Mitos e verdades sobre Diego Costa

  • por Doentes por Futebol
  • 4 Anos atrás
622_f8252c1d-e996-3d43-961b-f218a31561b3

Foto: reprodução

Levando em consideração algumas coisas que estão sendo ditas sobre Diego Costa e as vaias e ofensas que o jogador ouviu em solo brasileiro, o Doentes por Futebol decidiu escrever, com ajuda dos illuminatis da deep web (comunidade Doentes por Futebol no Orkut), uma cartilha esclarecendo os fatos que envolveram a naturalização do hispano-brasileiro. Nosso objetivo é ajudar tanto quem pretende atacá-lo quanto quem pretende defendê-lo – em outras palavras, aumentar o nível do debate. Pedimos aos leitores mais sabidos e bem informados que colaborem com esta cartilha, fazendo observações relevantes  nos comentários.

1. DIEGO COSTA NUNCA TEVE CHANCE NA SELEÇÃO BRASILEIRA.
Mito. Diego Costa foi convocado por Felipão para os amistosos contra Itália e Rússia, antes da Copa das Confederações, e Chiles e Honduras, quando já era artilheiro do Espanhol (e recusou o convite para jogar pela Espanha). Na época das primeiras convocações (as que foram aceitas), quando Diego ainda não havia se destacado tanto, Felipão foi mais criticado do que aplaudido – em outras palavras, o bigodudo apostou nele quando o resto do Brasil ainda duvidava. Em campo vestindo a camisa amarela, Diego não fez muita coisa e, em ambas as partidas, Fred marcou. Vale lembrar também que o atual cone da camisa 9 brasileira foi patrão na Copa das Confederações e que, enquanto ele esteve machucado (e Diego não quis jogar pelo Brasil), até Alexandre Pato (!!!!) recebeu uma chance na seleção titular.

2. DIEGO COSTA NUNCA FOI VALORIZADO PELA SELEÇÃO BRASILEIRA.
Mito. Na época de sua primeira convocação, como já foi dito no primeiro tópico, Diego estava longe de ser unanimidade e disse ao Lance! estar surpreso e feliz com a oportunidade de defender a Seleção Brasileira. Quando o convocou para jogar contra Chile e Honduras (e os boatos de naturalização já estavam no ar), Felipão caiu numa pegadinha de um programa de rádio espanhol e declarou a um comediante, que se passava pelo presidente do Atlético de Madrid, que se a Copa fosse naquele dia, o jogador estaria entre os 23 convocados.

3. DIEGO COSTA ESCOLHEU A ESPANHA PORQUE É UM PAÍS DE PRIMEIRO MUNDO.
Mito. Diego Costa inicialmente escolheu o emergente Brasil, mas mudou de ideia no segundo semestre de 2013. A hipótese mais provável é que, como não conseguiu assegurar sua titularidade com a camisa canarinho nas primeiras oportunidades, o jogador acabou se sentindo mais espanhol e sendo contratado por Del Bosque (o termo “contratado” não é nosso, pegamos emprestado da imprensa espanhola na época).

4. DIEGO GOSTA NUNCA JOGOU EM TIMES BRASILEIROS.
Verdade.

5. CADA UM ESCOLHE SUA NACIONALIDADE DE ACORDO COM SEU CORAÇÃO.
Para a maioria dos mortais, isso é mito. Muitas pessoas vivem como refugiadas e ilegais mundo afora, apenas algumas conseguem se naturalizar oficialmente. O Brasil, aliás, tem se destacado positivamente no tratamento dado a imigrantes ilegais (vide caso dos haitianos). Já a Espanha… No caso de Diego, ele tinham sim, o direito de escolher a nacionalidade espanhola e todo o processo ocorreu dentro da legalidade. Foi permitido a ele defender a seleção de seu novo país porque os jogos em que atuou pelo Brasil eram amistosos, não parte de uma competição oficial.

6. SE ELE TROCOU DE SELEÇÃO, FOI PORQUE A FIFA DEIXOU.
Verdade mais que verdadeira. Nós aqui da Redação, particularmente, somos a favor do recrudescimento das regras que permitem a “troca” de seleção nacional e achamos absurdo um jogador que já tenha defendido uma seleção, mesmo que em amistosos, passar a jogar por outra. Temos medo de que a coisa degringole de vez e que as seleções acabem virando o oba-oba que eram nos tempos jurássicos, quando atletas chegavam a defender duas ou três equipes nacionais diferentes em Copas do Mundo (grandes nomes como Puskás e Di Stéfano fizeram isso).

7. A TORCIDA SÓ VAIOU PORQUE ELE SE NATURALIZOU.
Provavelmente mito. Outros jogadores brasileiros naturalizados entraram em campo para disputar a Copa do Mundo e não foram recebidos com a mesma hostilidade. Pepe, por exemplo, só foi vaiado quando não pode mais conter sua personalidade intensa no jogo contra a Alemanha. Thiago Motta, da Itália, foi vaiado no jogo-treino contra o Fluminense, mas isso aconteceu em virtude de uma entrada mais forte em Conca. A torcida vaiou Diego Costa porque a naturalização dele se deu em circunstâncias muito específicas: foi uma troca pautada por questões profissionais – o que, lembramos, é um direito dele.

8. A TORCIDA VAIOU PORQUE BRASILEIRO É INCIVILIZADO.
Mito. Embora existam brasileiros incivilizados, futebol não é ópera. Torcidas vaiam e xingam, sim, na tentativa de desestabilizar o adversário. Às vezes dá certo, como no caso de Diego, que não fez uma boa apresentação pela Espanha; às vezes dá errado, como no caso de Messi, que calou o Maracanã com um golaço no jogo contra a Bósnia. Quem é contra as ofensas a Diego porque feriram seus sentimentos e os de sua família, por uma questão de coerência, deve ser contra a todo e qualquer xingamento no futebol, seja ele dirigido a jogadores, membros da comissão técnica, trio de arbitragem, gandulas e/ou torcida adversária. Curiosidades: na civilizada Espanha, Diego foi vítima de xenofobia por parte da torcida mais de uma vez (em partidas contra o Valencia e o Málaga, por exemplo). Também lá, quando Figo trocou o Barcelona pelo rival Real Madrid, a torcida o acusou de traição e atirou uma cabeça de porco (!!!!) em campo.

9. OS DEUSES DO FUTEBOL PUNIRAM DIEGO POR SER TRAÍRA.
Mito. A bola puniu a Espanha, Diego foi um dano colateral.

10. ELE É MAIS RICO, BONITO E QUERIDO QUE VOCÊS E NÃO ESTÁ NEM AÍ PRA ESSA POLÊMICA.
Verdade em termos. Nossas mães nos acham mais bonitos.

11. ELE É TÃO ESPANHOL QUE NÃO SABE NEM CANTAR O HINO.
Mito. O hino da Espanha não tem letra! Os espanhóis bem que tentaram emplacar algumas letras, mas, até hoje, nenhuma pegou. A última caiu em desuso por ser associada ao regime fascista de Franco.

Comentários