Ranking dos jogadores mais eficientes da Libertadores

  • por Fernando Carreteiro
  • 5 Anos atrás
Foto: Vanguardia/Archivo

Foto: Vanguardia/Arquivo

Para avaliar com objetividade o desempenho dos jogadores e equipes da Copa Libertadores, a Toyota, em parceria com o site Pasión Libertadores, criou um ranking conhecido como Índice de Rendimento Toyota, disponível ao público desde a primeira rodada do torneio no endereço: http://www.pasionlibertadores.com/Indice_de_Rendimiento…

O Índice é calculado com a soma de pontuações positivas e negativas obtidas durante uma partida. As ações que geram pontos são: gols, assistências, jogos sem tomar gol (válido para goleiros e defensores apenas), finalizações no gol, finalizações na trave, finalizações defletidas, passes corretos, desarmes, pênaltis e faltas sofridas. Já as ações que subtraem pontos são: gols tomados (para goleiros e defensores apenas), pênaltis perdidos, passes errados, faltas cometidas, cartões amarelos e cartões vermelhos.

Outros critérios importante utilizados no ranking são os minutos jogados (quanto mais tempo em campo, mais pontos) e a vitória de seu time.

O Índice é atualizado ao final de cada rodada, definindo os jogadores e as equipes mais eficientes.

FASE DE GRUPOS

Ao final da fase de grupos, Ricardo Goulart do Cruzeiro era o líder geral do ranking, seguido pelo também brasileiro Felipe Gedoz, meia do Defensor do Uruguai e uma das revelações desta edição da Libertadores. Carlos Quintero, meia do Santos Laguna e também um dos destaques da competição, era até então o terceiro colocado. Omar Pérez, meia do Santa Fé, e Nicolás Oliveira, companheiro de Gedoz, completavam o TOP 5.

Nossos jogadores realmente decepcionaram. Depois dos citados, os únicos que atuam em clubes brasileiros entre os 20 mais eficientes eram: Bruno Rodrigo (9°) e Víctor Cáceres (11°).

No ranking de equipes, dois mexicanos na liderança. O León, que eliminou o Flamengo, ficou em primeiro lugar, seguido pelo Santos Laguna, time que ainda se deu ao luxo de escalar reservas na última rodada.

O Cruzeiro, apesar da campanha irregular, terminou esta fase na terceira colocação, à frente do Grêmio, que fez uma excelente campanha no chamado Grupo da Morte, e do Velez Sarsfield, respectivamente.

Os demais brasileiros foram Atlético-MG (8°), Flamengo (11°), Atlético-PR (18°) e Botafogo (26°). No total eram 32 equipes.

RANKING GERAL

Oliveira desandou a fazer gols (foto: Divulgação/Defensor)

Oliveira desandou a fazer gols (foto: Divulgação/Defensor)

Terminadas as quartas de final, o uruguaio Nicolás Oliveira, autor de gols importantes para a classificação do Defensor nas rodadas de mata-mata, disparou na liderança individual do ranking. Com 7 partidas jogadas durante todo o torneio, Oliveira passará a pausa da Libertadores coroado como o jogador mais eficiente da competição.

Apesar da eliminação logo na primeira fase dos playoffs, Carlos Quintero do Santos Laguna se manteve nas cabeças e até subiu uma posição, alcançando a vice-liderança.

O melhor brasileiro posicionado permaneceu sendo Ricardo Goulart, que baixou sua média, mas, graças à pontuação obtida na fase de grupos, saiu do torneio como o quinto jogador mais eficiente.

Felipe Gedoz, único brasileiro que segue na Libertadores, caiu para décimo colocado. Entre os vinte melhores, só mais dois brasileiros estão rankeados: o zagueiro artilheiro Bruno Rodrigo, em 11°, e o meia Éverton do Flamengo, em 13°, que mesmo sendo eliminado na fase de grupos galgou posições no ranking (isso é explicado pela drástica baixa na média dos jogadores que jogaram as oitavas e/ou quartas).

Confira como ficaram os 5 mais eficientes segundo o Índice em cada posição:

>> Goleiros:

ind goleiro

>> Defensores:

ind defensores

>> Volantes / Meias:

ind meias

>> Atacantes:

ind atacantes

Comentários