  • por Tiago Lima Domingos
  • 7 Anos atrás

O Milan faz uma temporada tétrica: o 10º lugar na tabela é o melhor retrato do que virou o clube atualmente. Um clube que foi aos poucos se apequenando, desonrando as gloriosas squadras montadas ao longo dos anos. Hoje, nesse domingo de carnaval, dia 02 de março de 2014, um golaço de Carlitos Tevez, significou mais que o belíssimo gol do argentino. Explico abaixo.

Tevez esteve muito perto de vestir a camisa do Milan (só faltava a assinatura do contrato) em janeiro de 2012, quando o atacante esteve brigado com o então técnico do Manchester City, Roberto Mancini. Não veio. Num primeiro momento, o Milan contou as migalhas para fechar um empréstimo. O City queria que o Milan o comprasse em definitivo após 6 meses, o Milan não queria a obrigação. Dias depois, o clube rossonero chegou a quase vender Pato para o PSG, para com o dinheiro da venda do brasileiro contratar o argentino. Berlusconi, de última hora, decidiu cancelar o negócio. De lá pra cá, o Milan foi caindo cada vez mais, e a não contratação do ‘Apache’ foi um grande sinal do apequenamento de um gigante que estaria por vir.

tevez

Foto: Reprodução – Tevez em almoço com Galliani e Kia. Por muito pouco o argentino não foi do Milan

Seis meses após o fracasso na tentativa de ter o argentino, o Milan perdeu de uma só vez Ibrahimovic e Thiago Silva. Decretava-se ali, o início desse processo citado um pouco acima. De uma possível melhor dupla de ataque da Europa com Ibra  e Tevez, o Milan se viu sem nenhum dos dois. Logo depois, perdeu Cassano, que foi para a rival Inter, numa troca com Pazzini, onde o Milan ainda deu ao rival mais €7,5 milhões. Mais seis meses e Pato, aquele que já estava com um pé em Paris, vendido por quase €30 milhões de euros, voltava ao Brasil como “fracassado”. O Corinthians pagou ao rubro-negro de Milão €15 milhões.

Tentando reparar o erro, chegou Balotelli logo após a venda do brasileiro. Iniciava então, a temporada 2013-14, Tevez estava novamente disponível. A boa relação do argentino com Adriano Galliani era um motivo óbvio de que o Milan deveria tentar novamente o atacante. Entre especulações, a Juventus, já bi-campeã da Bota, não titubeou e comprou-o. O preço? €9 milhões de euros + €6 milhões de bônus devido a resultados pessoais e coletivos. Enquanto o Milan se apequena, a Juventus cresce e é dona novamente da Itália. Para fechar com chave de ouro o péssimo mercado rossonero, Alessandro Matri, por ironia, veio da Juventus, por “módicos” €11 milhões de euros, e seis meses depois já foi emprestado à Fiorentina.

É bem verdade que o Milan, assim como toda Itália, atravessa um momento financeiro complicado por diversos fatores, mas certas ocasiões como as de janeiro de 2012, não podem ser desperdiçadas. Mais que isso, quando se atravessa momentos como estes, tiros certeiros devem ser dados. Apostar em Tevez naquela época era um desses tiros. Dois anos depois da fracassada negociação, o gol de Carlitos Tevez (artilheiro do Campeonato) é um golpe duro e simbólico. O Milan se apequenou.

O golaço de Tevez na noite de hoje:

 

Comentários

Carioca e rubro-negro. Do Rio de Janeiro a Milão. Doente por futebol, é claro. E apaixonado pelo Calcio.