Sunderland, um time movido pela esperança

Foto: Getty Images - Na raça, o Sunderland bateu o Chelsea no último final de semana.

Foto: Getty Images – Na raça, o Sunderland bateu o Chelsea no último final de semana.

Por O Futebólogo

No início da atual temporada, o torcedor do Sunderland não podia imaginar que o clube viveria novamente dias de muita luta contra o descenso. No final de 2012/2013, inspirado pela marcante força e vivacidade do treinador italiano Paolo Di Canio, o time conseguiu se manter na Premier League. As duas vitórias vitais contra o rival Newcastle e o Everton foram suficientes para livrá-lo do rebaixamento.

Aliviado, mas consciente de suas limitações, o clube foi às compras e trouxe jogadores que, à primeira vista, seriam bons reforços. Da Juventus, veio o selecionável Emanuele Giaccherini, do Liverpool, o bom atacante Fabio Borini, do AZ Alkmaar, o forte centroavante Jozy Altidore e do Swansea City o eficiente meio-campista coreano Sung-Yong Ki. Apesar disso, a equipe também vendeu alguns de seus destaques, como Simon Mignolet e Stéphane Sessègnon.

O campeonato começou e, com ele, fortes emoções. O time teve que esperar nove rodadas para, enfim, comemorar uma vitória – até lá, foram sete derrotas e um empate. Nesse período, após cair diante do West Bromwich Albion (quinta rodada), a direção dos Black Cats demitiu o controverso Di Canio e contratou o ex-meio-campista uruguaio Gustavo “Gus” Poyet para seu lugar. Seu grande feito? O título da terceira divisão inglesa comandando o Brighton & Hove Albion.

Foto: Mark Pinder - Poyet é um dos principais responsáveis pela luta dos Black Cats.

Foto: Mark Pinder – Poyet é um dos principais responsáveis pela luta dos Black Cats.

O início de Poyet foi difícil, sofrendo pesada derrota para o Swansea City na oitava rodada por 4×0. Mas, já na partida seguinte, o clube passou a enxergar uma luz no fim do túnel: vitória por 2×1 em cima do seu grande rival, o Newcastle. Desde então, o Sunderland diminuiu drasticamente a incidência de derrotas – e, mesmo quando as sofreu, vendeu caro –, passando a conviver com muitos empates e alguns êxitos, mas apresentando um futebol infinitamente melhor.

Prova de que o time tem qualidade são seus resultados contra Manchester City e Chelsea na Premier League. No primeiro encontro contra os Citizens, o clube alvirrubro conseguiu vencer por 1×0. No segundo, empatou por 2×2, e tinha a vantagem até os 88 minutos. Já contra os Blues, foi derrotado na primeira partida por 4×3 e, na segunda, bateu o clube londrino por 2×1, em Stamford Bridge – no que foi a primeira derrota do Chelsea, em seus domínios, sob o comando de José Mourinho.

Em campo, o trunfo maior é a coletividade, que tem mostrado muita garra na batalha contra o rebaixamento. Ainda assim, há um jogador que tem se destacado muito: Adam Johnson, meia-direita canhoto ex-Manchester City e com passagem pela Seleção Inglesa. Nesta temporada, marcou oito gols e deu cinco assistências na Premier League.

Foto: PA - Adam Johnson é o grande destaque individual do time.

Foto: PA – Adam Johnson é o grande destaque individual do time.

Vale ressaltar, ainda, que o Sunderland trouxe alguns bons jogadores na janela de inverno, os quais tem ajudado imensamente a compor a equipe e, até mesmo, a dar maior rodagem ao elenco, preservando os titulares. Chegaram ao clube os argentinos Óscar Ustari, Santiago Vergini e Ignacio Scocco – um goleiro, um zagueiro e um atacante. Além deles, outro atleta recém-chegado que tem tido impacto positivo na equipe é o lateral esquerdo espanhol Marcos Alonso, que conseguiu assegurar a titularidade.

Ainda na lanterna, o clube tem mais quatro partidas para se salvar. Destas, três acontecerão em seus próprios domínios e duas são contra rivais diretos na briga contra o descenso, Cardiff, 18º colocado, e West Bromwich Albion, 16º colocado. Os outros confrontos serão contra o Swansea City e o Manchester United, único fora de casa.

Rebaixado ou não, o Sunderland chega à reta final do campeonato com honrada performance. Se não joga o mais belo futebol, encanta pela dedicação e perseverança. Sempre apoiados por Poyet, os jogadores estão dando seu melhor e fazendo valer as manifestações dos torcedores, que dizem acreditar em milagres.

Foto: Reprodução - Em Stamford Bridge a torcida comemorou e mandou o recado: miracles happens, Gus! (Milagres acontecem, Gus)

Foto: Reprodução – Em Stamford Bridge a torcida comemorou e mandou o recado: Miracles Happen, Gus!

Atualização (03/05/2013): O Sunderland bateu o Manchester United por 1 X 0, em pleno Old Trafford. Assim, o time encontra-se na 17ª posição da EPL, 3 pontos acima da zona de rebaixamento.

Atualização (07/05/2013): O Sunderland bateu o West Brom por 2 X 0 e se garantiu mais um ano na British Premier League. A esperança prevalesceu!

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.