Do Football Manager à Copa do Mundo

  • por Equipe FM
  • 7 Anos atrás

DO FM À COPA DO MUNDO

Por Tiago Bosco

Quem joga Football Manager (FM) sabe: os melhores olheiros do mundo estão lá. Eles raramente falham em suas avaliações e antecipam atletas que mais cedo ou mais tarde despontarão na vida real.

Com a chegada da Copa do Mundo FIFA 2014, preparamos uma seleção de craques que estarão nos gramados brasileiros e que são conhecidos de longa data dos jogadores do FM. Muitos deles eram prioridades de contratação em seus respectivos times antes de alcançarem o prestígio no mundo real – a maioria, inclusive, era negociada quase de graça. Considerar a famosa relação “custo/benefício”, gesto tão importante e raro em clubes brasileiros, é imprescindível para um bom manager virtual.

 

Foto: J-League - Kagawa nos tempos de Cerezo Osaka-JAP

Foto: J-League – Kagawa nos tempos de Cerezo Osaka-JAP

Eis a nossa seleção com os onze iniciais escalados no esquema 4-5-1:

Formação

Eneyama (Nigéria) – quem lembra de quando ele atuava no Hapoel Tel Aviv?

Anthony Vanden Borre (Bélgica) – esse jogador polivalente atua em quase todas as posições do campo e já era destaque no FM desde 2005.

Vincent Kompany (Bélgica) – monstro da zaga do Manchester City antes mesmo do clube se tornar “modinha”.

Coates (Uruguai) – a então revelação do Nacional-URU já era um gigante nas jogadas aéreas.

Mamadou Sakho (França) – iniciando no Paris Saint-Germain, o francês era sempre uma boa opção para a lateral esquerda. Além de polivalente, era muito barato.

Freddy Guarín (Colômbia) – esse garoto estava sempre perdido no modesto Envigado, da Colômbia. Era muito fácil contratá-lo. Um dos maiores exemplos de atleta bom e barato.

Steven Defour (Bélgica) –tinha atributos elevadíssimos desde os tempos de Standard de Liège. Era uma pechincha.

João Moutinho (Portugal) – quem nunca começou um save com o Sporting-POR só por causa deste craque?

Shinji Kagawa (Japão) – em 2009, quem enviava um olheiro ao Japão já sabia que o então menino do Cerezo Osaca tinha potencial.

Aléxis Sánchez (Chile) – o rápido e arisco atacante já brilhava no River Plate antes de se transferir para a Europa.

Edinson Cavani (Uruguai) – quem diria que aquele jovem oriundo do pequeno Danúbio, do Uruguai, viria a ser um dos principais matadores do mundo? Quem joga FM já sabia.

Aliás, a tão badalada (e excelente) safra belga não é nenhuma surpresa para os managers virtuais.

E você, lembra de mais jogadores que já se destacavam no jogo antes mesmo de se tornarem estrelas na vida real? E será que é hora dos dirigentes da vida real começarem a prestar atenção nas predições dos olheiros do Football Manager?

*Tiago Bosco é jornalista, carioca e amante do futebol – desde as partidas disputadas nos grandes palcos europeus até as pelejas mais varzeanas realizadas nos campos da América Latina.

Comentários