Fabio Capello + estreia em Copas = Frango

Foto: Fox Sports Asia - Capello não tem sorte com goleiros em Copas

Foto: Fox Sports Asia – Capello não tem sorte com goleiros em Copas

O italiano Fabio Capello está completando 68 anos de idade nesta quarta-feira (18), mas não tem muitos motivos para festejar. Apesar da vitoriosa carreira como técnico (cinco vezes campeão italiano, bicampeão espanhol e campeão europeu), o atual comandante da seleção russa não estreou com vitória na Copa do Mundo – FIFA 2014. Jogando em Cuiabá, na Arena Pantanal, a Rússia não saiu do 1×1 diante da Coreia do Sul.

Pior que isso, Capello viu o experiente goleiro Igor Akinfeev engolir o maior frango do Mundial. O arqueiro do CSKA Moscou não foi capaz de segurar o chute fraco de Lee Keun-Ho, que ia a suas mãos, e sofreu um gol incrível. Sorte do italiano (e do goleiro) que Kerzhakov salvou a pátria, empatando a partida minutos mais tarde.

Foto: Getty Images – Akinfeev desabou após a falha

Foto: Getty Images – Akinfeev desabou após a falha

Entretanto, o frango de Akinfeev torna-se ainda mais curioso pelo histórico de Capello. A Rússia é a segunda seleção que o italiano treina e esta também é a segunda Copa do Mundo em que trabalha. Nas duas ele estreou com um empate em 1×1, e em ambos os jogos o goleiro de seu time engoliu um frango monumental.

Há quatro anos, na África do Sul, comandando a Inglaterra, foi a vez de Robert Green falhar feio em partida diante dos Estados Unidos. Os ingleses venciam por 1×0, quando Clint Dempsey finalizou rasteiro de fora da área. A bola foi nas mãos de Green, que a deixou escapar e entrar no gol.

O goleiro perdeu a posição de titular para o veterano David “Calamity” James e continua sendo lembrado pela falha até hoje. Diferente de Green, Akinfeev tem uma história mais forte na Rússia. Já são dez anos de serviços prestados à seleção e idolatria ao CSKA Moscou. Será que Capello o barraria?

[youtube id=”9AWLpjhwu0c”]

[youtube id=”oj7tXi8tBOQ”]

Comentários

Uma mistura maluca de pessoa. Academico de jornalismo, catarinense de origens italianas e espanholas, mas apaixonado pela bola que rola na terra da Torre Eiffel e pela gorduchinha que pinta os gramados cheios de chucrute da Alemanha. Não escondo minha preferência por times que tem uniformes nas cores amarelas e pretas, mas sempre com análises bem embasadas... ou não. Mas acima de tudo, sou um Doente Por Futebol.