Seleção do Campeonato Francês 2013/2014

Foto: PSG - O Paris se sagrou campeão nacional pelo segundo ano seguido

Foto: PSG – O Paris se sagrou campeão nacional pelo segundo ano seguido

A temporada 2013/2014 do Campeonato Francês foi encerrada no último dia 17 tendo o Paris Saint-Germain como grande campeão pelo segundo ano consecutivo. Mesmo trocando o veterano Carlo Ancelotti pelo expoente Laurent Blanc, os investimentos seguiram e o desempenho, acompanhado dos resultados, agradou. Nomes de peso como Edinson Cavani e Yohan Cabaye chegaram e acrescentaram ao PSG, que finalmente apresentou futebol vistoso, encantando toda a França.

O não menos milionário Monaco, que trouxe Falcao García, em momento algum apresentou resistência ao Paris. Jogando de forma pragmática e vencendo diversos jogos na bacia das almas, o time nunca convenceu a torcida monegasca. O único ponto positivo foi a falta de uma “falcaodependência”. O último jogo do colombiano no campeonato foi na 21ª rodada, quando o Monaco somava 45 pontos, tendo 71,4% de aproveitamento. No período sem ele, o rendimento foi um pouco menor: 35 pontos em 51 disputados, com 68,6% de aproveitamento.

Mas quem surpreendeu mesmo foi o Lille. Com elenco muito modificado em relação a temporadas anteriores, mesclando experiência e juventude, mas com diversos atletas tentando se reafirmar na carreira (como Kjaer e Kalou), o LOSC descolou uma vaga na próxima Liga dos Campeões. O grande nome da campanha foi o técnico René Girard. Depois de ganhar o campeonato com o pequeno Montpellier, ele extraiu o máximo do mediano elenco do Lille.

Menções honrosas precisam ser feitas a times como o Saint-Étienne (que brigou até o final pela vaga na liga) e ao Lyon (que, apesar do desempenho mediano, teve em Alexandre Lacazette e Henri Bedimo como grandes nomes).

Feito este pequeno resumo da temporada francesa, é hora de refletir sobre quem se destacou no campeonato. É hora, também, de montarmos as tradicionais seleções de melhores da competição. O Doentes Por Futebol não fica fora e elabora a seguir a escalação com os principais atletas do Campeonato Francês.

Goleiro: Vincent Enyeama – Lille

Foto: LOSC

Foto: LOSC

René Girard chegou ao Lille nesta temporada e a primeira mudança que promoveu foi na meta. Sacou Steeve Elana do time titular e deu oportunidade ao nigeriano Vincent Enyeama. Mesmo pertencendo aos Dogues desde 2011, ele havia feito apenas um jogo com a camisa do clube.

De forma inesperada, quase quebrou um recorde histórico no Campeonato Francês. Enyeama ficou 11 jogos sem sofrer gols, se tornando o segundo goleiro com mais minutos sem sofrer gol na história da competição. Presença certa no time titular da Nigéria que vem ao Brasil para a Copa do Mundo, chega em grande fase pela excelente temporada no Lille.

Lateral-direito: Serge Aurier – Toulouse

Foto: TFC

Foto: TFC

Já faz algum tempo que o Toulouse não apresenta uma boa campanha, mas sempre há um jogador que sobressai. Na temporada passada foi Wissam Ben Yedder, e agora foi o lateral Serge Aurier. Aos 21 anos, ele já chamava a atenção há algum tempo, e atualmente deve conseguir uma transferência, possivelmente até para a Premier League, graças ao excelente desempenho neste ano.

Apesar dos 11 cartões amarelos, número que o coloca como o jogador mais indisciplinado da temporada, fez seis gols e deu seis assistências. O Toulouse, além dos resultados ruins (9º nesta temporada), sofre financeiramente principalmente por não conseguir lotar o Estádio Municipal de Toulouse. Com isso, é plausível considerar uma transferência de Aurier. Ele tem contrato até 2018 e, segundo o site Transfermarkt, custa 6,5 milhões de euros. Alguém topa pagar?

Zagueiro: Loïc Perrin – Saint-Étienne

Foto: La Provence

Foto: La Provence

O Saint-Étienne terminou o Campeonato Francês ocupando a 4º colocação, posição que não terminava desde a temporada 1987/1988. Desde então, acumulou fracassos e até rebaixamentos. Para voltar à glória, o ASSE teve Loïc Perrin como um dos pilares do time. Disciplinado, o zagueiro, que é capitão da equipe, participou de 34 das 38 partidas da temporada, recebendo apenas quatro cartões amarelos.

O zagueiro também mostrou um lado artilheiro. Com seis gols, Perrin só não fez mais que Mevlut Erding (12), Romain Hamouma (9) e Benjamin Corgnet (7). O site WhoScored também colocou o atleta do Saint-Étienne com a segunda melhor média do torneio, abaixo apenas de Zlatan Ibrahimović. Aos 28 anos, vive o melhor momento da carreira e está na lista de espera da França para a Copa do Mundo.

Zagueiro: Thiago Silva – Paris Saint-Germain

Foto: PSG

Foto: PSG

Não foi uma das melhores temporadas de Thiago Silva, mas ele é tão bom, mas tão bom, que sobra mesmo assim. Em 28 partidas no Campeonato Francês, o brasileiro recebeu apenas um cartão amarelo. Para um zagueiro comum, isso seria sinal de passividade, mas, para o capitão parisiense, é sinal de eficiência. Fez 16 faltas no campeonato todo e teve o dobro de desarmes.

Além disso, teve a segunda melhor porcentagem de passes concluídos no PSG, atrás apenas do conterrâneo Alex. A maior média de passes por jogo também é dele. Todos os números foram coroados com o bicampeonato ao término da temporada.

Lateral-esquerdo: Maxwell – Paris Saint-Germain

Foto: PSG

Foto: PSG

A regularidade de Maxwell no time do Paris Saint-Germain impressiona. Desde a temporada passada é titular inquestionável e faz por merecer tal status. Com Laurent Blanc, técnico que explora bastante o jogo ofensivo dos laterais, o brasileiro ganhou importância ainda maior. Elemento surpresa no ataque, ver Maxwell na grande área adversária criando jogadas e até marcando gols era cena rotineira. O lateral deu duas assistências e fez três gols. Tais números não deram chance para Lucas Digne, contratado nesta temporada.

Foi uma das decisões mais difíceis desta seleção. O jovem Layvin Kurzawa, do Monaco, também teve grande temporada, porém, a regularidade acabou por influenciar o voto no brasileiro. O monegasco teve o ápice entre o fim de 2013 e início de 2014, decaindo junto com o restante do time de março em diante. Kurzawa, inclusive, perdeu o último mês da temporada por estar lesionado.

Volante: Thiago Motta – Paris Saint-Germain

Foto: PSG

Foto: PSG

Thiago Motta foi um dos pilares do time de Blanc nesta temporada. Preciso na proteção a defesa e ótimo no jogo aéreo, o ítalo-brasileiro foi extremamente regular no campeonato todo. Motta, inclusive, foi o jogador que mais acertou passes no PSG. De acordo com o WhoScored, concluiu 2547 passes na temporada, tendo 92,6% de aproveitamento (terceiro melhor do elenco).

Também se notabilizou pelo trabalho nos lançamentos. Enquanto os adversários prestavam atenção em Marco Verratti e Blaise Matuidi, Motta trabalhava no círculo central com bolas longas, a maioria com enorme precisão. Blanc confia demais no atleta, e o italiano faz por merecer tamanha confiança.

Volante: Blaise Matuidi – Paris Saint-Germain

Matuidi é um leão no meio-campo parisiense. Firme na marcação e ótimo nas subidas ao ataque, o volante de 27 anos está no melhor momento da carreira e desperta interesse de diversos clubes mundo afora.

No PSG, ninguém desarmou mais que ele: 86. Ressalte-se que esse número não o coloca entre os principais ladrões da temporada, mas é importante lembrar que o time da capital francesa teve mais posse de bola em praticamente todos os jogos, o que justifica este dado.

Meia-atacante: Remy Cabella – Montpellier

Foto: MHSC Foot

Foto: MHSC Foot

Na primeira temporada sem o marroquino Younès Belhanda, o Montpellier passou algum sufoco, terminando a temporada na 15ª colocação. Porém, o meia-atacante que se transferiu para o Dynamo de Kiev teve um substituto à altura: Remy Cabella. Cria do clube de Hérault, o atleta de 24 anos fez 14 gols (10 nos 2º tempo dos jogos) e deu cinco assistências em 37 jogos na temporada.

Mesmo com o MHSC tendo desempenho mediano, Cabella teve números superiores aos de Belhanda na temporada do título francês (2011/2012). Na ocasião, o marroquino fez 12 gols e deu quatro assistências. Tal rendimento colocou o atual camisa 10 do time na lista de espera da França para a Copa do Mundo e ainda o deve tirar do Montpellier, visando passos maiores na carreira.

Meia-atacante: James Rodríguez – Monaco

Foto: ASM Officiel

Foto: ASM Officiel

Não foi a temporada dos sonhos do colombiano James Rodriguez, mas em um time de futebol burocrático, extremamente dependente de jogadas laterais e sem Falcao por meia-temporada, soube suportar bem o peso. O sul-americano liderou a tabela de assistências na temporada, com 12 no total.

A tendência é de crescimento do colombiano. O Campeonato Francês, apesar de estar abaixo das principais ligas europeias, é difícil de jogar. A adaptação pode tardar pelo estilo de jogo cadenciado, intenso e, por vezes, violento. James conseguiu se sair bem nesta temporada de estreia e deverá render muito mais nos próximos anos.

Atacante: Zlatan Ibrahimović – Paris Saint-Germain

Foto: PSG

Foto: PSG

Zlatan Ibrahimović não só foi o melhor atacante do campeonato, como foi o principal jogador da temporada. Ao longo dos 33 jogos que participou, acertou o alvo 76 vezes, anotando 26 gols, quase um gol a cada três chutes que vão à direção da meta. Além disso, o sueco deu 11 assistências. Ibra também teve a maior média de finalizações por jogo: 5.6.

Nesta temporada, o sueco ainda deixou para trás Raí e Carlos Bianchi na lista de maiores artilheiros da história do PSG. Com 76 tentos, é o sexto maior goleador do clube. Com mais dez gols, ultrapassa Safet Susić e ingressa no top-5. A expectativa é que mais recordes sejam quebrados no próximo ano.

Atacante: Alexandre Lacazette – Olympique Lyonnais

Foto: OL Web

Foto: OL Web

Edinson Cavani? Falcao Garcia? Não. Quem completa o time titular da temporada é Alexandre Lacazette, do Lyon. Para o uruguaio, pesaram contra os míseros quatro gols em 2014. Já para o colombiano é a tão citada lesão que o tirou dos gramados. Lacazette, além de mais regular, foi mais importante para o time. Dos 15 gols que marcou, apenas em dois jogos o Lyon perdeu, sendo 11 em vitórias.

Aos 22 anos, Lacazette também traz preocupação para o presidente Jean-Michel Aulas. O bom desempenho nesta temporada e o histórico carregado das seleções de base desperta o interesse de outras equipes. Sem nadar na grana, o OL pode acabar cedendo o atleta que hoje figura na lista de espera da seleção francesa.

Técnico: René Girard – Lille

Foto: LOSC

Foto: LOSC

O que René Girard fez com o Lille foi simplesmente sensacional. Com poucos recursos financeiros, elenco mesclando jovens de algum futuro e veteranos tentando se reencontrar na carreira, levou os Dogues de volta à Liga dos Campeões da Europa.

O estádio Pierre Mauroy foi a fortaleza dos comandados de Girard. Das 20 vitórias, 13 foram conquistadas em casa. Times como Monaco e Saint-Étienne “morreram” na casa do Lille. Porém, foi como visitante que o trabalho de Girard se sobressaiu. Em Paris, empate em 2×2 com o PSG, e na Bretanha, vitória por 4×1 sobre o Lorient, que lhes qualificou para a Liga.

Foto: Football User

Foto: Football User

Banco de reservas:

Goleiro: Salvatore Sirigu – Paris Saint-Germain: A temporada de Sirigu foi muito boa, mais uma vez, mas a de Enyeama foi melhor ainda, por isso a escolha. O italiano é extremamente regular, seguro e decisivo quando necessário. Não é exagero algum colocá-lo entre os 10 melhores goleiros do mundo.

Lateral: Layvin Kurzawa – Monaco: Como dito anteriormente, foi a escolha mais difícil. Kurzawa surpreendeu e foi peça-chave no Monaco, mas decaiu com todo o time no fim da temporada. Foram cinco gols e três assistências durante a competição.

Zagueiro: Simon Kjaer – Lille: Depois de passagens frustrantes por Wolfsburg e Roma, o dinamarquês finalmente se reencontrou na carreira. Líder da defesa do Lille, foi peça-chave da equipe e formou segura dupla de zaga com o montenegrino Marko Baša.

Volante: Jérémy Toulalan – Monaco: Foi um dos contratados do Monaco para este retorno à elite e vestiu a camisa do time como se estivesse há anos no clube. Fez 29 partidas no Campeonato Francês, sempre como titular. Foi o ponto de segurança do instável meio-campo monegasco.

Meia-atacante: Romain Hamouma – Saint-Étienne: Aos 27 anos, Romain Hamouma vai se firmando cada vez mais no Saint-Étienne. Nesta temporada, foram 34 partidas, com nove gols e quatro assistências. O WhoScored ainda apontou que ele foi o atleta que mais acertou dribles no elenco do ASSE: 54 ao todo, entrando no top-10 dribladores da liga.

Atacante: Edinson Cavani – Paris Saint-Germain: A temporada de Cavani não foi ruim, mas poderia ter sido muito melhor. Diferente de Ibrahimović, o uruguaio se prejudicou (e o time também) na questão das assistências. Foi apenas uma na competição, número que contrasta com os 16 gols. Além disso, Cavani foi às redes somente quatro vezes em 2014, chegando a ficar um mês sem marcar – entre março e abril.

Atacante: Vincent Aboubakar – Lorient: Preste atenção neste nome: Vincent Aboubakar. Aos 22 anos, estará na Copa do Mundo defendendo Camarões (adversária do Brasil) no melhor momento da carreira. Depois de quatro temporadas ruins no Valenciennes, desencantou no Lorient, marcando 16 gols e dando seis assistências. Ofuscou Aliadière, que havia feito 15 tentos no ano anterior.

Comentários

Uma mistura maluca de pessoa. Academico de jornalismo, catarinense de origens italianas e espanholas, mas apaixonado pela bola que rola na terra da Torre Eiffel e pela gorduchinha que pinta os gramados cheios de chucrute da Alemanha. Não escondo minha preferência por times que tem uniformes nas cores amarelas e pretas, mas sempre com análises bem embasadas... ou não. Mas acima de tudo, sou um Doente Por Futebol.