A Amazônia na elite

  • por Matheus Mota
  • 4 Anos atrás
Comemoração do acesso. Foto: Apg Agencia

Comemoração do acesso. Foto: Apg Agencia

Epitaciolândia é uma cidade que fica no estado do Acre. Com pouco mais de 15 mil habitantes, o município conta com um representante no campeonato local, o Alto Acre FC. A bem de verdade, os epitaciolandenses dividem o usufruto do Alto Acre com mais 4 cidades (Capixaba, Assis Brasil, Brasiléia e Xapuri), ainda que o clube mande as partidas apenas em Epitaciolândia e Xapuri.

O ano da Copa não reservou grandes alegrias para os habitantes da cidade que homenageia o presidente Epitácio Pessoa. No Acrianão 2014, o time local ficou em penúltimo, conquistando 11 pontos em 14 jogos. Além disso, o estádio local, o Antônio Araújo Lopes. não foi considerado apto pela Federação Acriana para receber partidas oficiais. A situação era tão desalentadora que um único pedido de um clube deixou a cidade em polvorosa: o Universitario de Pando solicitou jogar a fase final da Copa Símon Bolívar, a 2ª divisão boliviana, na cidade.

Foi a primeira vez nos seus 19 anos de existência que o Universitario chegou à fase final da divisão de acesso. Pra ser mais exato, foi a primeira vez que a equipe fez uma boa campanha no torneio. Sempre acostumada a levar goleadas acachapantes, a torcida do clube, situado na cidade de Cobija (que não só fica na divisa do Brasil como possui seu centro urbano integrado com o de Epitaciolândia), mostrava uma empolgação desconfiada; esperava-se o “agora vai”, mas sempre com um pé atrás.

O Jaguar Pandino foi razoavelmente bem na 1ª fase, com 4 vitórias e 4 empates em 8 jogos, o suficiente para espantar a desconfiança da população local. Mas houve um porém. O time não pôde jogar em Cobija pois a Federação Boliviana não permitiu o uso da praça esportiva do local. Por conta disso, ocorreu a já mencionada solicitação, que foi aceita pela cidade brasileira, mas recusada pela FBF, que não viu com bons olhos a possibilidade de um clube local mandar partidas em outro país. Assim sendo, o jeito foi apelar para o estádio Leopoldo Fernandéz, da cidade de Porvenir, 33 km distante de Cobija.

Na 2ª fase, a equipe conseguiu 7 vitórias em 10 partidas, conquistando o inédito acesso para a 1ª Divisão do Boliviano. Essa será a primeira vez que um clube do departamento de Pando disputará a elite do futebol local. A campanha contou com dois nomes importantes para o futebol boliviano, Miguel Mercado e Gatty Ribeiro.

Gol de Gatty Ribeiro na partida do acesso. Foto: Henry Justo Mamani

Gol de Gatty Ribeiro na partida do acesso. Foto: Henry Justo Mamani

Técnico da equipe, Mercado é ex-atacante, com passagem marcante pelo Bolívar, pelo qual marcou 99 gols, sendo inclusive artilheiro do Boliviano de 2003. Dentro das quatro linhas, Gatty Ribeiro foi o destaque. Filho da terra, Gatty jogou um bom tempo nos grandes clubes do país, chegando a conviver com o próprio Mercado no Bolívar. O lateral direito voltou para Pando já como ex-atleta, mas, a pedidos de Mercado, retornou aos campos. Por conta de sua identificação com a região, tornou-se capitão do time e coroou sua volta com um gol de pênalti na partida que sacramentou o acesso; um 3×0 contra o Empresa Minera de Huanuni.

Vale salientar que a 2ª divisão boliviana é um campeonato semiprofissional, logo, ano que vem será a primeira disputa profissional do clube da Universidad Amazonica de Pando. Trata-se de um feito tamanho que até mesmo presidente Evo Morales parabenizou a equipe (e prometeu um estádio departamental para a região). Para quem mora em alguma das cidades fronteiriças à Bolívia, em especial Epitaciolândia, é uma oportunidade e tanto para se ver futebol de elite.

Comentários

Paulista e torcedor do Santo André. Historiador, acompanha o futebol como um todo, mas sobretudo o lado mais alternativo da coisa.