Dez personagens do Clássico dos Clássicos nos últimos 10 anos

  • por Henrique Souza
  • 7 Anos atrás

Nesta quarta, Náutico e Sport voltam a decidir o Campeonato Pernambucano, fato que não ocorria desde 2010. Ambas as equipes tentam retomar o domínio estadual, há 3 anos nas mãos do Santa Cruz. Com mais de 500 partidas disputadas entre os dois times, é natural que diversos jogadores tenham escrito o seu nome na história do clássico. O Doentes por Futebol escolheu 10 jogadores que fizeram a diferença para o seu clube em algum momento dos últimos 10 anos.

Carlinhos Bala

Atacante que marcou época no futebol pernambucano, Carlinhos Bala defendeu os 3 grandes clubes do estado, e esteve presente em grandes conquistas, como a Copa do Brasil de 2008 com o Sport e o acesso à Série A em 2005 com o Santa Cruz. O folclórico atacante sempre foi marcado pelas frases de efeitos e pela raça, especialmente em partidas decisivas como os clássicos. Carlinhos Bala poderia estar aqui tanto pelo desempenho com o Sport quanto pelo tempo no Náutico, mas o seu grande momento no Clássico dos Clássicos foi a partida válida pela Série B do Campeonato Brasileiro em 2006. Na vitória rubro-negra por 4×1, Bala marcou duas vezes e foi decisivo para o triunfo do Leão.

Elicarlos

O volante é um jogador bastante experiente e respeitado no Náutico. Elicarlos defendeu o clube por duas temporadas antes de ir para o Cruzeiro e voltar para o Timbu em 2011. Contra o Sport, Elicarlos marcou um importante gol na partida de volta da 2ª fase da Copa Sul-Americana em 2013. Mesmo com a posterior derrota nos pênaltis, o tento marcado foi importante para reverter o resultado e teve significado especial para o jogador, que falhou na semifinal do Pernambucano no mesmo ano, vencida pelo Sport.

Fumagalli

O meia atacante caiu nas graças da torcida do Sport pelo seu faro de gol e qualidade nas bolas paradas. Fumagalli foi peça importante dos rubro-negros em três Campeonatos Pernambucanos e no acesso à Série A do Brasileirão. E justamente na campanha do vice-campeonato da segunda divisão em 2006 que o jogador viveu seu grande momento contra o Náutico. A partida, disputada na Ilha do Retiro, foi vencida pelo Sport por 2×0 e Fumagalli foi o destaque do confronto, marcando os dois gols do Leão.

Pedro Carmona

Embora machucado e com um longo período de ausência dos gramados ainda pela frente, Pedro Carmona já fez o suficiente para cair nas graças do torcedor alvirrubro. Embora jogue no meio campo, o atleta era o artilheiro do Náutico até sofrer uma grave lesão. Contra o Sport, no terceiro clássico deste ano, disputado na Arena Pernambuco, o jogador teve uma atuação destacada e manteve a fama de goleador, marcando os dois gols que garantiram a vitória do Timbu sobre o rival.

Marcelinho Paraíba

O meia foi peça importante no acesso do Sport à Primeira Divisão em 2011. Com bons passes e uma bola parada de muita qualidade, Marcelinho Paraíba sempre representou perigo para os adversários do Sport. Contra o Náutico não foi diferente, e o jogador marcou em diversas ocasiões. Seu grande momento foi na primeira partida da semifinal do Campeonato Pernambucano de 2012. Em pleno Estádio dos Aflitos, Marcelinho Paraíba comandou o Sport e marcou os gols da equipe na vitória por 2 x 1.

Zé Mário

Assim como Pedro Carmona, Zé Mário está há pouco tempo no Náutico, mas já conseguiu um feito histórico pela equipe alvirrubra. No primeiro Clássico dos Clássicos do ano, pela Copa do Nordeste, Sport e Náutico se enfrentaram na Ilha do Retiro. Em jogo, um tabu de dez anos sem vitórias do Náutico na casa do adversário. Mas naquela noite a história foi diferente. Com um gol do volante, o Timbu quebrou uma sequência de 21 partidas sem conhecer a vitória fora de casa frente ao rival.

Durval

O capitão do Sport deixou uma lacuna na equipe depois da sua saída em 2010 que só foi preenchida com o seu retorno ao clube neste ano. Além da raça, marcação implacável e liderança em campo, o zagueiro também costumava marcar alguns gols, e uma de suas vítimas preferidas era o Náutico. Vale destacar a vitória no Campeonato Brasileiro de 2008, quando Durval fez um dos gols e ajudou o Sport a derrotar os alvirrubros por 2×0.

Araújo

O atacante, embora pernambucano de nascimento, atuou pouco no futebol do estado. Além do Porto, Araújo jogou um ano no Náutico, tempo suficiente para cravar seu nome na história do Timbu. No Clássico dos Clássicos válido pela última rodada do Brasileirão de 2012, Náutico e Sport duelaram nos Aflitos, com muita coisa em jogo. Do lado rubro-negro, a chance de escapar do rebaixamento, enquanto os alvirrubros sonhavam com uma vaga na Copa Sul-Americana. E coube a Araújo marcar o único gol da partida, garantindo o Náutico na competição internacional e, de quebra, rebaixando o rival para a Segunda Divisão.

Magrão

Grande ídolo do Sport, Magrão tem uma história repleta de glórias com a camisa rubro-negra. Desde 2005 na equipe pernambucana, o goleiro já enfrentou o Náutico em diversas oportunidades, sempre ajudando o Leão com suas grandes defesas. Com tantos serviços prestados, fica difícil escolher apenas um grande momento do jogador, mas merece destaque a partida de volta da 2ª fase da Copa Sul-Americana no ano passado. Após vencerem o 1º jogo por 2×0 na Ilha e serem derrotados na Arena Pernambuco pelo mesmo placar, o Sport precisou decidir a vaga para as oitavas de final nos pênaltis. Foi quando brilhou a estrela de Magrão, que defendeu as cobranças de Olivera, Tiago Real e Rogério, classificando o Sport para a fase seguinte.

Kuki

Terceiro maior artilheiro da história do Náutico, Kuki até hoje mantem ligação com o Timbu, fazendo parte da atual comissão técnica. Nos seus tempos de jogador, marcou diversos gols com a camisa alvirrubra, tendo sido artilheiro do Campeonato Pernambucano por 3 vezes. Contra o Sport, o atacante foi especialmente decisivo no 2º turno do Estadual de 2005. Nos Aflitos, o Náutico enfrentou o Sport e venceu por 4×2. Kuki teve grande atuação e foi o principal responsável pela vitória alvirrubra ao marcar 3 gols.

Comentários

Doente por futebol desde que se conhece por gente. Formado em Educação Física e estudante de jornalismo. Apaixonado por jogos e times clássicos. Considera Zidane, Ronaldo, Romário e Messi os maiores que viu jogar.