Seleção do Campeonato Inglês 2013-2014

902991__golden-lines-of-faith_p

Finda a temporada 2013/2014 da Premier League, é hora de destacar os melhores jogadores de cada posição, formando, assim, a seleção dos grandes destaques do torneio. Além disso, é imprescindível valorizar o melhor treinador da temporada, bem como sua principal revelação. Confiram os nossos eleitos!

Goleiro: David Marshall (Cardiff City)

A temporada 2013/2014 apresentou uma fartura de goleiros jogando em bom nível, sem que, contudo, algum deles se sobressaísse sobremaneira aos demais. Destacamos, portanto, o trabalho de David Marshall: não fossem suas as belas defesas, o Cardiff City poderia ter sido rebaixado ainda mais cedo da Premier League. Suas atuações foram tão boas que o jogador tem sido ligado a uma transferência para o Arsenal.

Menções honrosas: Hugo Lloris (Tottenham)

Foto: Getty Images - No Cardiff, Marshall evitou uma campanha ainda pior

Foto: Getty Images – No Cardiff, Marshall evitou uma campanha ainda pior

Lateral direito: Seamus Coleman (Everton)

Irlandês, Coleman foi contratado pelo Everton em 2009 como lateral. No entanto, seu início não foi dos melhores, com o jogador cometendo muitos erros básicos, que lhe causaram problemas de adaptação. Em decorrência disso, durante a maior parte de sua carreira, foi um meio-campista pelo lado direito. Não obstante, já na última temporada, retornou à lateral e, desde então, tem sido um dos destaques da equipe. Em 2013/2014, foi o segundo jogador de defesa com maior número de gols, seis no total.

Menção honrosa: Branislav Ivanovic (Chelsea) e Pablo Zabaleta (Manchester City)

Foto: Skysports - Firmado na lateral, Coleman marcou seis gols na temporada

Foto: Skysports – Firmado na lateral, Coleman marcou seis gols na temporada

Zagueiros: Laurent Koscielny (Arsenal) e Gary Cahill (Chelsea)

Foto: Skysports - Em temporada de afirmação, Koscielny evoluiu muito.

Foto: Skysports – Em temporada de afirmação, Koscielny evoluiu muito.

Curiosamente, caso estes dois defensores estivessem na seleção dos melhores da temporada passada, os doentes por futebol ficariam horrorizados – e com razão. A vida do francês Koscielny e do inglês Cahill mudou radicalmente em 2013/2014. Tecnicamente, o primeiro não era dos piores, no entanto, cometia falhas grotescas, por vezes, fatais. Por outro lado, Cahill chegou a deixar os torcedores do Chelsea de cabelo em pé no começo de sua trajetória, sendo, inclusive, ridicularizado por nossa imprensa quando os londrinos enfrentaram o Corinthians. Todavia, na última temporada, estas situações se alteraram de forma impressionante e, mesmo que por vezes ainda tenham cometido falhas, os zagueiros viraram sinônimo de segurança, sendo quase intransponíveis.

Menção honrosa: Sylvain Distin (Everton) e Vincent Kompany (Manchester City)

Foto: Chelsea FC - Sob o comando de Mourinho, Cahill virou sinônimo de segurança.

Foto: Chelsea FC – Sob o comando de Mourinho, Cahill virou sinônimo de segurança.

Lateral esquerdo: Luke Shaw (Southampton)

Jogador que trouxe à tona uma discussão muito intensa sobre os selecionados para a Seleção Inglesa na Copa do Mundo – em função de sua convocação ter provocado a consequente não-chamada de Ashley Cole –, Luke Shaw mostrou ao mundo toda sua qualidade nesta temporada. Incomumente disciplinado taticamente para alguém da sua idade, dono de grande personalidade e qualidade nos avanços, o jovem de 18 anos foi, sem sombra de dúvidas, o melhor lateral esquerdo da temporada.

Menção honrosa: César Azpilicueta (Chelsea) e Jon Flanagan (Liverpool)

Foto: Getty Images - Ainda muito garoto, Shaw mostrou grande personalidade.

Foto: Getty Images – Ainda muito garoto, Shaw mostrou grande personalidade.

Volantes: Steven Gerrard (Liverpool) e Yaya Touré (Manchester City)

Há algum tempo, descrever Steven Gerrard como um volante poderia ser equivocado. Entretanto, em 2013/2014, o capitão da Seleção Inglesa foi, definitivamente, recuado para o meio-campo defensivo, tornando-se o primeiro volante do Liverpool. Assim, pôde não só distribuir todo o jogo dos Reds como também ajudar na proteção à zaga. Além disso, seu desempenho ofensivo foi notável. Em 34 jogos, marcou 13 gols (a maioria de pênalti) e proveu 13 assistências.

Foto: Getty Images - Em 2013-2014, Gerrard voltou a viver grande forma

Foto: Getty Images – Em 2013-2014, Gerrard voltou a viver grande forma

Yaya Touré foi um dos grandes craques da competição. Cabeça erguida, passadas largas e muita intensidade marcaram o jogo do marfinense, que, com o entrosamento adquirido com o brasileiro Fernandinho, ganhou liberdade no campo, firmando-se como o principal destaque dos Citizens na temporada. Em 35 partidas, marcou 20 gols e fez nove assistências.

Menção honrosa: Aaron Ramsey (Arsenal) e Nemanja Matic (Chelsea)

Foto: Getty Images - Yaya Touré foi o motor do Manchester City, campeão inglês.

Foto: Getty Images – Yaya Touré foi o motor do Manchester City, campeão inglês.

Ponta-direita: Kevin Mirallas (Everton)

Um dos atletas mais aclamados pelo torcedor dos Toffees, o belga foi peça vital no sucesso do Everton, marcando e servindo oito vezes em 32 jogos. Com uma boa parceria com Coleman pelo flanco direito, Mirallas demonstrou qualidade em todos os fundamentos necessários aos jogadores de ataque na última temporada.

Menção honrosa: Raheem Sterling (Liverpool) e Adam Johnson (Sunderland)

Foto: Getty Images - Na temporada recém-finda, Mirallas virou um dos queridinhos da torcida.

Foto: Getty Images – Na temporada recém-finda, Mirallas virou um dos queridinhos da torcida.

Meia-atacante: Wayne Rooney (Manchester United)

Estrela única na temporada do Manchester United, o “Shrek” foi o responsável pela campanha da equipe não ter sido um fracasso ainda maior. Construtor e finalizador, o inglês foi o coração dos Red Devils. Circulando por toda a faixa central e descendo, muitas vezes, até a defesa para iniciar as jogadas de ataque da equipe, Rooney conseguiu marcar 17 gols e prover 10 assistências. Em uma temporada absolutamente sombria para seu clube, sua estrela brilhou.

Menção honrosa: Ross Barkley (Everton) e Adam Lallana (Southampton)

Foto: Getty Images - Numa temporada fraca do United, Rooney foi o único motivo de sorrisos.

Foto: Getty Images – Numa temporada fraca do United, Rooney foi o único motivo de sorrisos.

Ponta esquerda: Eden Hazard (Chelsea)

Craque máximo do Chelsea na temporada, Hazard evoluiu enormemente no aspecto tático. Mais aplicado na marcação e mais participativo, o belga teve, em 2013/2014, mais condições de desfilar sua enorme e indiscutível técnica. Nas 35 partidas que disputou, anotou 14 gols e sete assistências, sendo o artilheiro dos Blues no período.

Menções honrosas: Jay Rodríguez (Southampton) e David Silva (Manchester City)

Foto: Getty Images - Mais maduro, Hazard tornou-se mais regular.

Foto: Getty Images – Mais maduro, Hazard tornou-se mais regular.

Centroavante: Luis Suárez (Liverpool) – Craque do Campeonato

Craque do Campeonato, El Pistolero fez de tudo um pouco. Gols de todos os tipos e formas, assistências e lances de efeito fizeram do uruguaio o melhor jogador da competição. Além de ter sido o artilheiro do torneio, Suárez impressionou pela completude de seu jogo e foi, ainda, muito solidário, alternando posições com o inglês Daniel Sturridge, outro grande destaque, e revelando-se um formidável assistente. Seus dados finais registraram 31 gols e 12 assistências.

Menção honrosa: Daniel Sturridge (Liverpool), Sergio Agüero (Manchester City) e Wilfried Bony (Swansea City)

Foto: Getty Images - Após especulações quanto à sua saída, Suárez mostrou futebol fantástico.

Foto: Getty Images – Após especulações quanto à sua saída, Suárez mostrou futebol fantástico.

Treinador: Tony Pulis (Crystal Palace)

Conseguir a manutenção do Crystal Palace na Premier League por si só já seria um milagre. A chegada à 11ª posição do Campeonato só confirmou o óbvio: Tony Pulis foi o técnico responsável pelo trabalho mais duro da competição e, pelo êxito obtido, merece, sem dúvida, o título de melhor comandante da temporada.

Menção honrosa: Brendan Rodgers (Liverpool), Manuel Pellegrini (Manchester City) e Gus Poyet (Sunderland)

Foto: Getty Images - No comando do Crystal Palace, Tony Pulis transformou o impossível em realidade.

Foto: Getty Images – No comando do Crystal Palace, Tony Pulis transformou o impossível em realidade.

Revelação: Ross Barkley (Everton)

Convocado para a Seleção Inglesa que virá ao Brasil, Barkley surpreendeu a todos. Meio-campista completo, demonstrou facilidade para atuar em qualquer função da meia-cancha com uma maturidade impressionante. Sua ascensão meteórica se deveu, obviamente, à qualidade do futebol apresentado. Por esses motivos, o jovem de 20 anos, autor de seis gols na temporada é a Revelação do Campeonato.

Menção honrosa: Adnan Januzaj (Manchester United)

Foto: Getty Images - Com evolução meteórica, Barkley foi a grande revelação da temporada.

Foto: Getty Images – Com evolução meteórica, Barkley foi a grande revelação da temporada.

A SELEÇÃO FINAL

Seleção: Marshall; Coleman, Koscielny, Cahill, Shaw; Gerrard, Yaya Touré; Mirallas, Rooney, Hazard; Suárez. Téc. Tony Pulis

Revelação: Barkley

Craque: Luis Suárez

Comentários

Advogado graduado pela PUC Minas, mestrando em Ciências da Comunicação (Universidade do Minho) e Jornalismo Esportivo (MARCA), 26 anos. Amante do futebol inglês, mas que aprecia o esférico rolado qualquer terra. Tem no atacante Marques e no argentino Pablo Aimar referências; e não põe em dúvida quem foi o melhor jogador que viu jogar: o lúdico Ronaldinho Gaúcho, na temporada 2004/05. Também n'O Futebólogo e na Revista Relvado.