Copa dos sonhos

  • por Leandro Lainetti
  • 6 Anos atrás

Terminado o sorteio e definidos os grupos da Copa, uma rápida olhada para o Grupo D nos daria uma certeza: coitada da Costa Rica. Fazer figuração e servir de saco de pancadas na chave da morte era mais que uma constatação, era o destino. Itália, Inglaterra e Uruguai que brigassem pela classificação porque a lanterna já tinha dono. Com registro em cartório, se necessário fosse.

Mas quem não tem nada a perder se dá muito mais ao direito de sonhar. Se a realidade é um pesadelo, fantasiar histórias incríveis pode ser a melhor forma de aproveitar um momento, ainda que ele aconteça somente no imaginário. E nos sonhos costa-riquenhos, naqueles mais ousados e divertidos, vencer seria possível. Mas, talvez, nem eles imaginassem o que a vida lhes reservava.

Quando enfrentou o Uruguai de igual para igual, sem medo e jogando melhor, o sonho aconteceu ali, diante dos olhos. Fim de jogo. Pisca. Belisca. Belisca de novo. Era verdade. Costa Rica batia o bicampeão mundial do grupo e comemorava como se fosse um título, merecidamente. Mas era “apenas” o Uruguai. Itália e Inglaterra ainda viriam lembrar que a vida é mesmo dura.

Jogadores da Costa Rica comemoram a classificação

Jogadores da Costa Rica comemoram a classificação | Foto: Divulgação FIFA

Mas o jogo contra a Itália, tetracampeã, veio para lembrar que a vida é mesmo bela. Porque mais um sonho saía do imaginário para acontecer ali, diante dos olhos, agora não tão incrédulos, mas ainda piscando para realmente acreditar. Pisca. Belisca. Belisca de novo. Tudo verdade. Vitória e classificação para as oitavas de final, eliminando o time da Rainha sem precisar enfrentá-lo.

Difícil imaginar a Costa Rica sendo campeão da Copa do Mundo 2014. Impossível, até. Mas sonhar não é proibido, pelo contrário. É mais que permitido. E os costa-riquenhos, mais do que ninguém, estão aprendendo que os sonhos podem virar realidade. Então por que não sonhar com a taça?

Pisca. Belisca. Belisca de novo…

Comentários

Jornalista trabalhando com marketing, carioca, 28 anos. Antes de mais nada, não acredito em teorias da conspiração. Até que me provem o contrário, futebol é decidido dentro das quatro linhas. Mais futebol nacional do que internacional. Não vi Zico mas vi Romário, Zidane, Ronaldinho, Ronaldo. Vejo Messi e Cristiano Ronaldo. Totti é pai.