Em busca de tranquilidade

  • por Henrique Souza
  • 5 Anos atrás

Na noite do último dia 7, os torcedores do Náutico foram surpreendidos com a saída do técnico Lisca do comando da equipe. Com seu estilo singular, ele conquistou tanto seguidores quanto inimigos durante o período em que treinou o Timbu. Foram 26 partidas, 10 vitórias, 7 empates e 9 derrotas.

Como pontos positivos, destacam-se a quebra do tabu de 10 anos sem vitórias do Náutico na Ilha do Retiro e a classificação para a final do Campeonato Pernambucano, na qual foi derrotado pelo Sport. No entanto, o fracasso na Copa do Nordeste e os desentendimentos com Lúcio Surubim, gerente de futebol do clube, desgastaram o treinador, que entregou o cargo depois da derrota por 3 x 0 para o América-RN pela Copa do Brasil.

 Sidney Moraes, favorito para assumir o time desde o início das negociações, foi confirmado pela diretoria do Náutico. Ex-jogador, com passagem pelo Sport, o técnico comandou o Vila Nova e é considerado uma promessa entre os treinadores. Apesar disso, o atual momento do seu ex-clube não é dos melhores: a equipe tem 4 derrotas em 5 partidas e ocupa a lanterna da Série B.

Outro ponto negativo foi a também fraca campanha no comando da Ponte Preta, clube treinado por Sidney antes do Vila Nova. Inicialmente, o técnico foi anunciado pelo Avaí, mas desistiu da equipe ao receber proposta dos paulistas, em atitude considerada pouco profissional. Na Macaca, foram apenas 3 partidas, com 1 vitória e 2 derrotas.

O perfil de Sidney se encaixa no procurado pela diretoria, de um profissional jovem, com um salário que se enquadre na realidade financeira do clube e capaz de trabalhar com um plantel sem grandes estrelas. A grande diferença de Sidney para Lisca se encontra na atitude. Enquanto o antigo treinador era todo coração, o novo técnico preza pela calma e pelo equilíbrio, sendo mais centrado que o antecessor. Sidney vem como uma aposta, assim como Lisca chegou a Recife, ambos encarados como treinadores jovens e com potencial. O técnico terá que lidar também com a saída de Zé Mário, em negociações com o Sport, que vinha sendo um dos principais jogadores do Timbu na temporada.

Seja como for, o novo treinador terá a responsabilidade de substituir Lisca, que apesar dos percalços, deixou o Náutico no G-4 da Série B (o time foi derrotado pelo Joinville e ocupa agora a 9ª posição após ser comandada pelo interino Sérgio China, com um jogo a menos), e vinha conseguindo extrair bastante do limitado elenco da equipe pernambucana. O período sem jogos, devido ao adiamento da partida contra o Vasco, pode ser fundamental para que a equipe entenda os conceitos trazidos pelo novo técnico e melhore seu rendimento em campo. Apesar dos problemas enfrentados, dentro de campo o Náutico apresentou-se de forma organizada, com uma proposta de jogo definida e sem perder pontos em casa na Série B.

Comentários

Doente por futebol desde que se conhece por gente. Formado em Educação Física e estudante de jornalismo. Apaixonado por jogos e times clássicos. Considera Zidane, Ronaldo, Romário e Messi os maiores que viu jogar.