Prodígios históricos da Premier League

Foto: The PFA - Hazard foi eleito o melhor jogador jovem desta temporada inglesa.

Foto: The PFA – Hazard foi eleito o melhor jogador jovem desta temporada inglesa.

Por O Futebólogo

Na última semana, a PFA (Professional Footballers’ Association) elegeu os melhores atletas da temporada inglesa. O prêmio de melhor jogador foi concedido ao astro uruguaio do Liverpool Luis Suárez e o de melhor j
ogador jovem foi entregue ao belga Eden Hazard, do Chelsea, hoje com 23 anos.

Apesar de ter sido eliminado da UEFA Champions League e de estar em posição desfavorável na luta pelo título inglês, o Chelsea fez boa temporada, contando, sobretudo, com a ajuda de Hazard, que brilhou na competição, sendo o melhor jogador do clube londrino. Na Premier League, em 33 jogos, marcou 14 gols e criou nove assistências.

Apesar dos 40 anos de prêmio, essa é apenas a segunda vez em que é conquistado por um jogador dos Blues. Antes de Hazard, só o volante Scott Parker havia conseguido tal façanha, mas, na ocasião (2003/2004), o atleta havia atuado também pelo Charlton Athletic (ele é o único vencedor a jogar em duas equipes na mesma temporada).

Outros fatos curiosos rondam a premiação. Em toda a sua história, apenas três jogadores foram capazes de cumular os títulos de melhor jogador jovem e melhor jogador da temporada: os craques Andy Gray (1976/1977), ex-centroavante de sucesso que atuou em várias equipes inglesas, como Aston Villa – seu clube naquela altura –, Everton e Wolwerhampton, o atual melhor jogador do mundo, Cristiano Ronaldo (2006/2007), então no Manchester United, e o galês Gareth Bale, na última temporada.

Foto: Reprodução - Em 1977, Andy Gray posou com seus prêmios.

Foto: Reprodução – Em 1977, Andy Gray posou com seus prêmios.

Também é digno de nota o fato de que em apenas cinco ocasiões o prêmio não foi prestado a um jogador britânico. O primeiro estrangeiro a conquistá-lo foi o controverso francês Nicolas Anelka (Arsenal, 1998/1999). Posteriormente, venceriam o australiano Harry Kewell (Leeds United, 1999/2000), o já citado português Cristiano Ronaldo (Manchester United, 2006/2007), o espanhol Cesc Fábregas (Arsenal, 2007/2008) e agora o belga Hazard.

Além disso, vale a constatação de que só três jogadores foram eleitos mais de uma vez, os icônicos Ryan Giggs (Manchester United, 1991/1992 e 1992/1993), Robbie Fowler (Liverpool, 1994/1995 e 1995/1996) e Wayne Rooney (Manchester United 2004/2005 e 2005/2006).

Já o time que mais vezes teve um atleta coroado pela PFA foi o Manchester United, com oito prêmios, seguido de Arsenal e Liverpool, com cinco.

Foto: Football 365 - Fowler conquistou o prêmio em 1995-1996 e 1996-1997.

Foto: Football 365 – Pelo Liverpool, Fowler conquistou o prêmio em 1994-1995 e 1995-1996.

O que torna a láurea mais interessante é a escolha ser feita pelos próprios jogadores. Não raro, o eleito se destaca mesmo sem a conquista do título da primeira divisão – dentre os 40 premiados, apenas sete atuavam no time que viria a ser campeão nacional. Apesar disso, o futuro dos atletas confirmou-os, em sua maioria, vencedores nos anos que sucederam suas premiações.

Além da votação feita pela PFA, existem outras duas com particular apelo: a de melhor jogador da temporada segundo a FWA (Football Writers’ Association) e a PFA Fan’s Player of the Year, em que os candidatos são escolhidos pelos jogadores mas a votação é feita por torcedores. O único jogador que conquistou todos os três prêmios numa mesma temporada foi Cristiano Ronaldo. Todavia, Steven Gerrard (2001/2002), Wayne Rooney (2005/2006) e Gareth Bale (2012/2013) também conquistaram o prêmio com votação do público.

O prêmio de Hazard deixa no ar uma série de questionamentos. Será que, como Rooney, vencerá a Premier League no ano seguinte? Quem sabe ele não entre para o seleto grupo dos “bi-eleitos”, tornando-se o primeiro não-britânico a alcançar tal feito? Fato é que as conquistas individuais separam-se com clareza das coletivas. Mas, se continuar evoluindo, o belga do Chelsea pode mudar algumas das estatísticas aqui mostradas. É o que esperam os torcedores dos Blues.

Foto: PA - Em 2012-2013, o grande vencedor foi Gareth Bale.

Foto: PA – Em 2012-2013, o grande vencedor foi Gareth Bale.

Doentes, confiram a lista com todos os vencedores:

Kevin Beattie (Ipswich Town, 1973-1974); Mervyn Day (West Ham, 1974-1975); Peter Barnes (Manchester City, 1975-1976); Andy Gray (1976-1977); Tony Woodcock (Nottingham Forest, 1977-1978); Cyrille Regis (West Bromwich Albion, 1978-1979); Glenn Hoddle (Tottenham, 1979-1980); Gary Shaw (Aston Villa, 1980-1981); Steve Moran (Southampton, 1981-1982); Ian Rush (Liverpool, 1982-1983); Paul Walsh (Luton Town, 1983-1984); Mark Hughes (Manchester United, 1984-1985); Tony Cottee (West Ham, 1985-1986); Tony Adams (Arsenal, 1986-1987); Paul Gascoigne (Newcastle, 1987-1988); Paul Merson (Arsenal, 1988-1989); Matthew Le Tissier (Southampton, 1989-1990); Lee Sharpe (Manchester United, 1990-1991); Ryan Giggs (Manchester United, 1991-1992); Ryan Giggs (Manchester United, 1992-1993); Andy Cole (Newcastle, 1993-1994); Robbie Fowler (Liverpool, 1994-1995); Robbie Fowler (Liverpool, 1995-1996); David Beckham (Manchester United, 1996-1997); Michael Owen (Liverpool, 1997-1998); Nicolas Anelka (Arsenal (1998-1999); Harry Kewell (Leeds United, 1999-2000); Steven Gerrard (Liverpool, 2000-2001); Craig Bellamy (Newcastle, 2001-2002); Jermaine Jenas (Newcastle, 2002-2003); Scott Parker (Charlton Athletic/Chelsea, 2003-2004); Wayne Rooney (Manchester United, 2004-2005); Wayne Rooney (Manchester United, 2005-2006); Cristiano Ronaldo (Manchester United, 2006-2007); Cesc Fabregas (Arsenal 2007-2008); Ashley Young (Aston Villa, 2008-2009); James Milner (Aston Villa, 2009-2010); Jack Wilshere (Arsenal, 2010-2011); Kyle Walker (Tottenham, 2011-2012); Gareth Bale (Tottenham, 2012-2013); Eden Hazard (Chelsea, 2013-2014).

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.