Raheem Sterling, o garoto com alegria nas pernas

  • por Raniery Medeiros
  • 6 Anos atrás

(Atualização em 01/04/2015)

STERLING CLUBES

Apesar da recuperação dos Reds na Premier League 14/15, com o time tentando a todo custo superar o gap de aproximadamente 06 pontos para conseguir uma vaga nos play-offs da Champions League,  o futuro de Sterling no clube não dá bons indícios de permanência.

>> Leia mais: Wolfsburg e Liverpool, os melhores times da Europa em 2015 <<

Jornais ingleses especulam a todo momento que inúmeras tentativas de renovação de contrato foram efetuadas e todas foram negadas pelo jogador. Em entrevista exclusiva à BBC, Raheem confirmou haver recusado uma oferta salarial de aproximadamente R$ 1.900.000:

“Não é apenas pelo dinheiro. Eu falo de conquistar troféus em minha carreira. Quero separar um tempo para pensar a respeito do que eu já consegui em minha carreira e aonde preciso ir e do que preciso para melhorar como jogador.”

Parece que a saída de Luis Suárez, a campanha pífia do Liverpool na Champions League e seu risco de não obter classificação para a próxima edição têm pesado na decisão do jamaicano de não renovar com os Reds. Especulações dão conta de que Arsenal, Manchester City e Real Madrid monitoram a situação do atual vencedor do Prêmio Golden Boy, e que Raheem pode estar de saída.

(Atualização em 21/12/2014)

STERLING GOLDEN BOY

Pela segunda vez na história da premiação, um inglês leva o troféu Golden Boy para casa. Raheem Sterling segue os passos de ninguém menos que Wayne Rooney como vencedor do prêmio de melhor jogador sub-21 do futebol europeu, em votação promovida pelo jornal italiano “Tuttosport”. Confira uma compilação que ajuda a compreender por que Sterling mereceu levar o troféu para casa:

;

Saiba mais da carreira do vencedor do Prêmio Golden Boy 2014:

Líder da Premier League, o Liverpool encontra-se em estado de graça e parece estar no caminho certo rumo ao título. Dentre tantos destaques na atual temporada, Raheem Sterling vem jogando em alto nível, provando que os Reds fizeram certo ao apostar nele. Nascido na Jamaica, mas tendo ido morar na Inglaterra ainda criança, o rapaz começou a jogar futebol na escolinha do Queens Park Rangers. Não demorou muito para que o Liverpool enxergasse o talento que o garoto demonstrava e o levasse para atuar em Anfield Road.

A carreira de Sterling foi meteórica porque o jogador a tornou assim. Mesmo franzino, já era o destaque do time nas categorias de base. Sua habilidade impressiona e, além da facilidade no ato do drible, vem aprendendo, treino após a treino, a finalizar. Não bastassem todas essas credenciais, é muito veloz e dificilmente consegue ser acompanhado pelos marcadores. As primeiras oportunidades surgiram em 2010, mas de forma esporádica. Chegou a atuar na temporada 2011/2012, sendo lapidado e sem aquela pressa de soltar o garoto para os leões. Mas foi com Brendan Rodgers, em 2012, que ele começou a ganhar bagagem. Iniciou como titular em 2012/2013, mas perdeu espaço por causa da irregularidade. Claro, todo jogador passará por essa situação, e cabe a ele entender e tomar como ensinamento.

RODGERS STERLING

Sua entrada no time, que começou a ser reformulado por Rodgers, aconteceu justamente no momento em que o Liverpool lançou jovens talentos para jogar. Sterling e Suso municiavam Suárez. No entanto, o treinador precisava mesclar juventude e experiência para começar a montar um time campeão. Com a saída de Suso, Sterling percebeu que não bastava ser bom, era preciso compreender que o próprio processo de amadurecimento era sua ferramenta de trabalho. Seu incrível repertório foi sendo aperfeiçoado pelo comandante e, após o bom início de trabalho, renovou seu contrato no fim de 2012.

Na cabeça do técnico, o jovem atleta precisava aprender a finalizar de maneira mais eficaz, sendo um dos coadjuvantes na linha de frente. Além do trabalho ofensivo, seria de vital importância ajudar seus companheiros no momento da recomposição defensiva. Ainda estabanado, fez muitas faltas. Mas o aprendizado foi rápido e tenaz. Em pouco tempo como atleta profissional, foi chamado de a “jovem sensação inglesa”. Seja como Winger (direita ou esquerda) ou pelo centro, sua velocidade é fator preponderante para os principais contragolpes do time. Adquiriu experiência na Liga Europa e malícia para se livrar da forte marcação no Campeonato Inglês. 

https://www.youtube.com/watch?v=cBXCtLMEwAc

A temporada 2013/2014 chegou com a sua permanência no elenco, sendo mais aproveitado e ganhando importância nos momentos decisivos. Mesmo não sendo titular absoluto na primeira metade do ano, tornou-se peça-chave no esquema tático, no qual exerce, a depender do adversário, três funções diferentes. Sua percepção de jogo aliada à habilidade de um típico jogador sul-americano, fez com que os marcadores adotassem uma postura diferente ao tentar marcá-lo.

Contra o Arsenal, quando o Liverpool massacrou em campo, fazendo 5×1, teve uma atuação impecável e foi escolhido o melhor em campo. Por vezes, parece estar jogando futebol freestyle. Alguns encaram como provocação, mas, se ficarmos bem sintonizados em seu jogo, perceberemos que é apenas uma arma para se desvencilhar dos marcadores. Se Felipão chama Bernard de “alegria nas pernas”, o mesmo pode ser falado desse garoto, que é muito bom de bola.

https://www.youtube.com/watch?v=g3vJnWJhUa8

Alguma dúvida de que a jovem revelação está jogando em alto nível na atual temporada? Atuações regulares, disciplina tática, vários dribles, velocidade e objetividade. Se ainda não é um goleador, está caminhando para isso. Ao lado de Coutinho, vem sendo um excelente coadjuvante, mas com a personalidade de protagonista. Independentemente de quem o esteja marcando, não se intimida e parte para cima. Sua arma é o drible. Vem sendo decisivo não somente em entortar adversários, com o propósito de quebrar as linhas de marcação, mas também em assistências e gols. Na última partida, contra o Manchester City, fez um golaço, deixando Kompany e Hart na saudade.

https://www.youtube.com/watch?v=JIhhyQEo6j8

;fddsfs

Seleção Inglesa

INGLATERRA STERLING

Com Walcott fora do Mundial e Townsend não rendendo o esperado, Raheem Sterling surge como grande esperança para ocupar a função de winger no English Team. A concorrência é pesada, mas, para o menino que vem sendo o diferencial em algumas partidas do Liverpool, isso não será problema. Sua primeira convocação veio justamente meses antes do Mundial, no jogo em que a Inglaterra venceu a Dinamarca, em Wembley. Jogou com personalidade, se deslocando pelas várias faixas do campo de ataque e partindo para o drible, no melhor estilo “alegria nas pernas”.

 

Comentários